Peter Hammill

Posted in Programas with tags on 03/07/2021 by Art Rock

Boa noite… no programa de hoje teremos o grande prazer de trazer um pouco da carreira recente do absolutamente genial Peter Hammill do Van der Graaf Generator, incluindo o seu novo álbum solo, “Translations” que acabou de sair e que vcs já vão poder conferir aqui no Art Rock.

Naturalmente não precisamos apresentar Peter Hammill, que é conhecido de todo bom fã de progressivo… ainda mais para os nossos ouvintes, visto que nunca deixamos de trazer o grande Van der Graaf Generator no nosso programa… por isso só vamos começar lembrando que, longe de estar aposentado, ele está em um momento bem ativo de sua carreira, concentrando-se em trabalhos solo…

Depois do último registro estúdio do Van der Graaf, o álbum “Do Not Disturb” de 2016, o iato do grupo abriu caminho para Peter Hammill se voltar para a carreira solo… na verdade, ele sempre lançou muito mais trabalhos individuais do que em grupo, com mais de 30 álbuns solo desde “Fools Mate” de 71.

Mas para o programa de hoje vamos começar trazendo um trabalho diferente, em colaboração com o grande grupo sueco Isildur’s Bane… um veterano dos anos 70, com nome inspirado no Senhor dos Anéis e dono de uma ampla discografia, que inclui álbuns recentes junto de grandes nomes do prog… Steve Hogarth do Marillion, Pat Mastelotto do King Crimson e, por último, Peter Hammill, que gravou com eles “In Amazonia” em 2019… e que vocês vão ouvir na primeira parte do programa de hoje

Você ouviram “Before you Know it”, “This is Where” e “The Day is Done”, com o Isildur’s Bane & Peter Hammill.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Nós vamos continuar com o grande Peter Hammill, agora com faixas do seu álbum mais recente, “Translations”, um lançamento de 2021…

Esse trabalho teve sua origem em 2020, quando Peter Hammill sentiu um bloqueio criativo durante o lockdown na Inglaterra… como é um daqueles músicos que não consegue ficar parado, ele acabou seguindo o exemplo de Robert Fripp e começou a trabalhar em algumas covers para passar o tempo… mas, com um pique muito mais sério do que as investidas frippianas…

O resultado desse esforço solitário seria um conjunto de canções clássicas unidas pela temática envolvendo a solidão, a perda de sentido e a inquietude… bem ao gosto de Peter Hammill… somente três eram faixas em inglês, as demais ele mesmo traduziu do francês, italiano e alemão…

Nos encartes o velho Hammill comenta como a perda da liberdade de movimento causada pela pandemia ecoava para ele a outra perda de movimento sofrida por ele e todos os seus concidadãos, com a estupidez xenofóbica do brexit… que agora furtava aos britânicos a liberdade que antes tinham como cidadãos europeus… seu olhar arguto e sua interpretação angustiada como sempre estão perfeitas, confiram…

Vocês ouviram Peter Hammill com “Hotel Supramonte”, “Oblivion”, “After a Dream”, “Ballad for my Death”, “I Who Have Nothing” e “Il Vino”… faixas do álbum  “Translations”, que inclui covers que vão de Piazzolla a Ben E. King… e muitos outros. O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação são de Vidal Costa e a edição de áudio de Araly Moser… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você faz downloads do conteúdo do programa e também deixa o seu recado… e agora você também pode curtir novamente o programa acessando o site https://paranaeducativa.pr.gov.br clique no link “podcast” e selecione “Art Rock” para escutar ou baixar o programa… tenham uma boa noite e até a semana que vem…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

ISILDUR’S BANE & PETER HAMMILL

BG: UNDER THE CURRENT         

  1. BEFORE YOU KNOW IT – 7:49
  2. THIS IS WHERE – 10:09
  3. THE DAY IS DONE – 9:08

BG: AGUIRRE

TOTAL – 27:05

PETER HAMMILL

BG: THE FOLKS WHO LIVE ON THE HILL

  1. HOTEL SUPRAMONTE – 5:10
  2. OBLIVION – 4:48
  3. AFTER A DREAM – 2:44
  4. BALLAD FOR MY DEATH – 4:11
  5. I WHO HAVE NOTHING – 2:48
  6. IL VINO

BG: THIS NEARLY WAS MINE

TOTAL – 23:20

TOTAL GERAL: 50:25

Ouça o Art Rock com Peter Hammill que foi ao ar no dia 03/07/2021, clicando aqui.

Cybotron

Posted in Programas with tags on 03/07/2021 by Art Rock

Boa noite… no programa de hoje vamos dar a volta ao mundo, que é redondo, para trazer um dos representantes do progressivo australiano, o Cybotron.

Com um nome que parecia tirado da série Doctor Who, esse grupo surgiu em Melbourne, na Austrália, em 1975, em torno dos multi-instrumentistas Steve Maxwell Von Braund e Geoff Green… os dois já haviam colaborado no disco solo de Steve, “Monster Planet” que havia sido lançado no começo daquele ano e contava com a colaboração de membros do Bill Thorpe and The Aztecs e de Jim Keays do Masters Aprentices…

A experiência acabou evoluindo para um novo projeto, o grupo Cybotron, que conseguiu um contrato com o selo local Clear Light of Jupiter e lançaria um álbum homônimo em 76, com temática sci-fi dominada por teclados com claras influências do grande Hawkwind, mas uma sonoridade espacial que também bebia na fonte dos grandes nomes do eletrônico alemão…

Tangerine Dream, Ash Ra Tempel e até Kraftwerk são referências que vêm à mente neste primeiro trabalho, mas o grupo acrescentaria outros elementos em seu segundo disco, “Colossus” de 78, que já contava com o baterista e tecladista Colin Butcher e tinha um tom mais próximo do prog convencional… confiram um pouco desses dois trabalhos do Cybotron…

Você ouviram “Arrakis”, “Gods of Norse”, “Colossus”, “Raga” e “Ride” com o Cybotron.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Vamos continuar trazendo o som do Cybotron, que não teve uma carreira muito longa e às vezes é confundido com o grupo americano de mesmo nome que surgiu nos anos 80.

Mas, na época em que o Cybotron americano estava surgindo, seu homônimo australiano estava já encerrando atividades… depois da boa repercussão do seu segundo trabalho, que chegou a ser bem recebido na Europa e nos Estados Unidos, o grupo parecia estar a ponto de se firmar no cenário do prog rock, mesmo que este já não estivesse tão forte no final dos anos 70.

Infelizmente, Geoff Green acabou se desentendendo com Steve Von Braund e deixando o Cybotron… com isso, Steve foi obrigado a gravar o terceiro álbum do grupo sem o amigo e “Implosion” de 1980 teria uma sonoridade com pitadas um pouco mais comerciais em alguns momentos…

A faixa “Eureka” chegou a ser bem recebida nos Estados Unidos, mas a essa altura o Cybotron já havia se separado… só em 2002 os álbuns seriam lançados em CDs remasterizados, incluindo faixas do seu 4º. Trabalho, “Abbey Moor”, que havia sido planejado para 1981, mas não tinha sido lançado… confiram mais um pouco desse rock eletrônico australiano que quase foi esquecido…

Vocês ouviram o Cybotron australiano com “Implosion”, “Encounter”, “March” e “Abbey Moor”…

O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação são de Vidal Costa e a edição de áudio de Araly Moser… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você faz downloads do conteúdo do programa e também deixa o seu recado… e agora você também pode curtir novamente o programa acessando o site https://paranaeducativa.pr.gov.br clique no link “podcast” e selecione “Art Rock” para escutar ou baixar o programa… tenham uma boa noite e até a semana que vem…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

CYBOTRON

BG: RIDE TO INFINITY     

  1. ARRAKIS – 5:56
  2. GODS OF NORSE – 4:42
  3. COLOSSUS – 3:56
  4. RAGA – 6:20
  5. RIDE – 4:41

BG: MEDUSA

TOTAL – 25:31

CYBOTRON

BG: EUREKA

  1. IMPLOSION – 8:53
  2. ENCOUNTER – 6:08
  3. MARCH – 4:37
  4. ABBEY MOOR – 5:06

BG: UNORGANIZATION

TOTAL – 24:44

TOTAL GERAL: 50:15

Ouça o Art Rock com Cybotron que foi ao ar no dia 26/06/2021, clicando aqui.

Fufluns

Posted in Programas with tags on 24/06/2021 by Art Rock

Boa noite… hoje teremos um programa especial, pois vamos trazer um supergrupo italiano, o genial Fufluns, que foi uma recomendação do nosso amigo Rubens Sílvio e também uma colaboração dos próprios integrantes do grupo…

Formado em 2009, o Fufluns é uma amostra da vitalidade do prog rock na Itália… ele surgiu da reunião de membros de grandes bandas progressivas: o vocalista Simone Cecchini do Bacio Della Medusa, o tecladista Alfio Costa do Prowlers e do DAAL, o baixista Guglielmo Mariotti do La Bocca Della Verita e o baterista Maurizio Di Tollo do La Maschera Di Cera…

O nome tinha origem mitológica, mas eles não buscaram o convencional… em vez de escolher alguma divindade do panteão greco-romano, eles resolveram resgatar algo mais antigo… Fufluns, o deus etrusco das plantas, da alegria, do vinho, da saúde e do crescimento… uma entidade defensora da natureza para uma época em que esses valores tanto precisam ser defendidos.

A ideia era compor material próprio, enquanto seus integrantes continuavam levando adiante seus outros projetos… mas Maurizio Di Tollo acabou saindo em 2015, antes de lançarem o primeiro álbum, que só saiu depois da entrada do guitarrista Stefano Piazzi e do baterista Marco Freddi, ambos do Prowlers… e nós vamos começar trazendo um pouco do primeiro álbum do Fufluns, “Spaventapasseri”, de 2016… mas antes, confiram a mensagem de Simone Cecchini especialmente para o nosso programa…

Você ouviram “Stella del Vespro”, “Maestrale”, “Scirocco”, e “Addio ai Corvi” com o Fufluns…

A gente volta já… mas antes vocês vão ouvir a mensagem de Guglielmo Mariotti aqui para o Art Rock…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E nós vamos continuar com o supergrupo italiano Fufluns, agora com o seu lançamento de 2021, o álbum “Refusés”, que acabou de sair e que nós temos o privilégio de trazer para os nossos ouvintes aqui no Art Rock…

O contato com os integrantes do Fufluns foi graças ao nosso amigo Rubens Sílvio da RST Rádio Rock e é com grande prazer que nós trazemos agora o novo trabalho desse representante da grande escola progressiva italiana, que continuou viva e forte enquanto tantas outras fraquejavam… e que ainda hoje, em meio à pandemia, é capaz de nos surpreender com trabalhos brilhantes.

Depois do conceitual “Spaventapasseri” o grupo não encerraria atividades, mas ele não continuaria em primeiro plano… Il Bacio Della Medusa lançaria dois álbuns: “Seme” e “AnimAcusticA”, enquanto o DAAL de Alfio Costa gravava “Navels Falling Into a Living Origami”… mas, em 2021, eles voltariam para as ricas paisagens melódicas do Fufluns…

O tema de “Refusés” já está no nome, os recusados da nossa desinteressada realidade… e isso mostra que o velho Deus da Natureza dos etruscos não perde de vista o sentido de completude… e, como o animal humano faz parte do mundo natural, também merecem a sua atenção todos os membros da nossa pretenciosa espécie, que tanto aprecia correr atrás do privilégio de poucos esquecendo os direitos dos demais… confiram esse belo trabalho, mas primeiro vocês ficam com mais uma mensagem para o nosso programa, agora do tecladista Alfio Costa…

Vocês ouviram “Sierra Leone”, “Martirio D’un Falegname” e “Canto Dei Bambini Senza Voce”, faixas do álbum “Refusés” do Fufluns… e para os seus talentosos integrantes, só posso dizer: vorrei ringraziarvi tantissimo per questo contributo, ragazzi…

O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação são de Vidal Costa e a edição de áudio de Araly Moser… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você faz downloads do conteúdo do programa e também deixa o seu recado… e agora você também pode curtir novamente o programa acessando o site https://paranaeducativa.pr.gov.br clique no link “podcast” e selecione “Art Rock” para escutar ou baixar o programa… tenham uma boa noite e até a semana que vem…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

FUFLUNS

BG: COME UN SALICE

ANTES DAS FAIXAS – VINHETA SIMONE

  1. STELLA DEL VESPRO – 5:51
  2. MAESTRALE – 5:18
  3. SCIROCCO – 7:00
  4. ADDIO AI CORVI – 6:38

BG: IL FOCO

DEPOIS DO DESANÚNCIO – VINHETA ALFIO COSTA

TOTAL – 24:47

FUFLUNS

BG: BLU OLTREMARE

  1. SIERRA LEONE – 9:10
  2. MARTIRIO D’UN FALEGNAME – 6:45
  3. CANTO DEI BAMBINI SENZA VOCE – 8:58

BG: IL TRUFATORE DELLO STARI MOST

TOTAL – 24:53

TOTAL GERAL: 49:40

Ouça o Art Rock com Fufluns que foi ao ar no dia 19/06/2021, clicando aqui.

Curved Air

Posted in Programas with tags on 14/06/2021 by Art Rock

Boa noite… no programa de hoje vamos trazer um dos grandes grupos do prog. britânico… o Curved Air, para homenagear o baterista Florian Pilkington-Miksa, que deixou o nosso devastado plano da realidade em maio de 2021.

Já trouxemos outras vezes o grupo de Sonja Khristina aqui no Art Rock, inclusive para anunciar o seu retorno em 2008, mas é sempre bom lembrar um pouco da sua história, que começou no final dos anos 60, no grupo Sisyphus, que já contava com Darryl Way e Francis Monkman em sua formação, juntamente de Florian Pilkington-Miksa na bateria.

Mas o grupo só conseguiria chamar a atenção depois da entrada da vocalista Sonja Kristina em 1970 e também da mudança de nome para Curved Air, inspirado no álbum “A Rainbow in Curved Air” de Terry Riley… e o trabalho de estreia deles, “Airconditioning”, sairia ainda naquele ano, com bastante apoio da gravadora Warner Bros., que chegou a garantir pagamento adiantado para o grupo e também lançaria uma edição especial do álbum em formato Picture Disc… o primeiro a sair no Reino Unido.

A carreira do Curved Air foi conturbada e isso contribuiu para prejudicar suas chances de sobrevivência no cenário do rock inglês da década de 70… mas, mesmo assim, eles lançaram alguns belos trabalhos antes da segunda e mais duradoura separação em 1976… mas vamos começar trazendo um pouco do último trabalho da sua primeira fase, o excelente “Phantasmagoria” de 72, cujo nome foi inspirado no poema de Lewis Carroll…

Vocês ouviram “Marie Antoinete”, “Melinda (More Or Less)”, “Ultra Vivaldi”, “Phantasmagoria” e “Over And Above”… com o Curved Air

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E nós vamos continuar trazendo o grande Curved Air, com um pouco do álbum “North Star” de 2014…

Depois de uma volta às pressas em 74 para cumprir obrigações contratuais com a Chrysalis Records, Darryl Way e Sonja Kristina resolveram levar adiante a reunião, trazendo membros do Stark Naked e do Car Thieves para completar o time, incluindo um novo baterista, Stewart Copeland, que era irmão do novo manager do grupo e que no futuro seria mais lembrado como membro do Police.

Essa nova fase renderia bons trabalhos, mas também não duraria muito tempo… apesar da qualidade do seu som, o Curved Air acabaria tendo uma discografia com mais álbuns ao vivo, alguns registrando retornos, como é o caso de “Alive, 1990”, gravado em uma apresentação no Town & Country Club, em Londres, em um show com a formação clássica, que acabaria sendo lançado só no ano 2000…

Uma volta para valer teve que esperar até 2008, quando alguns dos membros originais se reuniram para o lançamento da Box-set “Reborn”… e continuariam em frente mesmo depois de algumas desistências… mas Florian Pilkington-Miksa estava lá com Sonja Kristina no único registro de estúdio dessa fase, o álbum “North Star” de 2014… ele só deixaria o Curved Air em 2017 por problemas de saúde… e é um pouco desse belo trabalho que nós vamos trazer para homenageá-lo agora, em sua derradeira partida…

Vocês ouviram o Curved Air com “Stay Human”, “Time Games”, “Images and Signs”, “Interplay” e, para fechar, “Spirits in the Material World”, uma cover do grupo The Police.

O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação são de Vidal Costa e a edição de áudio de Araly Moser… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você faz downloads do conteúdo do programa e também deixa o seu recado… e agora você também pode curtir novamente o programa acessando o site https://paranaeducativa.pr.gov.br clique no link “podcast” e selecione “Art Rock” para escutar ou baixar o programa… tenham uma boa noite e até a semana que vem…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

CURVED AIR

BG – ONCE A GHOST, ALWAYS A GHOST

  1. MARIE ANTOINETE – 6:18
  2. MELINDA (MORE OR LESS) – 3:24
  3. ULTRA VIVALDI – 1:22
  4. PHANTASMAGORIA – 3:13
  5. OVER AND ABOVE – 8:33

BG – NOT QUITE THE SAME

TOTAL – 22:50

CURVED AIR

BG – MAGNETISM

  1. STAY HUMAN – 3:50
  2. TIME GAMES – 6:24
  3. IMAGES AND SIGNS – 6:45
  4. INTERPLAY – 5:42
  5. SPIRITS IN THE MATERIAL WORLD – 4:59

BG – PUPETS

TOTAL – 27:39

TOTAL GERAL: 50:29

Ouça o Art Rock com Curved Air que foi ao ar no dia 05/06/2021, clicando aqui.

Cornucopia & Birth Control

Posted in Programas with tags , on 14/06/2021 by Art Rock

Boa noite… hoje no programa faremos nossa costumeira passagem pelo prog germânico, o popular krautrock, e começando com um daqueles grandes grupos de um disco só… o Cornucopia.

Já trouxemos uma vez esse grupo de sete integrantes no programa, mas como faz muito tempo, vale a pena lembrar que eles eram liderados pelo tecladista e guitarrista Christoph Hardwig, e misturavam elementos bem distintos na sua sonoridade, com as viajantes paisagens do space rock dialogando com as estruturas truncadas do canterbury sound… e eles conseguiram um contrato graças à atitude aberta do famoso selo Brain, que era conhecido por não recusar bandas com propostas sonoras diferentes.

O primeiro álbum, “Full Horn”, sairia em 73… mas a liberdade e o apoio oferecidos pela Brain Records não seriam garantia de uma ampla penetração no mercado musical europeu… e como os membros do Cornucopia tinham uma abordagem mais focada na música e sem recursos para excursões extensas, eles acabaram não indo muito longe.

Com apenas um único registro de estúdio, o grupo acabou se separando pouco tempo depois e o álbum “Full Horn” se tornaria uma raridade para colecionadores… até ser finalmente relançado em CD pela Repertoire Records, que sempre foi especializada nesse tipo de som do lado mais obscuro do rock… confiram um pouco desse fragmento quase perdido do prog alemão.

Você ouviram “Morning Sun”, “Spo on you kids” e “And the Madness” com o Cornucopia…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer um grupo que teve uma carreira muito mais bem sucedida, e que ainda está em atividade… o Birth Control.

Formado em Berlin em 1966 por membros dos grupos The Earls e The Gents, o Birth Control começou como uma banda pop com sete integrantes… mas, na época em que chegaram a gravar seu álbum homônimo, em 1970, todos já haviam sido substituídos e seria sob a liderança do baterista e futuro vocalista Bernd Noske, que havia entrado em 68, que eles seguiriam em frente.

Seus primeiros registros de estúdio tinham uma sonoridade mais pesada, bem ao gosto do rock germânico, com os órgãos Hammond que ecoavam as atmosferas do grande Deep Purple em seus diálogos com a guitarra de Bruno Frenzel… mas eles mergulhariam mais claramente no progressivo a partir da chegada do tecladista Zeus Held, que entraria para o grupo em 73…

Com uma carreira que já passou das cinco décadas, o Birth Control é um daqueles grupos que renderiam muitos programas, por isso vamos nos concentrar hoje só no começo da sua fase dos anos 70, com faixas de dois dos seus trabalhos mais respeitados… “Operation” de 71 e “Plastic People” de 75…

Vocês ouviram o Birth Control com “Stop Little Lady”, “The Work is Done”, “Plastic People” e “This Song is Just for You”.

O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação são de Vidal Costa e a edição de áudio de Araly Moser… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você faz downloads do conteúdo do programa e também deixa o seu recado… e agora você também pode curtir novamente o programa acessando o site https://paranaeducativa.pr.gov.br clique no link “podcast” e selecione “Art Rock” para escutar ou baixar o programa… tenham uma boa noite e até a semana que vem…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

CORNUCOPIA

BG: DAY OF A DAYDREAMBELIEVER

  1. MORNING SUN – 3:06
  2. SPOT ON YOU KIDS – 12:22
  3. AND THE MADNESS – 4:01

BG: DAY OF A DAYDREAMBELIEVER

TOTAL – 19:29

BIRTH CONTROL

BG: FLESH AND BLOOD

  1. STOP LITTLE LADY – 7:18
  2. THE WORK IS DONE – 6:00
  3. PLASTIC PEOPLE  – 9:22
  4. THIS SONG IS JUST FOR YOU – 7:26

BG: ROCKIN’ ROLLIN’ ROLLER

TOTAL – 29:22

TOTAL GERAL: 49:35

Ouça o Art Rock com Cornucopia & Birth Control que foi ao ar no dia 12/06/2021, clicando aqui.

Spirit

Posted in Programas with tags on 04/06/2021 by Art Rock

Boa noite… teremos hoje um grupo que não trazemos há décadas no programa, o genial Spirit, de Randy California.

Como faz muito tempo que o Spirit não se fazia presente aqui no Art Rock, vale a pena lembrar a sua história, que começa quando Randy Wolfe deixou o Jimmy James and the Blue Flames, onde tocava com Jimmy Hendrix… era 1966 e ele manteve o apelido que Hendrix havia lhe dado, Randy California, quando voltou para o seu estado natal tentar a sorte com outro grupo.

Na ensolarada California e voltando para sua cidade natal, Los Angeles, Randy assumiu  como vocalista e guitarrista no grupo The Red Roosters, junto de Mark Andes no baixo, e Jay Ferguson nos vocais e percussão… eles não eram muito conhecidos, mas isso iria mudar com a entrada de John Locke para os teclados e de Ed Cassidy, que era padrasto de Randy, para a bateria.

Inspirados em Kahlil Gibran eles adotaram o nome Spirt Rebelious… mas seria simplesmente como Spirit que lançariam em 68 o seu primeiro álbum, que foi bem recebido e os levou a lançar ainda no mesmo ano outro trabalho: “The Family that Plays Together”… vamos conferir um pouco desse brilhante começo de carreira do grupo.

Vocês ouviram o Spirit com “Fresh Garbage” e “Uncle Jack”, depois foi a famosa “Taurus” (que o Led Zeppelin plagiou na clássica introdução de “Starway to Heaven”)… na sequência vocês ouviram “Girl In Your Eye”, “I Got A Line On You”, “It Shall Be”, “All The Same” e “Dream Within A Dream”.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Vamos continuar com o Spirit, que alcançou um status cult com o passar dos anos, principalmente pelos seus primeiros álbuns, entre 68 e 72.

O terceiro álbum, “Clear”, lsaiu em 69… mas seria no trabalho seguinte que o Spirit realmente cristalizaria a sua proposta musical… “Twelve Dreams of Dr. Sardonicus”, de 70, levou a rica construção melódico/poética do grupo ao seu ponto mais elaborado, com uma temática existencialista que era também um reflexo das tensões internas no grupo… ajudando-os a criar uma obra clássica.

Mas logo isso levaria à saída de Mark Andes e Jay Ferguson… e o Spirit ainda nem havia se reestruturado direito quando Randy California se feriu quando estava cavalgando e não pôde participar das excursões… ele também não participaria do álbum “Feedback” de 72 e chegaria a lançar naquele ano o disco solo “Kapt. Kopter and the (Fabulous) Twirly Birds”.

Ele voltaria para o Spirit e o grupo continuaria gravando, em meio a novas separações e também reuniões… mesmo sem a mesma repercussão, eles manteriam a presença com trabalhos ocasionais, mas Randy California deixaria a nossa realidade em 97, quando salvou o filho Quinn que estava se afogando, mas não conseguiu salvar a si mesmo… depois disso, o Spirit permaneceria apenas como memória… fiquem com faixas da trilha para “Model Shop” e dos álbuns “Clear” e “Twelve Dreams of Dr. Sardonicus”…

Vocês ouviram “The Moving Van”, “Dark Eyed Woman”, “Clear”, “New Dope In Town”, “Prelude – Nothing To Hide”, “Nature’s Way”, “Animal Zoo” e “Why Can’t I Be Free”… com o Spirit. O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação são de Vidal Costa e a edição de áudio de Araly Moser… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você faz downloads do conteúdo do programa e também deixa o seu recado… e agora você também pode curtir novamente o programa acessando o site https://paranaeducativa.pr.gov.br clique no link “podcast” e selecione “Art Rock” para escutar ou baixar o programa… tenham uma boa noite e até a semana que vem…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

SPIRIT

BG – THE GREAT CANYON FIRE IN GENERAL

  1. FRESH GARBAGE – 3:12
  2. UNCLE JACK – 2:44
  3. TAURUS – 2:37
  4. GIRL IN YOUR EYE – 3:15
  5. I GOT A LINE ON YOU – 2:36
  6. IT SHALL BE – 3:03
  7. ALL THE SAME – 4:47
  8. DREAM WITHIN A DREAM – 3:01

BG – WATER WOMAN

TOTAL – 25:14

SPIRIT

BG – EVENTIDE

  1. THE MOVING VAN – 1:57
  2. DARK EYED WOMAN – 3:07
  3. CLEAR – 4:08
  4. NEW DOPE IN TOWN – 4:24 1638
  5. PRELUDE – NOTHING TO HIDE – 3:43
  6. NATURE’S WAY – 2:40
  7. ANIMAL ZOO – 3:11
  8. WHY CAN’T I BE FREE – 1:05

BG – CORAL

TOTAL – 24:15

TOTAL GERAL: 49:29

Ouça o Art Rock com Spirit que foi ao ar no dia 29/05/2021, clicando aqui.

Pineapple Thief

Posted in Programas with tags on 27/05/2021 by Art Rock

Boa noite… hoje teremos no programa um grupo que já trouxemos algumas vezes aqui no Art Rock e que lançou mais um belo trabalho em 2020… o Pineapple Thief…

Esse grupo britânico formado nos anos 90 foi uma criação do vocalista e guitarrista Bruce Soord, ex-Vulgar Unicorn, e desde o começo ele foi a grande força criativa do Pineapple Thief… e a boa repercussão de seus primeiros trabalhos só foi acentuada depois de “Variations on a Dream” de 2003…

A partir daí eles lançaram excelentes álbuns, muitos dos quais nós já trouxemos aqui no Art Rock, inclusive “Dissolution”, seu trabalho de 2018, que, apesar do nome, não representou a dissolução da banda… ao contrário… a entrada de Gavin Harrison para a bateria em 2016 renovou o potencial criativo do Pineapple Thief, o que é visível pela sua participação na composição das faixas, junto com Bruce Soord.

Na época em que entrou para o grupo, Gavin já tinha uma carreira prestigiada, tanto como baterista session quanto como membro do Porcupine Tree e do King Crimson… e ele começou apenas como convidado no álbum “Your Wilderness” de 2016, mas em “Dissolution” já era apresentado como membro oficial e está mais consolidado ainda em “Versions of the Truth”, que vocês vão poder conferir na segunda parte do programa… fiquem agora com faixas de “Hold our Fire”, o ao vivo de 2019.

Vocês ouviram “Try as I Might”, “Threatening War”, “Far Below” e “3000 days” com o Pineapple Thief.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora nós vamos trazer o álbum “Versions of the Truth”, o mais recente trabalho do Pineapple Thief…

“Versions of the Truth” saiu em quatro de setembro de 2020, como sempre pelo selo independente Kscope, que é especializado em música progressiva e é um dos mais importantes do cenário do prog britânico da última década… garantindo um ambiente livre de pressões mercadológicas para a criatividade dos muitos grupos contratados.

As limitações da pandemia impediram que o Pineapple Thief saísse em tour, por isso eles resolveram adotar uma estratégia diferente para promover o álbum agora em 2021… entre 22 e 26 de abril foi disponibilizado um show gravado ao vivo no Millenium Studios, em uma produção especial e sem audiência, só com o grupo reunido para apresentar o show que tinha sido planejado para a cancelada tour mundial.

Com a ajuda de George Laycock, responsável pelos seus vídeos mais recentes, eles criaram um verdadeiro registro ao vivo, e mantiveram também o clima de show com a exibição sendo restrita a apenas quatro dias consecutivos por stream e com os “ingressos virtuais” disponíveis pelo site do Pineapple Thief… quem sabe eles ainda lancem esse material como um álbum ao vivo no futuro… mas, nesta segunda parte do programa vocês vão poder conferir um pouco de “Versions of the Truth” de 2020…

Com o Pineapple Thief vocês ouviram “Versions of the Truth”, “Demons”, “Leave me Be”, “Our Mire” e “Out of Line”…

O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação são de Vidal Costa e a edição de áudio de Araly Moser… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você faz downloads do conteúdo do programa e também deixa o seu recado… e agora você também pode curtir novamente o programa acessando o site https://paranaeducativa.pr.gov.br clique no link “podcast” e selecione “Art Rock” para escutar ou baixar o programa… tenham uma boa noite e até a semana que vem…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

PINEAPPLE THIEF

BG – UNCOVERING YOUR TRACKS

  1. TRY AS I MIGHT – 4:50
  2. THREATENING WAR – 6:44
  3. FAR BELOW – 4:42
  4. 3000 DAYS – 7:16

BG – ALL THAT YOU’VE GOT

TOTAL – 23:31

PINEAPPLE THIEF

BG – BREAK IT ALL

  1. VERSIONS OF THE TRUTH – 5:40
  2. DEMONS – 4:33
  3. LEAVE ME BE – 4:14
  4. OUR MIRE – 7:27
  5. OUT OF LINE – 4:00

BG – DRIVING LIKE MANIACS

TOTAL – 25:53

TOTAL GERAL: 49:24

Ouça o Art Rock com Pineapple Thief que foi ao ar no dia 22/05/2021, clicando aqui.

Fleesh

Posted in Produto Nacional, Programas with tags on 21/05/2021 by Art Rock

Boa noite… no programa de hoje vamos atender ao pedido do nosso ouvinte João Cucci Neto, que sugeriu um especial com uma banda nacional dona de uma produção invejável, o Fleesh.

Formado pela dupla Celo Oliveira e Gabby Vessoni, o Fleesh começou em 2014 a partir do desejo de materializar toda uma gama de influências musicais em um projeto onde seus talentos se completassem… e, no começo, eles nem eram totalmente voltados para o rock progressivo…

Celo Oliveira era figura conhecida no universo do rock pesado nacional, tanto como multi-instrumentista em vários grupos, como na posição de produtor, tendo trabalho em centenas de discos desde 1999 e, além disso, mantém desde 2013 a Kolera Produtora e Home Studio… já Gabby Vessoni, além da música tem uma carreira como artista gráfica e com edição de vídeos para inúmeras bandas… o que não a impediu de se revelar uma excelente vocalista no Fleesh.

Em 2015 foi lançado o álbum “My Real Life” de forma independente, mas depois a banda mudou de estratégia, lançando uma série de tributos em seu canal do YouTube, retrabalhando clássicos em seu próprio estilo, onde a bela voz de Gabby se cruza perfeitamente com as ricas paisagens sonoras meticulosamente construídas por Celo Oliveira… mas vamos primeiro conferir um pouco dos álbuns originais do Fleesh, fiquem com faixas de “What I Found” de 2015 e “Across the Sea” de 2019.

Vocês ouviram o Fleesh com “Frankenstein”, “Blood on the Street”, “The Beginning” e “Weight of the World”…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E nós vamos trazer mais um pouco do Fleesh, essa excelente banda brasileira que já alcançou repercussão internacional e mostra que ainda é possível fazer rock progressivo no Brasil.

Graças à qualidade do seu acervo crescente de versões e tributos e à possibilidade de divulgação instantânea pelo YouTube, o Fleesh conquistou uma audiência internacional, com o tempo direcionando o trabalho cada vez mais para o prog. rock… e essa tendência acabou sendo retroalimentada com a ajuda do feedback dos fãs nos espaços de divulgação pela internet.

Em 2017 foi lançado um álbum tributo ao Rush, intitulado “The Next Hemisphere”, usando financiamento por crowdfunding… depois em 2018 eles repetiriam a dose com o duplo “Script for a New Season”, reinterpretando clássicos do Marillion… e, em 2019, logo depois de lançar seu terceiro álbum de faixas originais, a dupla se organizou para fazer shows ao vivo pela primeira vez.

Apresentaram-se nos Estados Unidos e depois no Brasil, lançando um DVD que foi seguido por mais dois tributos em 2020, o primeiro para o Renaissance e o segundo para o Genesis… vamos fechar com faixas deste lado tributo do Fleesh, extraídas de “Versions Vol I”, “The Next Hemisphere”, “In the Mist of Time” e “Here it Comes Again”…

Vocês ouviram “Shadows of the Hierophant” de Steve Hackett, “Book of Saturday” do King Crimson, “Nobody’s Hero” do Rush, “Carpet of the Sun” do Renaissance e “Carpet Crawlers” do Genesis… todas em versões da banda carioca Fleesh…

O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação são de Vidal Costa e a edição de áudio de Araly Moser… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você faz downloads do conteúdo do programa e também deixa o seu recado… e agora você também pode curtir novamente o programa acessando o site https://paranaeducativa.pr.gov.br clique no link “podcast” e selecione “Art Rock” para escutar ou baixar o programa… tenham uma boa noite e até a semana que vem…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

FLEESH

BG – IF I

  1. FRANKENSTEIN – 5:46
  2. BLOOD ON THE STREET – 8:00
  3. THE BEGINNING – 4:29
  4. WEIGHT OF THE WORLD – 6:11

BG – GOOD LUCK

TOTAL – 24:26

FLEESH

BG – THE BEGINNING AND THE END

  1. SHADOW OF THE HIEROPHANT – 8:51
  2. BOOK OF SATURDAY – 3:21
  3. NOBODY’S HERO – 4:50
  4. CARPET OF THE SUN – 3:35
  5. CARPET CRAWLERS – 5:18

BG – HELPLESS

TOTAL – 25:55

TOTAL GERAL: 50:21

Ouça o Art Rock com Fleesh que foi ao ar no dia 15/05/2021, clicando aqui.

Strawbs

Posted in Programas with tags on 17/05/2021 by Art Rock

Boa noite… hoje vamos trazer no programa uma colaboração do nosso amigo Rubens Sílvio da RST Radio Rock, que nos passou o novo trabalho de uma das lendas do rock inglês, o genial Strawbs…

Já trouxemos o Strawbs outras vezes no Art Rock, mas sempre vale lembrar que ele surgiu em 64 na região de Strawberry Hill em Londres e é por isso que, originalmente, o nome do grupo era The Strawberry Hill Boys… mas eles já contavam em sua formação com o guitarrista e vocalista Dave Cousins, que é o único membro constante até hoje, quase 60 anos depois…

Muitos músicos entraram e saíram desse grande grupo, incluindo figuras importantes do rock inglês como os vocais de Sandy Denny e Sonja Kristina, o baixo de John Ford e Linday Cooper… e, nos teclados, uma lista respeitável que começou com nada menos que Rick Wakeman e continuaria com outros grandes tecladistas como Derek “Blue” Weaver, John Hawken e Don Airey, entre outros…

Mas vamos começar trazendo um álbum que registrou uma participação muito especial na árvore genealógica dos Strawbs… quando Oliver Wakeman, filho de Rick Wakeman, integrou a formação da antiga banda que havia lançado a carreira do seu pai… ele participaria de “Dancing to the Devil’s Beat” de 2009… e é um pouco desse trabalho que vocês vão poder ouvir nessa primeira parte do programa de hoje.

Vocês ouviram o Strawbs com “Revenge (Can be so Sweet)”, “Pro Patria Suite”, “The Man who Would Never Leave Grimsby”, “Dancing to the Devil’s Beat” e “Oh How She Changed”.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E vamos continuar trazendo os Strawbs, agora com o novo álbum do grupo, “Settlement”, que acabou de sair e o nosso amigo Rubens Sílvio já conseguiu para a gente trazer aqui no Art Rock.

A formação atual dos Strawbs surgiu na metade da década passada… na época, Adam Wakeman já havia tomado o lugar do irmão Oliver como tecladista do grupo e participava de várias excursões, mas não chegou a gravar álbuns e foi substituído em 2016 por Dave Bainbridge.

O restante do grupo é formado por membros veteranos… além de Dave Cousins estão o guitarrista Dave Lambert, o baterista Tony Fernandes, e o baixista Chas Cronk… e essa formação já tinha lançado um álbum… “The Ferryman’s Curse”, em 2017… depois eles realizaram uma tour de aniversário, comemorando os 50 anos desde que adoram o nome Strawbs em 69… e eles contaram com convidados de peso como Annie Haslam, Larry Fast, Tony Visconti e Wesley Stace, entre outros.

E agora o Strawbs está aí com um novo trabalho que só vem a demonstrar a longevidade desses folk rockers, que continuam firmes e não se deixaram abater nem pela pandemia… o álbum tem a colaboração dos velhos companheiros John Ford e  Blue Weaver, que também cuidou da produção, e ainda a vocalista Cathryn Craig e o baixista Schalk Joubert… confiram um pouco desse belo trabalho…

Vocês ouviram “Settlement”, “Strange Times”, “Each Manner of Man”, “Quicksilver Days”, “We are Everyone” e “Chorale”, com o Strawbs.

O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação são de Vidal Costa e a edição de áudio de Araly Moser… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você faz downloads do conteúdo do programa e também deixa o seu recado… e agora você também pode curtir novamente o programa acessando o site https://paranaeducativa.pr.gov.br clique no link “podcast” e selecione “Art Rock” para escutar ou baixar o programa… tenham uma boa noite e até a semana que vem…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

STRAWBS

BG – BENEATH THE ANGRY SKY

  1. REVENGE (CAN BE SO SWEET)  5:18
  2. PRO PATRIA SUITE – 7:44
  3. THE MAN WHO WOULD NEVER LEAVE GRIMSBY – 5:01
  4. DANCING TO THE DEVIL’S BEAT – 3:38
  5. OH HOW SHE CHANGED – 4:21

BG – COPENHAGEN

TOTAL – 26:02

STRAWBS

BG – JUDGMENT DAY

  1. SETTLEMENT – 5:01
  2. STRANGE TIMES – 4:30
  3. EACH MANNER OF MAN – 4:28
  4. QUICKSILVER DAYS – 2:26
  5. WE ARE EVERYONE – 4:57
  6. CHORALE – 3:14

BG – FLYING FREE

TOTAL – 24:36

TOTAL GERAL: 50:47

Ouça o Art Rock com Strawbs que foi ao ar no dia 08/05/2021, clicando aqui.

Nad Sylvan

Posted in Programas with tags on 07/05/2021 by Art Rock

Boa noite… no programa de hoje vamos trazer uma colaboração do nosso amigo Almir Octávio: o novo trabalho do vocalista Nad Sylvan, que é conhecido dos bons progheads por seus álbuns junto do grande guitarrista Steve Hackett…

Ouvintes frequentes do Art Rock vão lembrar-se de ter ouvido Nad Sylvan no programa, tanto na sua carreira solo como em seus projetos Unifaun e Agents of Mercy, este último uma colaboração com Roine Stolt… mas nem mesmo os tempos de pandemia serviram para diminuir o ritmo desse músico incansável nascido dos Estados Unidos, mas criado na Suécia… e ele acabou de lançar o álbum “Spiritus Mundi”.

Mas, antes de ouvir esse novo trabalho, vamos começar trazendo um pouco de seu terceiro álbum, “Sylvanite”, que ele gravou na época em que incorporou de vez a sua nova persona, deixando de usar o nome Chris Stewart e passando desde então a ser conhecido como Nad Sylvan.

Não tinha sido a primeira vez que ele havia mudado de nome, mas a outra mudança tinha sido ideia da sua mãe… e ele havia permanecido como Chris Stewart até o final dos anos 90, quando trabalhava na opera-rock “The Life of a Housewife”, em homenagem a um amigo trans que havia se suicidado… vamos conferir um pouco desse momento de transformação representado pelo álbum “Sylvanite” de 2003…

Vocês ouviram Nad Sylvan com “Penthouse”, “McNamara’s Son”, “Hair down Tonight”, “Yellow Sky” e “Good Luck, Good Night, Good Bye”.

A gente volta já.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer o álbum “Spiritus Mundi” de Nad Sylvan, que acabou de sair e vocês vão conferir graças à colaboração do nosso amigo Almir Octávio…

Este álbum é o resultado dos talentos combinados de Nad Sylvan e de Andrew Laitres… juntos, eles se dedicaram a criar uma interpretação musical para obras do grande poeta William Butler Yeats, um dos mais importantes autores de língua inglesa do século XX… o resultado é uma viagem sonora construída sobre a força da poética desse irlandês que foi laureado com o prêmio Nobel de Literatura de 1923.

“Spiritus Mundi” é o primeiro registro de Nad desde “The Regal Bastard”, que foi o disco final da sua trilogia do vampirato… seus trabalhos seguintes foram com o projeto Genesis Revisted de Steve Hackett… mas essas suas frequentes colaborações com o genial ex-guitarrista do Genesis só contribuíram para direcionar a estética da sua criatividade sem comprometer a sua originalidade.

Neste novo disco Nad cuida da maioria dos teclados e outros instrumentos… mas ele não está sozinho, além da ajuda de Andrew Laitres, o álbum conta com Jonas Reingold e Tony Levin no baixo, Mirkko De Maio na bateria e de Steve Hackett na guitarra de 12 cordas… confiram um pouco dessa pequena obra-prima de Nad Sylvan…

Vocês ouviram “The Second Coming”, “Sailing to Byzantium”, “Cap and Bells”, “The Stolen Child” e “The Hawk”… com Nad Sylvan.

O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação são de Vidal Costa e a edição de áudio de Araly Moser… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você faz downloads do conteúdo do programa e também deixa o seu recado… e agora você também pode curtir novamente o programa acessando o site https://paranaeducativa.pr.gov.br clique no link “podcast” e selecione “Art Rock” para escutar ou baixar o programa… tenham uma boa noite e até a semana que vem…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

NAD SYLVAN

BG – LOVE AIN’T NO LOSER

  1. PENTHOUSE – 4:13
  2. MCNAMARA’S SON – 5:21
  3. HAIR DOWN TONIGHT – 4:20
  4. YELLOW SKY – 4:46
  5. GOOD LUCK, GOOD NIGHT, GOOD BYE – 4:34

BG – THE GREATEST STORY EVER TOLD

TOTAL – 23:13

NAD SYLVAN

BG – THE FISHERMAN

  1. THE SECOND COMING – 6:58
  2. SAILING TO BYZANTIUM – 6:40
  3. CAP AND BELLS – 4:48
  4. THE STOLEN CHILD – 4:58
  5. THE HAWK – 4:10

BG – YOU’VE GOT TO FIND A WAY

TOTAL – 27:34

TOTAL GERAL: 50:47

Ouça o Art Rock com Nad Sylvan que foi ao ar no dia 01/05/2021, clicando aqui.