Arquivo para março, 2009

Kraftwerk & Radiohead

Posted in Programas with tags , on 31/03/2009 by Artrock

” Boa noite, como não poderia deixar de ser, o programa de hoje vai trazer dois grupos que se apresentaram no Brasil na semana passada, começando por um dos decanos da música eletrônica… o grande Kraftwerk.

radio-activity

Formado em 70 por Ralf Hütter e Florian Schneider, o Kraftwerk surgiu a partir do grupo Organisation, que tinha chegado a lançar no final dos anos 60 o álbum “Tone Float”… e, no seu novo projeto, eles resolveram explorar as vertentes mais tecnológicas do cenário da música experimental alemã do período, responsável por outros grandes grupos como o Can, o Tangerine Dream e o Amon Düll… todos nomes essenciais do chamado kraut rock.

trans-europe-express1

Em meio à essa explosão de criatividade do rock alemão, o Kraftwerk desenvolveria uma sonoridade própria, fruto das experiências de Ralf e Florian com a criação de instrumentos eletrônicos e de seu desejo de atingir uma música puramente tecnológica… um objetivo que não se alteraria nem com as mudanças de formação e com o sucesso… chegando ao ponto de se apresentarem usando manequins robotizados… o que se tornaria a sua marca registrada.

man-machine

A partir dos anos 80 o Kraftwerk foi se desconectando aos poucos e acabou passando a maior parte dos anos 90 em silêncio, mas nunca encerrou atividades oficialmente e, em 99, Ralf e Florian resolveram voltar à ativa é lançar um álbum, “Expo 2000”… seguido em 2005 pelo álbum “Minimum Maximum”… além de passarem a excursionar com freqüência. E eles acabaram de vir ao Brasil, infelizmente sem Florian Schneider, abrindo os shows do Radiohead… nos 20 e 22 de março, em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Vocês ouviram “Radioactiviy”, “Airwaves”, “Trans-Europe Express”, “Franz Schubert” e “Spacelab”, com a grande Usina de Força alemã… o Kraftwerk… faixas clássicas dos álbuns “Radioactivy”, “Trans-Europe Express” e “Man-Machine”.

A gente volta já!

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer o próprio Radiohead, grupo inglês da geração dos ano 90 que está entre aqueles que exploram em sua sonoridade muitos elementos da linguagem progressiva.

okcomputer1

Fundado no final dos anos 80 por Thom Yorke, Ed O’Brien, Phil Selway e Johnny e Colin Greenwood, o grupo começou com o nome On a Friday, quando ainda eram colegas de escola e depois de universidade… e eles chegaram a ter alguma repercussão, o que lhes valeu um contrato… e um novo nome, Radiohead, inspirado em uma canção do álbum “True Stories” dos Talking Heads…

Tanto na sonoridade como na sua poética, o grupo trazia uma proposta diferente das bandas de pop inglês que faziam sucesso na época, nos singles e nos álbuns “Pablo Honey”, de 93, e “Bends”, de 95… mas foi só com “OK Computer”, de 97, que eles chegaram a uma síntese que teria reconhecimento mundial, acrescentando pitadas progressivas e eletrônicas à inquietude e agressividade do rock alternativo… ao mesmo tempo em que caminhavam para o topo das paradas nos trabalhos seguintes… ‘Kid A” de 2000 e “Amnesiac” de 2001…

Felizmente, nem todo sucesso implica em um trabalho de baixa qualidade… ou uma mudança de atitude… e o Radiohead é um exemplo, continuando com discos marcantes nos anos seguintes, como o polêmico “Hail to the Thief” de 2003 ou ainda “In Rainbows”, de 2007… que foi lançado a princípio só pela internet… mas, para o programa de hoje, nós selecionamos faixas do já clássico álbum “OK Computer”…

Com o Radiohead vocês ouviram “Let Down”, “Karma Police”, “Climbing up the Walls”, “No Surprises” e “The tourist”.
Art Rock fica por aqui… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa… 97,1.
Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com, que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você vai poder fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado…

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

KRAFTWERK

1. RADIOACTIVITY – 6:41

2. AIRWAVES – 4:40

3. TRANS-EUROPE EXPRESS – 6:52

4. FRANZ SCHUBERT – 4:26

5. SPACE LAB – 4:00

TOTAL – 26:39

RADIOHEAD

6. LET DOWN – 4:59

7. KARMA POLICE – 4:22

8. CLIMBING UP THE WALLS – 4:45

9. NO SUPRPRISES – 3:49

10. THE TOURIST – 5:24

TOTAL – 23:19

GRAND TOTAL – 49:58

Ouça o Art Rock com Kraftwerk & Radiohead, que foi ao ar no dia 29/03/2009, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Anúncios

Frank Zappa

Posted in Programas with tags on 24/03/2009 by Artrock

“Boa noite, o programa de hoje será com um dos gênios da história do rock… o grande Frank Zappa.

Essa figura genial é praticamente uma das unanimidades do rock, tanto nos seus trabalhos com os… ou talvez seja melhor dizer as Mothers of Invention, como na sua prolífica carreira solo, em que deixou sua criatividade progredir literalmente em todas as direções… sempre conservando seu olhar satírico, acompanhando de um talento singular como compositor, instrumentista e também produtor.

shutuonplayyerguitar

Mas essas apresentações são desnecessárias, pois Frank Zappa é presença obrigatória na discoteca de qualquer roqueiro que tenha começado a aventura de descobrir tudo que se esconde por trás dessa fachada, apresentada por uma mídia que só cultua sucessos efêmeros… bons apenas para encher os cofres das gravadoras, com seus executivos de ternos cinza que nada entendem de música.

Foi para escapar disso tudo que Zappa criou o seu próprio selo… a Barking Pumpkin Records… e um dos primeiros trabalhos lançados por essa gravadora alternativa foi “Shut Up ’n Play Yer Guitar”, isto é: “Cale a boca e toque a sua guitarra”, de 81… reunindo material instrumental gravado ao vivo e em estúdio… e é um pouco desse trabalho, na verdade uma trilogia, que nós selecionamos para o programa de hoje…

Com Frank Zappa vocês ouviram “Five-five-five”, “Shut Up ’n Play Yer Guitar”, “While You Were Out” e “Soup ‘n Old Clothes”…

A gente volta já!

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Vamos continuar trazendo um pouco da trilogia “Shut Up ’n Play Yer Guitar”, com Frank Zappa… que atravessou a barreira do hiperespaço em dezembro de 93… deixando o mundo do rock um pouco menos genial.

A idéia do álbum “Shut Up ’n Play Yer Guitar” era de trabalhar momentos gravados em shows ou em estúdios, construídos a partir de solos e passagens instrumentais que pudessem expressar o alcance da guitarra, indo de riffs a fraseados e compondo no final um conjunto que podia oferecer uma aparente uniformidade, mas que resultava de uma intenção presente mais na edição e produção do que no momento de sua execução.

shutupnplayyerguitar-completeset

Os músicos que trabalhavam com Zappa no período em que o material dessa colagem foi gravado incluíam tecladistas como Tommy Mars e Peter Wolf, além de outros guitarristas, como Ray White e o futuro guitar-hero Steve Vai, quando ainda era aprendiz e protegido do velho Frank… e, na época, foram lançados três álbuns separados, que mais tarde seriam reunidos em uma Box set…

E para essa segunda parte do programa, vamos trazer um pouco do restante dessa trilogia, com faixas extraídas de “Shut Up ’n Play Yer Guitar Some More” e de “Return Of The Son Of Shut Up ‘N Play Yer Guitar”… ou seja: “O retorno do filho de… cale a boca e toque a sua guitarra”… um título que resume bem a costumeira ironia sempre presente nos trabalhos do grande Frank Zappa.

Vocês ouviram “Variations on the Carlos Santana Secret Chord Progression”, “The Deathless Horsie”, “Shut Up ‘N Play Yer Guitar Some More”, “Beat It With Your Fist” e “Return Of The Son Of Shut Up ‘N Play Yer Guitar” com Frank Zappa.

Art Rock fica por aqui… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa… 97,1.
Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com, que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você vai poder fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado…

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

ZAPPA

BG – HEAVY DUTY JUDY

1. FIVE- FIVE-FIVE – 2:36

2. SHUT UP ‘N PLAY YER GUITAR – 5:38

3. WHILE YOU WERE OUT – 6:00

4. SOUP ‘N OLD CLOTHES – 7:53

BG – HOG HEAVEN

TOTAL – 22:07

ZAPPA

BG – SHIP AHOY

5. VARIATIONS ON… – 3:58

6. THE DEATHLESS HORSIE – 6:20

7. SHUT UP ‘N PLAY YER GUITAR SOME MORE – 6:54

8. BEAT IT WITH YOUR FIST – 1:58

9. RETURN OF THE SON OF SHUT UP ‘N PLAY YER GUITAR – 8:31

BG – GEE I LIKE YOUR PANTS

TOTAL – 27:41

GRAND TOTAL – 49:48

Ouça o Art Rock com Frank Zappa, que foi ao ar no dia 22/03/2009, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Apocalypse & Dogma

Posted in Produto Nacional, Programas with tags , on 17/03/2009 by Artrock

“Boa noite, hoje teremos um programa inteiramente made in Brazil, começando com o veterano grupo gaúcho que continua em plena atividade… o Apocalypse.

Fundado em Caxias do Sul, em 83, o Apocalypse começou com o tecladista e vocalista Eloy Fritsch e mais alguns amigos de escola… mais tarde entrando para o grupo o guitarrista Ruy Fritsch e o baterista Chico Fasoli… e eles gravariam muitas demos, em meio a mudanças dos outros membros e apresentações que culminaram no primeiro lugar em um festival e na gravação da música “Só Você” para a coletânea “1º. Circuito de Rock… em 1989.

pertodoamanhecer

Em 91 saía o álbum “Apocalypse”… que chamou a atenção da gravadora progressiva européia Musea e garantiu um contrato e o álbum “Perto do Amanhecer” de 95… o primeiro de uma série de trabalhos bem recebidos, como “Aurora dos Sonhos” de 96, que firmou o lugar da banda no cenário prog. nacional… ou o mais recente “Refúgio” de 2003, uma demonstração da longevidade do grupo em meio a um cenário muitas vezes dominado por iniciativas efêmeras.

Eles lançaram em 2007 o DVD “Live in Rio”, registrando shows de 2005 com o vocalista Gustavo Demarchi e com o baixista Magoo Wise… e o álbum “Bridge of Light” é o lançamento de 2009… um trabalho semi-conceitual em dois atos… e que, apesar do material ser completamente inédito, foi gravado ao vivo no palco do Teatro da Universidade de Caxias do Sul… mas ele fica para outro programa, por hoje nós selecionamos faixas do clássico álbum “Perto do Amanhecer”…

Com o Apocalypse vocês ouviram as faixas “Terra Azul”, “Fantasia Mística”, “Notredame” e “A paz da escuridão”.

A gente volta já!

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Vamos continuar nesse clima de rock nacional, agora com o Dogma… grupo mineiro que lançou dois ótimos trabalhos nos anos noventa.

Fundado pelo guitarrista Fernando Campos e pelo baixista Barão, o Dogma começou a ter reconhecimento depois de sua apresentação no Festival Nacional de Rock Progressivo, realizado em 29 de outubro de 92, por iniciativa do jornal “A Clava do Som”… pouco depois eles lançariam pela Progressive Rock o seu primeiro trabalho, intitulado simplesmente “Álbum” e contando com a colaboração de Marcus Vianna do Sagrado Coração da Terra.

twinsunrise

Eles ainda lançariam mais um álbum em 95… mas então o baixista Barão deixaria nosso plano da realidade, com apenas 35 anos de idade… devido a um ataque do coração… depois disso os membros remanescentes do Dogma só tentariam algumas reuniões sem muita repercussão e sem conseguir firmar algum contrato que lhes permitisse voltar a gravar material inédito.

Membros do grupo chegaram a participar do álbum “A leste do Sol, oeste da Lua”, do Sagrado… mas novidades quanto ao Dogma só apareceram em 2003, quando Fernando Campos anunciou a volta do grupo com uma formação nova e com planos para um novo trabalho que seria lançado pelo selo Sonhos e Sons… mas, enquanto isso, vocês ficam com um pouco de “Twin Sunrise”, o segundo álbum do grupo.

Vocês ouviram “Burn the Witch”, “Hymn” e “Twin Sunrise”… com os mineiros do Dogma.

Art Rock fica por aqui… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa… 97,1.
Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com, que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você vai poder fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado…

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

APOCALYPSE

1. TERRA AZUL – 8:28

2. FANTASIA MÍSTICA – 8:01

3. NOTREDAME – 4:15

4. A PAZ DA ESCURIDÃO – 3:19

TOTAL – 24:03

DOGMA

5. BURN THE WITCH – 5:37

6. HYMN – 8:21

7. TWIN SUNRISE – 12:19

TOTAL – 26:24

GRAND TOTAL – 50:27

Ouça o Art Rock com Apocalypse & Dogma, que foi ao ar no dia 15/03/2009, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Triana & Tasavallan Presidentti

Posted in Programas with tags , on 09/03/2009 by Artrock

“Boa noite, hoje teremos no programa a participação das nossas queridas amigas, as gêmeas progressivas, a Ana Bárbara e a Ana Paula Vicentin…

Hoje trouxemos para a primeira parte do Art Rock, um grupo espanhol de Sevilla, o Triana… Formado por 3 veteranos da música folclórica flamenca, Juan José Palacios na bateria e percussão, Eduardo Rodríguez na guitarra flamenca e Jesús de La Rosa nos teclados e vocal, foram responsáveis pela criação de um novo e singular estilo dentro do rock progressivo, o “rock andaluz”. Esse novo estilo consistia na fusão do rock com a música flamenca, tendo influenciado outros grupos espanhóis posteriores ao Triana, como o Alameda, Crack, Medina Azahara e Mezquita.

triana-el-patio

O trio passou por 2 fases, a primeira entre 1975 e 1979, com o lançamento dos LPs “El Patio” de 1975, “Hijos del Agobio” de 1977 e “Sombra y Luz” de 1979. Nessa primeira fase, o trabalho do Triana era repleto da magia própria e apaixonada da música flamenca e da estilização experimental do progressivo, não deixando de serem influenciados também por idéias e emoções que surgem em situações sócio-políticas cruciais, como a que a Espanha se encontrava na época da instauração da vida democrática.

triana-hijos-del-agobio

A segunda fase do Triana foi entre 1980 e 1983, com o lançamento dos LPs “Un Encuentro” de 1980, “Un Mal Sueño” de 1981 e “Llegó el Día” de 1983… que traziam um som mais pop, como era comum nos trabalhos da década de 80 da maioria das bandas progressivas. O trio encerraria as atividades nessa época, em outubro de 1983, quando Jesús de La Rosa deixou nossa realidade em um trágico acidente de carro, e se tornou uma lembrança imortal dentro do cenário progressivo espanhol… para homenageá-lo, seu nome foi até colocado em uma rua na cidade de Sevilla… atualmente, somente Eduardo Rodríguez ainda vive.

calle_jesus

Ouçam agora músicas da primeira fase do Triana, com o som mais característico e expressivo do grupo.

Ouvimos com o Triana, a faixas “Recuerdos de una Noche” do LP de 1975 “El Patio”, “Rumor” e “Del Crepúsculo Lento Nacerá el Rocío” do LP de 1977 “Hijos del Agobio” e “Hasta Volver” do LP de 1979 “Sombra y Luz”.

O Art Rock volta já!

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos ouvir outro grupo que é um verdadeiro sinônimo de progressivo em seu país de origem… mas pouco conhecido fora dele… o Tasavallan Presidentti.

tasavallan_presidentti

Considerado o decano do prog. rock finlandês… o grupo foi fundado em 69 pelo guitarrista Jukka Tolonen e pelo baterista Vesa Aaltonen… e eles lançaram naquele ano o seu primeiro álbum: “Tasavallan Presidentti”… onde exploravam ainda as veredas psicodélicas, com influências fortes do rock inglês do período… indo dos Moody Blues ao Traffic… e mais tarde adicionando pitadas de Gentle Giant e até da fase jazzística do Soft Machine.

tasavallan_presidentti2

O nome do grupo significava Presidente da República… algo que marcava bem suas origens na Finlândia… a única república da Escandinávia… no entanto, o seu som foi além das fronteiras do seu país… chegando a ter alguma repercussão depois de sua apresentação no Reading Festival, de 73… mas, infelizmente, as tours bem sucedidas na Inglaterra não foram o suficiente para garantir a sua longevidade.

lambertland

Apesar da boa recepção, o Tasavallan Presidentti não foi muito além do seu quarto trabalho, “Milk Way Moses” de 74… que deveria ser lançado nos Estados Unidos, em preparação para uma tour que acabou não se realizando, pois o grupo se separaria ainda naquele ano… e o seu retorno nos anos 90 só rendeu o álbum ao vivo “Still Struggling for Freedon” de 2001… para o programa de hoje nós selecionamos faixas dos quatro álbuns da fase clássica do grupo.

milky_way_moses

Vocês ouviram o Tasavallan Presidentti, com “You’ll be back for more”, “Deep Thinker”, “Struggling for freedom”, “Last quarter” e “Jelly.

Art Rock fica por aqui… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem com a Paraná Educativa… 97,1. Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com, que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você vai poder fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado… e nós agradecemos a participação da Ana Bárbara e também da Ana Paula… as nossas queridas Gêmeas Progressivas… que produziram e apresentaram a primeira parte do programa de hoje.

Até a semana que vem.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

TRIANA

BG – “EN EL LAGO”

1. RECUERDOS DE UNA NOCHE

2. RUMOR

3. DEL CREPÚSCULO LENTO NACERÁ EL ROCÍO

4. HASTA VOLVER

BG – “SR. TRONCOSO”

TOTAL – 23:48

TASAVALLAN PRESIDENTTI

BG – DRIVING THROUGH

5. YOU’LL BE BACK FOR MORE – 6:16

6. DEEP THINKER 2:36

7. STRUGGLING FOR FREEDOM – 4:46

8. LAST QUARTER – 8:14

9. JELLY – 3:34

BG – WUTU BANALE

TOTAL – 25:26

GRAND TOTAL – 49:14

Ouça o Art Rock com Triana & Tasavallan Presidentti, que foi ao ar no dia 08/03/2009, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Passaport & Gravy Train

Posted in Programas with tags , on 06/03/2009 by Artrock

“Boa noite, vamos começar o programa de hoje com uma das maiores lendas do jazz rock, o grande Passport…

Formado no inicio dos anos 70, o Passport sempre foi o veículo para as viagens do virtuoso saxofonista alemão Klaus Doldinger, que começou sua carreira ainda nos anos 50, mas só saiu de vez do anonimato quando resolveu montar seu próprio grupo, onde misturaria elementos de rock e jazz para criar uma amálgama única… e o resultado foi o Passport, um grupo que influenciaria muito do que foi feito no jazz-rock durante os anos 70 e até os dias de hoje…

passport

Sem nunca manter a mesma formação por muito tempo o Passport se manteve centrado em torno dos fraseados de sax tenor e soprano, em meio a uma sonoridade dominada pelas linhas melódicas complexas e por uma forte estrutura rítmica… e isso permaneceu uma constante por toda a carreira do grupo, que nunca se encerrou, embora esteja atualmente em um de seus muitos recessos, enquanto Klaus Doldinger se concentra em sua outra paixão… as trilhas para cinema.

second-passport

Suas criações para cinema sempre foram celebradas, desde as trilhas para o clássico “Das Boot” e “A História sem Fim” até trabalhos mais recentes, incluindo colaborações para produções hollywoodianas… mas nós selecionamos material dos dois primeiros álbuns do grande Passport… gravados no comecinho dos anos 70, durante aquela que muitos consideram a melhor fase desse grande grupo alemão.

Vocês ouviram “Uranus”, “Hexensabbat”, “Mandragora” e “Registration O”, com o Passport de Klaus Doldinger…

A gente volta já.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer o Gravy Train, um daqueles grupos ingleses que chegou a lançar ótimos trabalhos, mas depois desapareceu sem deixar vestígios…

Formado em Lancastershire, em 1970, o Gravy Train tirou o seu nome da expressão inglesa para o que nós conhecemos aqui no Brasil como “Trem da Alegria”… e o som do grupo era um típico exemplo do estilo do lendário selo Vertigo… mas contando ainda com uma flauta, que levou muitos críticos da época a compará-los com o Jethro Tull, e com mais um detalhe… os vocais de Norman Barrett, que são realmente um caso a parte…

gravy-train

Vocalista e guitarrista, Barrett havia acabado de deixar a banda de Lord Sutch, onde tinha sido nada menos do que o substituto de Jimmy Page… e como líder do Gravy Train, ele começou dirigindo o grupo para um hard psicodélico… mas foi abrindo o leque de influências com o tempo… o que não mudou foi o seu estilo, forçando os limites do alcance de sua voz e chegando ao requinte de usar sobreposições de trilhas vocais em rotação alterada nos overdubs, só para conseguir mais efeitos…

a-ballad

O segundo álbum foi mais bem sucedido do que o primeiro, levando-os a seguir a mesma tendência nos discos seguintes… mas eles acabariam se separando em 74… só Norman Barrett seguiria em frente, envolvendo-se brevemente com o Mandalaband… depois disso só o silêncio… felizmente, os quatro álbuns do grupo foram lançados em CD… e nós selecionamos faixas dos dois primeiros, “Gravy Train” de 70 e “Ballad of a Peaceful Man” de 71…

Vocês ouviram “Enterprise”, “Earl of Pocket Nook” e “Old Thin Box”, com o Gravy Train…

Art Rock fica por aqui… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem com a Paraná Educativa… 97,1. Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com, que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você vai poder fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado…

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Set list:

PASSPORT

1. URANUS – 6:35

2. HEXENSABBAT – 4:27

3. MANDRAGORA – 3:46

4. REGISTRATION O – 9:24

TOTAL – 24:12

GRAVY TRAIN

1. ENTERPRISE – 6:20

2. EARL OF POCKET NOOK – 16:11

3. OLD THIN BOX – 4:45

TOTAL – 27:16

GRAND TOTAL – 50:43

Ouça o Art Rock com Passaport & Gravy Train, que foi ao ar no dia 01/03/2009, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *