Arquivo para dezembro, 2008

Casa de Orates

Posted in Produto Nacional with tags on 29/12/2008 by Artrock

A Banda Casa de Orates nasceu em 2003, na cidade de Itajaí. Suas composições são marcadas pela influência do Jazz, da música brasileira e latina em geral, da música medieval, do rock progressivo, englobando ritmos variados em uma só proposta. As músicas partem de uma visão sonhadora, lúdica e filosófica. A Casa iniciou sua jornada artística ao passar musicalmente os sentimentos dos componentes do grupo, buscando nos sonhos inspirações para suas composições.

O nome da banda surgiu a partir da idéia do livro “O Alienista” de Machado de Assis. Casa de Orates significa Casa de Malucos, doidos.

2432135747_710741ae351

Sua trajetória conta com apresentações em diversas cidades do estado de Santa Catarina, participações em festivais e conquista da melhor música no festival de Música Universitária da Univali. Misturando música, teatro e cinema, a banda pretende levar o espectador a um plano quimérico, onde os sonhos individuais tornam-se ao mesmo tempo coletivos a partir de signos propostos no espetáculo.

Em 2007 a Trupe Sonora Casa de Orates lança o CD  “O Artesão dos Sonhos”  e em 2008 passa a levar seu trabalho para diversas cidades do sul do país, além de gravar um DVD do show Temático “Sonhos – Uma Viagem ao Onírico”, com roteiro, produção e composições da própria Trupe Sonora.

fonte: Site Oficial

Veja mais sobre a Casa de Orates em:

www.casadeorates.com.br
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=2162968

Captain Beyond & Nektar

Posted in Programas with tags , on 29/12/2008 by Artrock

“Boa noite, hoje vamos começar com um membro da prolífica família do grande decano do rock pesado inglês… o Deep Purple.

Estamos nos referindo ao Captain Beyond, um clássico super-grupo fundado no início dos anos 70, pelo vocalista Rod Evans, membro fundador do Deep Purple, juntamente com o baterista Bobby Caldwell, da banda de Johnny Winter e com o guitarrista Larry “Rhino” Reinhardt e o baixista Lee Dorman, ambos recém saídos do grande Iron Butterfly…

captainbeyond

Com esse time de grandes músicos e uma rara inspiração, eles lançaram em 72 uma verdadeira obra-prima, o álbum de estréia “Captain Beyond”, onde mostravam um space rock poderoso, que foi unanimemente celebrado… e parecia garantir para o grupo um lugar entre os grandes do heavy prog., anunciando o que deveria ter sido o início de uma carreira brilhante, com muitos outros trabalhos antológicos.

Mas, ninguém sabe por que, a veia poética e a sensibilidade do grupo enfraqueceram para o álbum “Sufficiently Breathless”, de 73, que acabou tendo pouca repercussão e levaria Rod Evans a perder o interesse… ele deixaria o Captain Beyond em 75… e, embora eles tenham seguido em frente com o álbum “Dawn Explosion” de 77, o vocalista Willy Daffern não tinha o mesmo carisma, e o grupo acabaria se separando pouco tempo depois… confiram um pouco do seu legado.

dawnexplosion

Vocês ouviram com o Captain Beyond, as faixas “Dancing Madly Backwards (On a Sea of Air)”, “Armworth”, “Myopic Void”, “Icarus”, “Fantasy” e “Breath of Fire”, extraídas de seu álbum homônimo, de 72, e de “Dawn Explosion”, de 77.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer outro grupo inglês, mas que muitos até hoje consideram como representante do prog. germânico… o Nektar.

rememberthefuture

Embora tenha sido formado em Hamburgo, em 69, o Nektar era conposto inteiramente por músicos ingleses, centrados em torno do guitarrista e vocalista Roye Albrighton… o caso é que, além de terem se reunido na Alemanha, onde gravaram seu primeiro álbum “Journey to the Centre of the Eye”, em 72, eles continuariam gravando por lá, pois tinham muito mais repercussão do que na Inglaterra…

O grupo acabaria se firmando com trabalhos geniais, onde os climas metafísicos do mellotron de Derek Moore se mesclavam com as temáticas delirantes das letras, e combinavam perfeitamente com visuais fantásticos do designer Mick Brockett, cuja parafernália de luzes e cores se tornaria uma das marcas do Nektar ao vivo, influenciando muita gente nos anos 70.

soundslikethis

Depois de mais de 20 anos de separação, eles voltariam a se reunir em 2002, trazendo a sua formação clássica, que incluía o tecladista Larry Fast do Synergy… e o grupo tem se mantido em atividade desde então, com trabalhos de estúdio e DVDs ao vivo…mas nós selecionamos faixas extraídas de seus álbuns “Remember the Future” e “Sounds like This”.

Vocês ouviram, “Remember the Future” e “Do You Believe in Magic”, com o Nektar… o mais germânico dos grupos ingleses.

Art Rock fica por aqui… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem com a Paraná Educativa… 97,1.

Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com, que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você vai poder fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado.

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Set list:

CAPTAIN BEYOND

BG – RAGING RIVER OF FEAR

1. DANCING MADLY… – 4:01

2. ARMWORTH – 1:48

3. MYOPIC VOID – 3:30

4. ICARUS – 4:16

5. FANTASY – 6:03

6. BREATH OF FIRE – 6:18

BG – MESMERIZATION ECLIPSE

TOTAL – 25:56

NEKTAR

BG – NEW DAY DOWNING

7. REMEMBER THE FUTURE (PART 1) – 16:41

8. DO YOU BELIEVE IN MAGIC – 7:19

BG – CAST YOUR FATE

TOTAL – 24:00

GRAND TOTAL – 49:56
Ouça o Art Rock com Captain Beyond & Nektar, que foi ao ar no dia 28/12/2008, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Chris Squire & Barclay James Harvest

Posted in Programas with tags , on 22/12/2008 by Artrock

“Boa noite, hoje vamos entrar no clima de fim de ano, trazendo um programa especial natalino com o álbum “Swiss Choir” de Chris Squire, o grande baixista do Yes.

chrissquire1

Lançado no final do ano passado esse álbum solo do baixista do Yes surpreendeu por seu tema natalino… mas não foi uma simples coleção de músicas… em vez disso, Chris Squire deu um toque pessoal na produção e arranjo de temas tradicionais, populares dentro da Igreja Anglicana, usando o formato coral para dar conta dos vocais da maioria das faixas.

O resultado foi algo que está a meio caminho entre o progressivo e o folk rock… sem se comprometer com extremos, mas mantendo sempre em vista a inspiração natalina, que tem sido alvo de muitos trabalhos recentes, como o “Christmas Album” do Jethro Tull ou o álbum “Winter Carols”, lançado pela dupla folk Blackmore’s Night, do ex-guitarrista do Deep Purple.

E já que estamos falando de um membro importante do Yes, vamos aproveitar para anunciar que o grupo está em plena tour mundial… com Oliver Wakeman nos teclados e um novo vocalista, o canadense Benoit David do Close to the Edge, uma banda tributo que cantava covers do Yes… mas Jon Anderson só saiu por um tempo devido a problemas de saúde… e a continuação dessa história fica para depois… por hora vamos ouvir um pouco da celebração de Natal de Chris Squire…

Vocês ouviram “Adam Lay Y’bounden”, “Three Kings”, “Personent Hodie”, “Gaudete”, “Past 3 O’clock” e “Run With The Fox”, com Chris Squire.

A gente volta já.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos continuar no espírito natalino trazendo o som otimista do genial Barclay James Harvest.

O grupo foi formado em Lancashire na Inglaterra, em 1966, e se chamava originalmente The Wickeds… mas eles eram só 4 garotos que estudavam na mesma escola… o guitarrista John Lees, o tecladista Stuart “Woolly” Wolstenholme, o baixista Les Holroyd e o baterista Mel Pritchard… e eles mudariam o nome para Barclay James Harvest em 67, quando sua viagem psicodélica começou a se expandir na direção do que viria a ser conhecido como rock progressivo.

othershortstories

O primeiro álbum sairia em 1970, e eles continuaram lançando trabalhos freqüentes durante os anos seguintes… permanecendo à sombra do sucesso de Yes, Genesis e Emerson, Lake & Palmer… somente em 74 conseguiram alcançar alguma repercussão, depois do lançamento seu primeiro duplo ao vivo… e, a partir de então, foram ganhando mais reconhecimento, com trabalhos bem recebidos como “Time Honoured Ghosts”, “Octoberon” e “Gone to Earth”…

babyjames

O grupo continua em atividade até hoje, mas de um jeito diferente… ele está atualmente dividido em dois… um centrado em John Lees e Woolly Wolstenholme, e o outro em torno de Les Holroyd… mas ambos se chamam Barclay James Harvest e dividem o mesmo site na internet… para o programa de hoje, nós selecionamos faixas dos álbums “And Other Short Stories” de 71 e “Baby James” de 72…

Com o Barklay James Harvest, vocês ouviram “Crazy Over You”, “Medicine Man”, “Someone There You Know”, “Blue John Blues” e “One Hundred Thousand Smiles Out”.

Art Rock fica por aqui… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem com a Paraná Educativa… 97,1.

Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com, que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você vai poder fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado.

Até a semana que vem… e, para todos os bons pagãos:  Felix Dies Natalis Solis Invicti…”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Set list:

CHRIS SQUIRE

BG – SAW THREE SHIPS

1. ADAM LAY Y’BOUNDEN – 4:47

2. THREE KINGS – 4:39

3. PERSONENT HODIE – 2:58

4. GAUDETE – 3:19

5. PAST 3 O’CLOCK – 5:03

6. RUN WITH THE FOX – 4:12

BG – SUSSEX CAROL

TOTAL – 23:55

BARCLAY JAMES HARVEST

BG – HARRY’S SONG

7. CRAZY OVER YOU – 4:09

8. MEDICINE MAN – 3:56

9. SOMEONE THERE YOU KNOW – 3:47

10. BLUE JOHN BLUES – 6:50

11. ONE HUNDRED THOUSAND SMILES OUT – 6:05

BG – THANK YOU

TOTAL – 24:47

GRAND TOTAL – 49:45

Ouça o Art Rock com Chris Squire & Barclay James Harvest, que foi ao ar no dia 21/12/2008, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Juds Gallery & Skid Row

Posted in Programas with tags , on 16/12/2008 by Artrock

” Boa noite, hoje vamos seguir a deixa do nosso grande amigo e companheiro Carlos Augusto de Oliveira, do programa Encruzilhada, que acabou de contar as peripécias do guitarrista Gary Moore, acusado de plágio justamente em uma de suas canções mais famosas…

E depois que vocês ouviram no Encruzilhada a faixa em questão… o hit bluesístico “Still Got the Blues” com o Gary Moore… agora vão poder conferir o som que endiabrado guitarrista irlandês plagiou… com o grupo alemão Jud’s Gallery… um daqueles muitos exemplos da genialidade do krautrock que infelizmente nunca chegou a gravar um álbum…

swf-sessions-juds-gallery

O Jud’s Gallery surgiu em Offenburg, na Alemanha no começo dos anos 70, com uma sonoridade típica do prog. rock germânico, com ênfase para a guitarra e teclados… e foi um dos muitos grupos iniciantes que participou do programa de Walter Krause para a Rádio SWF de Baden Baden, famoso por revelar jovens talentos do krautrock… e o Jud’s Gallery gravou duas sessões… em julho de 72 e março de 74.

Entre as músicas gravadas na segunda sessão estava a mini suíte “Nordrach”… e a sua parte final é claramente a origem do tema de “Still Got the Blues” que Gary Moore iria compor em 1990… recentemente recuperadas, essas gravações do Jud’s Gallery ajudaram Jürgen “Judy” Winter a ganhar, no último dia 3, o processo por plágio, depois de 8 anos de briga na justiça… confiram um pouco desse grupo que merecia ter sido reconhecido na época… e não mais de 30 anos depois.

Você ouviram a faixa “Nordach”… que Gary Moore transformaria em “Still Got the Blues”… depois foi “Friends” e, por último, “Reaching”… todas com o grupo alemão Jud’s Gallery.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E depois de mostrar os problemas atuais de Gary Moore, nada melhor do que ouvir o seu começo promissor… com o Skid Row… um grupo irlandês de vida curta que não tem nada a ver com aquela banda de hard rock americana dos anos 80.

skid-row

O Skid Row original era um power-trio surgido no final dos anos 60, e chegou a contar com um velho amigo de Gary, o grande Phil Lynott… muito antes dele criar o Thin Lizzy… mas Phil não ficaria muito tempo com o grupo, saindo antes do lançamento do álbum “Skid Row”, de 1970… que mostrava uma sonoridade variada, misturando momentos bluesísticos com passagens mais folk.

Além de Gary Moore, o grupo contava com Noel Bridgeman e Brendan “Brush” Shiels… e o trio gravaria mais três álbuns, incluindo um ao vivo, antes de se separarem e Gary iniciar sua carreira solo com o álbum “Grinding Stone” de 73… o primeiro de muitos nos mais variados estilos, que ele lançaria ao mesmo tempo em que participava do próprio Thin Lizzy , do Colosseum II, da Greg Lake Band e do Bruce, Baker & Moore (também conhecido como Sub-Cream).

Depois de um longo período em que se dedicou ao heavy metal, Gary Moore voltou-se para o blues em 1990, justamente com o álbum “Still Got the Blues”, cuja faixa título foi um sucesso em todo mundo… e na época ninguém suspeitou que poderia ser um plágio… mas deslizes assim acontecem… vamos conferir um pouco do seu começo de carreira com o grupo Skid Row…

Com o Skid Row vocês ouviram”The Man Who Never Was” “Felicity”, “Unco’op Showband Blues”, “Morning Star Avenue” e “Virgo’s Daughter”.

Art Rock fica por aqui… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem com a Paraná Educativa… 97,1.
Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com, que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você vai poder fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado.
Até a semana que vem. ”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Set list:

JUD’S GALLERY

BG – INSPIRATION

1.  NORDACHT – 12:01

2.  FRIENDS – 5:16

3.  REACHING – 6:02

BG – DANGER OF SHOOT

TOTAL – 23:19

SKID ROW

BG – OI’LL TELL YOU LATER

4. THE MAN WHO NEVER WAS – 2:59

5. FELICITY – 9:07

6. UNCO’OP SHOWBAND BLUES – 5:30

7. MORNING STAR AVENUE – 4:11

8. VIRGO’S DAUGHTER – 4:03

BG – SANDIE’S GONE

TOTAL: 26:50

GRAND TOTAL – 50:09

Ouça o Art Rock com Juds Gallery & Skid Row, que foi ao ar no dia 14/12/2008, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Gato Preto

Posted in Produto Nacional with tags on 11/12/2008 by Artrock

O Gato Preto, originário de Curitiba, surgiu em 1999 como um trio de Rock’n roll. Atualmente conta com cinco integrantes e de lá para cá, o grupo passou por diversas experimentações, acrescentando instrumentos, chegando a uma formação mais acústica, com bandolim e violino, que muitas vezes substitui a guitarra.  Boa parte das letras falam sobre o mar e o som da banda mescla o rock com música cigana, jazz e polca.  Suas influências são Jethro Tull, Mutantes, Beatles, Secos & Molhados, Elvis, entre outros.

gato

O som característico da banda é bastante elaborado. O entrosamento dos instrumentistas deixa qualquer apreciador impressionado.
O Gato Preto já tocou em diversos festivais, como o Festival Pompéia, Festival Psicodália e Festival Guarda do Embaú.
Em 2007 lançou seu primeiro EP e em 2008 lançou o o DVD “À Deriva”, gravado ao vivo no Sesc da Esquina. A banda também já participou do cinema, como filme “O Dia Em Que Morreu Roberto Carlos”.

Veja mais sobre o Gato Preto em:

http://www.myspace.com/bandagatopreto
tramavirtual.com.br/artista/gato_preto

Asia & GTR

Posted in Programas with tags , on 08/12/2008 by Artrock

“Boa noite, hoje teremos um programa dedicado a uma das correntes menos prestigiadas, mas mais bem sucedidas do prog. rock… o seu lado mais comercial, começando com um dos retornos do ano… a volta do Asia com a sua formação original.

asia-phoenix

O Asia surgiu a partir da união de grandes nomes do rock inglês… um supergrupo que reunia John Wetton do King Crimson, Carl Palmer do Emerson, Lake and Palmer e Steve Howe e Geoff Downes, ambos do Yes… e foi um sucesso instantâneo com o hit “Only Time Will Tell” do álbum “Asia” de 1982… que vendeu milhões de cópias, anunciando o que muitos consideram como o último momento de grande repercussão do prog. rock… mesmo que mais comercial… algo como um canto do cisne da geração progressiva dos anos 70.

Mas a fase de sucesso mundial duraria pouco, com o grupo se separando em 85 e seus integrantes seguindo para outros projetos, incluindo retornos com seus outros grupos… somente em 1990 o Asia voltaria, mas as formações passariam a mudar de disco para disco… permanecendo apenas o tecladista Geoff Downes como figura constante… o resultado é claro foi uma perda total de identidade… e nem mesmo o pop prog. do grupo conseguiu sobreviver.

Mesmo assim, o Asia de Geoff Downes se manteve em atividade constante, ainda que sem grande repercussão… só agora em 2008, depois de mais de duas décadas, a formação original se reuniu para o álbum “Phoenix”… que surpreende pela sonoridade que parece saída de seus primeiros trabalhos… como se tivesse sido gravado logo depois do álbum “Alpha”, há 26 anos…

Você ouviram o Asia com “Never Again”, “Parallel World/Vortex/Déyà”, “Wish I’d know all along”, “Orchard of mines” e “An extraordinary life”…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer outro supergrupo que surgiu nos anos 80… com um pop prog. que surpreendeu os fãs de seus dois lendários guitarristas… Steve Hackett do Genesis e Steve Howe do Yes… o GTR, isso é: Guitar…

gtr

O Guitar foi anunciado com grande alarde, como uma das grandes promessas progressivas da década de 80, reunindo dois dos maiores guitarristas da história do rock, além do baixista Phill Spalding que tocara com Mike Oldfield e John Mover, do Marillion… mas as coisas começaram a sair dos eixos logo de cara, pois o vocalista escolhido para o GTR foi Max Bacon, cuja voz era mais para pop rock do que para o prog…

A produção do primeiro álbum ficou a cargo de Geoff Downes, que tocara com Howe no Yes e no Asia… mas o toque mais pop não ajudou o GTR a fazer sucesso… apesar da qualidade de seus concertos, que atraíram multidões e teriam tudo para ter garantido um grande futuro para o grupo.

No fim os fãs de Hackett & Howe não foram o suficiente para segurar as pontas, enquanto o álbum “GTR” era bombardeado de críticas… e eles se separaram antes do fim de um ano… mas sua curtíssima carreira rendeu bons momentos, como o show no Wilthern Theatre de Los Angeles, em 19 de julho de 86, que foi gravado e lançado na série King Biscuit Flower Hour… e que vocês vão conferir agora…

Vocês ouviram, com o GTR as faixas “Here I wait”, “Sketches in the Sun”, “Roundabout”, que foi, é claro, uma cover para o clássico do Yes… e, por último, “Reach out (never say no)”.

Art Rock fica por aqui… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem com a Paraná Educativa… 97,1.
Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com que é cuidado pela nossa amiga, a Ana Barbara Vicentin, onde você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado.

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Set list:

ASIA

BG –SLEEPING GIANT/NO WAY BACK

1. NEVER AGAIN – 4:55

2. PARALLEL WORLD/VORTEX/DÉYÀ – 8:13

3. WISH I’D KNOWN ALL ALONG – 4:07

4. ORCHARD OF MINES – 5:12

5. AN EXTRAORDINARY LIFE – 4:59

BG – OVER AND OVER

TOTAL – 27:26

GTR

BG – PENNANTS

6. HERE I WAIT – 5:55

7. SKETCHES IN THE SUN – 2:44

8. ROUNDABOUT – 8:38

9. REACH OUT (NEVER SAY NO) – 5:53

BG – WHEN THE HEART RULES THE MIND

TOTAL: 23:10

GRAND TOTAL – 50:36

Ouça o Art Rock com Asia & GTR, que foi ao ar no dia 07/12/2008, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Gong & O Terço

Posted in Programas with tags , on 02/12/2008 by Artrock

“Boa noite, hoje vamos atender às sugestões do nosso ouvinte Lucas e da nossa amiga Nanda, que se comunicaram através do blog do Art Rock… e para atendê-los nós vamos trazer dois grandes sobreviventes do prog. rock, começando com o genial Gong.

gong

Esse grupo lendário surgiu no final dos anos 60, quando o guitarrista australiano Daevid Allen teve problemas com o seu visto de permanência na Inglaterra e foi forçado a se mudar para a França, deixando o seu primeiro grupo, o grande Soft Machine, e iniciando um novo projeto, que só em 71 lançaria o primeiro álbum, “Camembert Electrique”… começando uma longa viagem ao pacífico planeta Gong, com seus fantásticos habitantes: Octave Doctors, Radio Gnomes e Pothead Pixies…

Metáfora para músicos, divulgadores e ouvintes… esse triângulo de personagens e mais o protagonista Zero the Hero, também falava da nossa confusa realidade, e seria o foco de uma série de álbuns lançada pelo Gong e conhecida como a Radio Gnome Trilogy… mas o grupo teria muitas outras fases, experimentando com o jazz-rock e chegando a se desmembrar em vários sub-grupos como o Mother Gong, o Gongzilla e o Planet Gong… acabando por se tornar uma verdadeira família no mundo do prog. rock.

E a família Gong continua na ativa… embaixadores do seu distante planeta natal, onde, como Daevid Allen disse uma vez, a vida ainda merece ser amada… e para o programa de hoje, nós selecionamos faixas de um álbum especial, o duplo ao vivo “The Birthday Party”, gravado no London Forum em 1994, para comemorar os 25 anos desse sonho… ou melhor, desse delírio coletivo chamado Gong…

Você ouviram o Gong com “You can’t kill me”, “I am your pussy”, “Pot-head Pixies” e “Tri-cycle gliss”…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer outro grande sobrevivente… O Terço… o mais indestrutível representante do progressivo nacional…

terco

Com uma carreira que está completando 40 anos, o Terço surgiu em 1968 como um power-trio… e tinha na formação Sérgio Hinds, Vinícius Cantuária e Jorge Amiden… mas eles só gravariam o seu primeiro álbum em 1970… e, entre as muitas mudanças de formação, sempre mantiveram uma sonoridade rica, misturando elementos de rock, folk e música erudita… em uma alquimia que os colocou na vanguarda do prog. brasileiro, já a partir do álbum “Terço”, de 1973.

Mas foi só em 75 que eles lançariam o que muitos consideram seu trabalho definitivo… o genial “Criaturas da Noite”, um clássico do nosso progressivo que teve arranjos do papa do tropicalismo, o grande maestro Rogério Duprat, e chegou a atingir tanta repercussão que ganharia uma versão em inglês, para o mercado internacional.

Nos anos seguintes o grupo lançaria mais dois grandes álbuns, antes de iniciar uma longa fase de desencontros, ressurgimentos, contratos e álbuns de neo-prog. no exterior, volta ao Brasil, reencontros e um retorno com a sua formação clássica em 2001… e atualmente Sérgio Hinds e Sérgio Magrão continuam em frente, promovendo o novo álbum e DVD gravados ao vivo com o velho companheiro Flávio Venturini… vamos ouvir um pouco desse trabalho do grande Terço.

Com O Terço vocês ouviram “1974”, “Guitarras”, “O Vôo da Fênix” e “Criaturas da Noite… todas do álbum “Ao Vivo”, gravado em 2005, mas lançado apenas no ano passado.

Art Rock fica por aqui… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem com a Paraná Educativa… 97,1.
Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com onde você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado.

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Set list:

GONG

BG – NEVER GLID BEFORE

1. YOU CAN’T KILL ME – 6:20

2. I AM YOUR PUSSY – 4:56

3. POT HEAD PIXIES – 2:54

4. TRI-CYCLE GLISS – 10:51

BG – CLOUDS AGAIN

TOTAL – 25:01

O TERÇO

BG – CABALA

5. 1974 – 14:18

6. GUITARRAS – 3:59

7. O VÔO DA FÊNIX – 2:42

8. CRIATURAS DA NOITE – 4:11

BG – TRIBUTO AO SORRISO

TOTAL: 23:54

GRAND TOTAL – 50:11

Ouça o Art Rock com Gong & O Terço, que foi ao ar no dia 30/11/2008, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *