Arquivo para novembro, 2008

Jimi Hendrix & Mahavishnu Orchestra

Posted in Programas with tags , on 25/11/2008 by Artrock

“Boa noite, vamos começar o programa de hoje lembrando um dos grandes bateristas do rock dos anos 60… que atravessou o derradeiro portal na última quarta, dia 12 de novembro… o genial Mitch Mitchell.

Pouca gente sabe, mas Mitch começou sua carreira como um ator prodígio, estrelando um programa de TV da BBC quando ainda não tinha nem chegado à adolescência… mas ele se encontraria mesmo no rock, participando de várias bandas, inclusive dos Pretty Things, e ganhando fama por seu estilo inconfundível, que misturava a agressividade com a técnica…

eletricladyland

Foram essas características que levaram o baixista dos Animals, Chas Chandler, a chamar o garoto para tocar no grupo que ele estava formando, em torno de um jovem guitarrista americano… um tal Jimi Hendrix… e o resto, é lenda… a briga pelo posto de baterista do Experience seria decidida no cara e coroa, entre Mitch Mitchell e o grande Aynsley Dunbar… e Mitch acabaria sendo o escolhido.

Depois de fazer escola junto com Jimi e Noel Redding no Experience, Mitch seguiria com Hendrix no seu Band of Gypsys… e permaneceu como seu mais constante colaborador, continuando com ele até a sua partida do nosso plano da realidade em setembro de 1970… e agora foi a sua vez de deixar o mundo do rock um pouco mais silencioso…

Vocês ouviram “Gypsy Eyes”, “1983… (A Merman I Should Turn To Be)”, “Moon, Turn The Tides, Gently Gently Away” e “House Burning Down” com o Jimi Hendrix Experience… faixas extraídas do classico álbum “Eletric Ladyland”, de 1968… para lembrar o grande Mitch Mitchel.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer outro dos grandes guitarristas da história do rock, o genial John Mclaughlin e a sua Mahavishnu Orchestra.

birdsoffire

Infelizmente, a Mahavishnu não voltou à atividade, ainda que seu extraordinário guitarrista nunca tenha se aposentado e continue até hoje lançando trabalhos e excursionando com a mesma energia dos tempos em que ainda estava tocando ao lado de Billy Cobham, Jerry Goodman, Rick Laird e Jan Hammer.

Estes e outros músicos que estiveram na Mahavishnu Orchestra são todos donos de carreiras brilhantes, sendo que alguns ainda estão em plena atividade… mas é a guitarra de John Mclaughlin que ainda se faz ouvir com mais freqüência até os dias de hoje… não só em versões remasterizadas de seus álbuns clássicos, mas também em muitos outros projetos recentes.

Mas para o programa de hoje, nós selecionamos faixas de um dos melhores álbuns desse grande grupo, o excelente “Birds of Fire”, de 1973… um trabalho brilhante que mostra a alquimia perfeita que existia entre os integrantes de grande grupo, sob a liderança de John McLaughlin, combinando o virtuosismo com a liberdade e a força com a expressividade…

Com a Mahavishnu Orchestra vocês ouviram “Birds of Fire”, “Miles Beyond”, “Thousand Island Park”, “One World” e “Resolution”.

Art Rock fica por aqui… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem com a Paraná Educativa… 97,1.

Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com onde você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado.

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Set list:

JIMI HENDRIX

BG – ALL ALONG THE WATCHTOWER

1. GYPSY EYES – 3:45

2. 1983… (A MERMAN I SHOULD TURN TO BE) – 5:48

3. MOON, TURN THE TIDES, GENTLY GENTLY AWAY – 8:52

4. HOUSE BURNING DOWN – 4:33

BG – CROSSTOWN TRAFFIC

TOTAL – 22:58

MAHAVISHNU ORCHESTRA

BG – OPEN COUNTRY JOY (1:12)

5. BIRDS OF FIRE – 5:48

6. MILES BEYOND – 4:42

7. THOUSAND ISLAND PARK – 3:22

8. ONE WORLD – 9:57

9. RESOLUTION – 2:10

BG – CELESTIAL TERRESTRIAL COMMUTERS

TOTAL: 25:59

GRAND TOTAL – 48:57

Ouça o Art Rock com Jimi Hendrix & Mahavishnu Orchestra, que foi ao ar no dia 23/11/2008, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Anúncios

Chimera & Fairport Convention

Posted in Programas with tags , on 18/11/2008 by Artrock

” Boa noite, vamos começar o programa de hoje com uma verdadeira raridade… nossos ouvintes já devem estar acostumados a ouvir algumas grandes bandas de um disco só… mas dessa vez nós fomos além, com um grupo simplesmente genial, mas que nunca chegou a lançar um disco… o Chimera.

chimera

Centrado em torno da grande vocalista, guitarrista e compositora Lisa Bankoff e da sua parceira Francesca Garnertt, o Chimera surgiu no final dos anos 60, e o talento da dupla era tanto que logo chamou a atenção de muitos admiradores… entre eles Rick Wright e Nick Mason do Pink Floyd, que decidiram gravar com o grupo o material para o seu primeiro álbum… que deveria ter sido lançado em 1969.

Misturando elementos de psicodelia à sua sonoridade, o Chimera se distinguia dos demais grupos folk pelo dueto feminino nos vocais, cujo lirismo era só acentuado pela beleza élfica de Lisa e Francesca… uma combinação que teria tudo para ter grande repercussão naquele momento mágico do rock inglês… mas que acabaria mergulhando na obscuridade quando Lisa sofreu um grave acidente de carro e levou anos para poder voltar a andar.

O projeto seria deixado de lado… e só recentemente Lisa e Francesca voltariam a trabalhar juntas, mas em um livro sobre suas aventuras na velha Swingin’ London… quanto às gravações… elas foram engavetadas por décadas… e teriam sido completamente esquecidas se uma parte não tivesse sido recuperada em CD… e a gente agradece ao nosso amigo Carlos Augusto de Oliveira por ter nos conseguido essa jóia perdida do rock inglês para tocarmos no programa de hoje.

Com o Chimera vocês ouviram “Come into the Garden”, The Grail”, “Sad Song for Winter”, “Lady with Bullets in her Hair”, “Episode at Telegraph Hill”, “Morning Sound” e “Peru”.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos continuar pelos campos verdes da velha Inglaterra, trazendo o decano do folk inglês, o grande Fairport Convention…

fairport-liegelief

Fundado em 67 em torno de Richard Thompson, Simon Nicol e Ian Mathews, o Fairport Convention se tornaria um dos grupos mais representativos do movimento folk, principalmente depois da entrada da gloriosa vocalista Sandy Denny, dona de uma voz cristalina, que os nossos ouvintes já ouviram muitas vezes aqui no Art Rock…

E dessa vez vamos trazer um pouco de um dos mais celebrados álbuns do grupo, o genial “Liege & Lief”… um clássico do rock lançado em 1969 e que mostra o Fairport em uma das melhores sínteses já produzidas da poética barroca e da mais versátil música do século XX, o rock and roll… um álbum que mostra todo o potencial da alquimia de culturas produzida na era psicodélica… na década de 60.

E embora Sandy Denny tenha deixado nosso plano da realidade ainda nos anos 70, o velho Fairport continua em atividade mais de quarenta anos depois… preparando sua nova tour e com um novo álbum “Sense of Occasion”… além do DVD “Forty”, que marcou o reencontro com o genial Richard Thompson… vamos conferir um pouco dessa lenda viva do rock inglês com faixas de um de seus melhores trabalhos…

Vocês ouviram com o Fairport Convention: “Farewell, farewell”, “Reynardine”, “Matty Groves”, “The Deserter” e “Crazy Man Michael”… todas do album “Liege & Lief”, de 1969.

Art Rock fica por aqui… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem com a Paraná Educativa… 97,1. Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com onde você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado.

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Set list:

CHIMERA

BG – BLACK HAT BABE

1. COME INTO THE GARDEN – 5:39

2. THE GRAIL – 3:06

3. SAD SONG FOR WINTER – 3:05

4. LADY WITH BULLETS IN HER HAIR – 2:49

5. EPISODE AT TELEGRAPH HILL – 3:15

6. MORNING SOUND – 3:29

7. PERU – 3:48

BG – MARY’S MISTERY

TOTAL – 25:11

FAIRPORT CONVENTION

BG – COME ALL YE

8. FAREWELL, FAREWELL – 2:40

9. REYNARDINE – 4:34

10. MATTY GROVES – 8:10

11. THE DESERTER – 4:25

12. CRAZY MAN MICHAEL – 4:46

BG – TAM LIN

TOTAL: 24:35

GRAND TOTAL – 49:46

Ouça o Art Rock com Chimera & Fairport Convention, que foi ao ar no dia 16/11/2008, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Calix

Posted in Produto Nacional with tags on 15/11/2008 by Artrock

O Calix, banda de Belo Horizonte, faz parte de um grande grupo de bandas que estão ressurgindo com força o estilo no país, desde a década de 90. Apenas na cena mineira, existem várias: Dogma, Mantra, Tsaris, Cartoon, Cálix, Atlantis, Arion, Elfos e Gilberto Mauro.

calix1

Com 10 anos de carreira independente, têm os seguintes trabalhos: “Canções de Beurin” (2000),”A Roda” (2002) e “Ventos de Outono – Calix ao Vivo” (2007) , além de um DVD “Calix ao Vivo”(2007). Conforme própria descrição apresentada em seu site oficial, “vocais, bateria, flauta, teclado, guitarra, baixo, violões, bandolim. Música que faz sonhar, sentir o som na pele, sentir o som percorrendo o corpo, viajar. Poesia. Assim é o Cálix. Música de excelente qualidade que conquista jovens almas, rejuvenesce almas, resgata a sonoridade, pela canção, pela melodia”, simplesmente belo!

Saibam mais em: http://www.calix.com.br/

Produto nacional

Posted in Produto Nacional on 15/11/2008 by Artrock

Agora o blog do Art Rock terá um espaço especial chamado Produto Nacional, dedicado a divulgação das bandas que estão reinventando o bom rock progressivo brasileiro.
Vamos divulgar o produto nacional!

Mike Oldfield & Colosseum

Posted in Programas with tags , on 11/11/2008 by Artrock

“Boa noite, hoje teremos um programa tradicional, trazendo dois nomes marcantes que são presença freqüente em qualquer boa discoteca de prog. rock…

Vamos começar com o multi-instrumentista Mike Oldfield, que foi uma das grandes estrelas do rock do seu tempo, a despeito de seus discos serem obras complexas que, no começo, não faziam concessões comerciais, cruzando linguagens e fronteiras para produzir um som que seria referência para muita coisa que rolou depois… da música new age às trilhas sonoras para cinema.

newtimes

Ele continua em plena atividade e deve lançar agora esse mês uma edição especial dupla do seu álbum “Music of the Spheres”, incluindo um disco bônus gravado ao vivo em Bilbao… além disso, ele também continua se mantendo atualizado com as novas tecnologias, como aliás era quase uma obrigação, pois sempre foi um pioneiro nesse campo, não apenas na música, mas até nos vídeos, em uma época em que nem existia ainda a MTV…

treslunas

Para o programa de hoje selecionamos material tirado de dois trabalhos recentes… os álbuns “Tres Lunas”, de 2002, e “New Times”, de 2005… mas antes, vamos começar com uma faixa especial para os eXcers, quer dizer, os fãs da celebrada série “Arquivo X”… trazendo o antológico tema de abertura, executado por Mike Oldfield para a trilha do primeiro filme de longa metragem inspirado na série, produzido em 1998…

Com o Mike Oldfield, vocês ouviram “X-Files Theme”, depois foi “Landfall”, “Viper”, “Tres Lunas”, “Blackbird” e “Tears of an Angel”.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer um dos grandes grupos do jazz rock dos anos 60, o genial Colosseum, de Jom Hiseman…

colosseumlives

Esse colosso do jazz-rock surgiu em 68, na Inglaterra… e, desde o início, chamava a atenção pela força das suas lendárias apresentações ao vivo, assim como por álbuns clássicos como “Those About to Die”, “Daughter of Time” e “Valentyne Suite”… todos mostrando uma amálgama perfeita da estrutura de composição livre e improvisação do jazz com uma energia que beirava o nascente heavy-metal.

Apesar de centrado no seu líder, o virtuoso baterista Jon Hiseman, o Colosseum contou em suas várias fases com grandes músicos como o genial Dick Heckstall-Smith no sax, Dave Greenslade nos teclados, Chris Farlowe nos vocais e Clem Clempson, futuro Humble Pie, na guitarra… e foi justamente essa formação clássica que se reuniu nos anos 90 do século passado para uma série de concertos… a primeira apresentação do grupo desde sua separação no começo da década de 70.

Infelizmente, aquele não foi um recomeço para o grupo, pois seus integrantes sempre foram muito ativos e cada um tinha outros projetos… mas pelo menos o registro desses shows não se perdeu, acabando por ser lançado no álbum “Colosseum Lives: The Reunion Concerts”… e foi esse momento da renascença progressiva dos anos 90 que nós selecionamos para o programa de hoje…

Vocês ouviram com o Colosseum as faixas “Elegy” e “The Valentyne Suite”…

Art Rock fica por aqui… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem com a Paraná Educativa… 97,1.
Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com onde você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado.

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Set list:

MIKE OLDFIELD

BG – MISTY

1. X FILES THEME – 3:55

2. LANDFALL – 2:19

3. VIPER – 4:32

4. TRES LUNAS – 4:35

5. BLACKBIRD – 4:39

6. TEARS OF AN ANGEL – 5:38

BG – RETURN TO THE ORIGIN

TOTAL – 25:38

COLOSSEUM

BG – LOST ANGELES

7. ELEGY – 4:24

8. THE VALENTYNE SUITE – 20:48

BG – THOSE ABOUT TO DIE

TOTAL: 25:12

GRAND TOTAL – 50:50

Ouça o Art Rock com Mike Oldfield & Colosseum, que foi ao ar no dia 09/11/2008, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Potemkine & Embryo

Posted in Programas with tags , on 04/11/2008 by Artrock

“Boa noite, vamos começar o programa de hoje com um legítimo represente do sub-gênero progressivo conhecido como zeuhl music… o grupo francês Potemkine.

foetus

Centrado em torno dos irmãos Charles, Giles, Philippe e Michel Goubin, o Potemkine foi um dos exemplos da poderosa influência do grande Magma de Christian Vander… que trouxe para a Terra o idioma kobaïano, de onde vem a palavra zeuhl, que significa “celestial” e é comumente usada para se referir a esse estilo musical, entre o prog rock e o jazz fusion, com mais alguns outros elementos para completar a alquimia…

Fugindo ao padrão de vocalizações elaboradas do Magma, o Potemkine preferiu uma abordagem instrumental, somente pontuada por momentos vocais… talvez por não dominarem completamente o idioma do planeta natal de Christian Vander… mas a sonoridade do grupo utiliza a mesma linguagem melódica, com climas teatrais dominados pela força da estrutura rítmica, sob os fraseados constantes de piano, violino e guitarra.

triton2

O primeiro álbum do grupo, “Foetus” de 1975, mostrava um som mais influenciado pela zeuhl music… mas, apesar de se voltar mais para as praias jazzísticas em seus trabalhos seguintes, o Potemkine nunca deixou de lado suas origens, continuando a se apresentar nos eventos promovidos por grupos como o Art Zoyd, o Masaik e o próprio Magma, para o qual eles abriram muitas vezes… até Charles Goubin deixar o nosso plano da realidade em um acidente em 1979… depois disso, eles não voltariam a gravar… e se separariam de vez em 1982…

Vocês ouviram com o Potemkine com “Hymne”, “Laure”, “Eiram” e “Rictus”, extraídas de seu álbum de extréia, “Foetus”, de 75, e também “Triton”, de 77.

A gente volta  já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer um dos grandes precursores da tentativa de cruzar o rock com os estilos musicais das mais diferentes regiões do mundo, para criar uma música legitimamente internacional… o grupo alemão Embryo.

embryo

Fundado na cidade de Munique em 69, o Embryo começou com um som típico do kraut rock, mas com pitadas de jazz fusion que, desde seus primeiros trabalhos, já mostravam um desejo de introduzir elementos diferentes em sua sonoridade, com percussões ou linhas melódicas que rompiam com os padrões do rock, abrindo-se para toda sorte de influências… e eles fizeram disso a sua bandeira, chegando a embarcar em tours que nada tinham de convencional…

A primeira dessas excursões ocorreu depois do Embryo tocar nos Jogos Olímpicos de Munique em 72… uma viagem paga pelo Instituto Goethe para a África e Portugal… depois disso, eles não pararam mais, atravessando os continentes em caravanas que não eram para mostrar o seu som, mas sim para conhecer os sons de outros países… uma prática que acabou registrada no clássico filme “Vagabundenkarawane”, recentemente lançado em DVD…

Com uma carreira que atravessou muitas décadas, o Embryo teve centenas de membros de muitas nacionalidades, mas sempre foi centrado em torno do genial Christian Burchard, que chegou a chamar seu grupo de Embrião de uma Banda Mundial… e é claro os álbuns exploraram inúmeras vertentes étnicas e tradições musicais dentro do espírito das fusões jazzísticas… e eles continuam em plena atividade, às vésperas de completar 40 anos de carreira…

Vocês ouviram o Embryo com “Entrances” e “Dirge”… extraídas do seu 5º. Álbum… “Rocksession”, de 1973.

Art Rock fica por aqui… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem com a Paraná Educativa… 97,1.
Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com onde você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado.

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Set list:

POTEMKINE

BG – ASYLE

1.HYMNE – 2:03

2.LAURE – 4:37

3.EIRAM – 13:38

4.RICTUS – 4:48

BG – ZED

TOTAL – 25:06

EMBRYO

BG – WARM CANTO

5.ENTRANCES – 15:41

6.DIRGE – 9:43

BG – A PLACE TO GO

TOTAL: 25:24

GRAND TOTAL – 50:30

Ouça o Art Rock com Potemkine & Embryo, que foi ao ar no dia 02/11/2008, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *