Arquivo de março, 2010

Yes

Posted in Programas with tags on 28/03/2010 by Artrock

“Boa noite, hoje teremos no programa um grupo que é uma das figuras mais reconhecidas do progressivo, o grande Yes… que continua tão ativo como nunca e está atualmente em mais uma tour mundial com a sua nova formação.

O Yes já passou dos 40 anos de carreira e, para começar o programa de hoje, nós selecionamos um trabalho que mostra toda a sua vitalidade, o álbum “Magnification”, seu último registro de estúdio, lançado em 2001 e trazendo o núcleo criativo do grupo… Jon Anderson, Steve Howe, Chris Squire e Allan White… acompanhados de uma sinfônica para completar o time.

E o resultado não deixou a desejar, mostrando que eles só precisam resistir às pressões das gravadoras para acrescentar músicos sem relação com o progressivo como os tecladistas Billy Sherwood e Igor Khoroshev… com isso o resultado foi um som que era puro Yes… incluindo até uma faixa com Chris Squire assumindo os vocais, coisa que não acontecia há muito tempo.

Mas esse não se trata de um daqueles discos em que a orquestra é o principal veículo, simplesmente executando as faixas sob um arranjo sinfônico… aqui ela é usada pelo grupo como um instrumento, ora fornecendo apenas textura e acompanhamento, ora aparecendo como elemento dominante… um excelente álbum, indispensável para qualquer fã do Yes…

Vocês ouviram o genial Yes, com faixas de seu álbum de 2001… “Magnification”… primeiro foi a faixa título, seguida de “Spirit of Survival”, “Can you Imagine”, “Soft as a Dove” e “Dreamtime”.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos continuar com o Yes, mas trazendo um registro extra-oficial da sua fase mais recente, com seus dois novos integrantes…

Depois do álbum “Magnification”, a formação clássica do Yes se reuniu muitas vezes para excursões e apresentações especiais, mas eles não voltariam a gravar trabalhos de estúdio… e o grupo acabaria passando por mudanças significativas nos últimos anos, com a saída de um de seus membros fundadores, o vocalista Jon Anderson.

E tudo ocorreu de forma inesperada, começando com uma doença de Jon Anderson em 2008, que o afastou das apresentações com o grupo… ele deveria estar de volta para a tour de 40 anos do Yes em 2009, mas como eles precisavam se garantir para essa excursão história, Steve Howe, Chris Squire e Alan White resolveram contratar Benoit David, um substituto que deveria ser temporário…

De origem canadense, o novo vocalista tinha experiência em uma banda cover do Yes… mas o resultado foi uma ruptura com Jon Anderson, que se sentiu menosprezado… em 2009, o grupo resolveu assumir o novo vocalista… e além dele também segue como novo integrante o filho de Rick Wakeman, Oliver, nos teclados… para o programa de hoje nós selecionamos faixas do álbum pirata “In the Present”…

Com o Yes, vocês ouviram “Tempus Fugit”, “The Fish” e “Machine Messiah”, todas do álbum ao vivo “In the Present” de 2008, uma gravação extra-oficial do grupo, disponível apenas pela internet.

Art Rock fica por aqui, obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1…

Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado…

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

YES

BG – GIVE LOVE EACH DAY

1. MAGNIFICATION – 7:14

2. SPIRIT OF SURVIVAL – 6:01

3. CAN YOU IMAGINE – 2:58

4. SOFT AS A DOVE – 2:17

5. DREAMTIME – 10:45

BG – WE AGREE

TOTAL – 29:15

YES

6. TEMPUS FUGIT – 6:17

7. THE FISH – 4:01

8. MACHINE MESSIAH – 11:35

TOTAL – 21:53

Total geral: 51:08

Ouça o Art Rock com Yes que foi ao ar no dia 14/03/2010, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Karnataka

Posted in Programas with tags on 28/03/2010 by Artrock

“Boa noite, hoje teremos um programa dedicado a um dos melhores grupos da geração progressiva nascida nos anos 90 na Inglaterra… o Karnataka.

Com o nome inspirado em uma província da Índia, o Karnataka surgiu em 97 e, desde o início, centrava-se na dupla formada por Ian e Rachel Jones, uma parceria responsável pela maioria das composições, que ressaltavam a bela voz de Rachel, considerada uma das melhores vocalistas de sua geração junto de Heather Findley do Mostly Autumn.

A posição de Ian Jones como principal compositor do grupo é um daqueles raros casos no rock em que um baixista assumiu a liderança, tomando o lugar normalmente reservado aos guitarristas e até aos tecladistas… e o resultado foi uma sonoridade que busca mais a complexidade dos arranjos e linhas vocais do que o diálogo de instrumentistas solo.

O grupo já foi considerado uma revelação depois do álbum “Karnataka” de 98… e continuou crescendo com seus trabalhos seguintes, principalmente “The Delicate Flame of Desire” de 2003, que foi escolhido o disco do ano pela Classic Rock Society… e, para essa primeira parte do programa nós selecionamos um pouco desse que seria o último registro de estúdio do Karnataka antes da separação prematura causada pela saída de Rachel Jones…

Vocês ouviram com o Karnataka as faixas “Delicate Flame of Desire”, “Out of Reach” e “Heart of Stone”.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Vamos continuar trazendo um pouco do Karnataka… que passaria muito tempo sem dar sinal de vida… mas surpreendeu os fãs com o lançamento do álbum “The Gathering Light”, bem no começo de 2010…

Logo depois da separação em 2004, a vocalista Rachel Jones juntou-se ao grupo The Reasoning, casando-se com o baixista e guitarrista Mathew Cohen… mas Ian Jones seguiria em frente, anunciando em 2005 um novo projeto, “Chasing the Monsoon”, que seria inicialmente um trabalho individual, mas que acabaria envolvendo uma nova formação do Karnataka, agora com a vocalista Lisa Fury…

Mas, enquanto Rachel, agora com o sobrenome Cohen, lançava dois álbuns com o grupo The Reasoning, o Karnataka continuou passando por dificuldades, até conseguir se firmar com os novos integrantes, o guitarrista italiano Enrico Pina e o baterista Ian Harris, um veterano de muitos grupos… só então eles finalmente começaram a preparar um material novo, que se transformaria em 2010 no álbum “The Gathering Light”…

Mas esse novo trabalho fica para outro Art Rock… para fechar o programa de hoje nós selecionamos faixas do álbum duplo ao vivo “Strange Behaviour”, lançado em 2004… que registrou a tour de 2003 do Karnataka, marcando o ponto alto da primeira fase da sua carreira…

Vocês ouviram o Karnataka com “I should have known”, “Dreamer”, “Talk to me” e “The Journey”…

Art Rock fica por aqui, obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1…

Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado…
Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

KARNATAKA

BG – AFTER THE RAIN

1.    DELICATE FLAME OF DESIRE – 7:34

2.    OUT OF REACH – 7:48

3.    HEART OF STONE – 10:32

BG – THE RIGHT TIME

TOTAL: 25:54

KARNATAKA

BG – TELL ME WHY

4.    I SHOULD HAVE KNOWN – 3:13

5.    DREAMER – 4:55

6.    TALK TO ME – 8:55

7.    THE JOURNEY – 8:01

BG – THESE DREAMS ARE OVER

TOTAL – 25:04

Total geral: 50:58

Ouça o Art Rock com Karnataka que foi ao ar no dia 28/02/2010, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Nova música do Syd Bach

Posted in Produto Nacional on 19/03/2010 by Artrock

Aproveitem para ouvir, na íntegra a mais nova e bela música do Syd Bach, disponibilizada aqui. Comentem!

Focus

Posted in Programas with tags on 07/03/2010 by Artrock

“Boa noite, hoje teremos no programa uma das presenças obrigatórias na discoteca de qualquer bom prog. head… o decano do progressivo holandês… o genial Focus.

Fundado na Holanda, em 69, o Focus é um dos nomes essenciais do rock progressivo, sempre centrado em torno dos teclados, flauta e vocalizações do grande Thijs van Leer… mas contando ainda, em sua formação clássica, com o guitarrista Jan Akkerman e o baterista Pierre Van der Linden…

Na verdade, o grupo só começou a chamar a atenção depois do lançamento do álbum “Moving Waves”, de 71… mas, depois disso, eles seriam reconhecidos no mundo todo, com discos de grande sucesso como “Focus III”, “Live at the Rainbow” e “Hamburger Concerto”… uma grande fase que aproveitou o breve período em que o rock de um modo geral e até o progressivo tinham permissão da indústria e da mídia para fazer sucesso…

No final dos anos 70, a rica tapeçaria sonora do Focus já havia perdido o seu poder de penetração no mercado musical, e eles se separaram logo depois do álbum “Focus con Proby” de 78… eles voltariam a se reunir, mas, para essa primeira parte do programa, nós selecionamos material da sua fase clássica… antes que tudo mudasse, com a ascensão da Disco Music nos Estados Unidos e do Furacão Punk na Inglaterra.

Você ouviram o Focus com “Janis” e “Eruption”, faixas do álbum “Moving Waves”, que lançou o grupo no cenário progressivo internacional, inclusive no Brasil, onde sempre foi um dos favoritos dos fãs do prog. rock.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Vamos continuar trazendo um pouco do grande Focus, que voltou à atividade… primeiro para um único álbum na década de 80… e novamente em 2001, dessa vez um retorno para valer, com álbuns, DVDs e tours freqüentes.

No seu retorno no novo milênio o único sobrevivente da fase clássica do grupo era Thijs van Leer… mas a nova formação foi bem recebida e chegou até a vir ao Brasil, participando do Art Rock Festival de 2003, no Rio de Janeiro… e, apesar das guitarras não estarem ao cargo de Ian Akkerman, quem assistiu ao grupo não se decepcionou.

Na época o guitarrista do Focus era o virtuoso Jan Dumée… mas ele deixaria o grupo em 2006 substituído por Niels van der Steenhoven, com quem eles gravariam o último registro de estúdio, o álbum “Focus 9/New Skin”, que foi lançado ainda naquele ano e já contava com a surpresa… o retorno de Pierre van der Linden na bateria.

Atualmente, o Focus está excursionando pela América Latina… e, depois de passar por Goiania, Belo Horizonte, Juiz de Fora e Porto Alegre, deve encerrar suas apresentações no Brasil com um show imperdível em São Paulo na próxima terça, dia 9 de março… enquanto isso, vamos ouvir mais um pouco desse grande grupo do prog. Holandês, agora com faixas do antológico “Hamburger Concerto”, de 74…

Vocês ouviram o Focus, com “Hamburger Concerto” e “Early Birth”…

Art Rock fica por aqui, obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1…

Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado…
Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

FOCUS

1.    JANIS – 3:09

2.    ERUPTION – 23:04

TOTAL: 26:13

FOCUS

3.    HAMBURGER CONCERTO – 20:19

4.    EARLY BIRTH – 2:54

TOTAL – 23:13

Total geral: 49:26

Ouça o Art Rock com Focus que foi ao ar no dia 07/03/2010, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Pär Lindh Project, Kerrs Pink & After Crying

Posted in Programas with tags , on 07/03/2010 by Artrock

“Boa noite, no programa de hoje teremos três exemplos de prog. sinfônico, mas com estilos diferentes, todos representantes do rock continental europeu…

E vamos começar com dois exemplos do rock escandinavo… primeiro o Pär Lindh Project, criado em 94 pelo grande tecladista sueco Pär Lindh, que já se tornou muito conhecido dos prog. heads brasileiros, devido ao lançamento nacional de muitos dos seus trabalhos… e que nós já trouxemos várias vezes aqui no Art Rock… para hoje, selecionamos faixas extraídas de “Gothic Impressions”, o álbum de estréia do grupo…

 

E, na seqüência, um dos grandes nomes do prog. rock norueguês, o Kerrs Pink, fundado em 72 pelo baixista e vocalista Jostein Hansen, com o nome tirado de um tipo de batata muito comum na Escandinávia e um som que mistura elementos de folk music ao seu progressivo sinfônico, inspirando-se na música tradicional nórdica…

Os primeiros trabalhos do Kerrs Pink foram nos anos 80, mas a sua melhor fase seria na década seguinte… seu último registro foi o álbum “Tidings” de 2002, com uma formação estendida que, além das guitarras, incluía dois tecladistas e um novo vocalista… mas, para o programa de hoje, nós escolhemos duas faixas do duplo conceitual “A Journey on the Inside”, de 93…

Vocês ouviram com o Pär Lindh Project as faixas “The Iconoclast” e “Green Meadow Lands”… e depois foi o Kerrs Pink, com “Act of Appearing” e “The Initiator”…

A gente volta já.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E vamos continuar trazendo um pouco do prog. europeu, agora com um dos mais importantes grupos da Hungria, o genial After Crying…

Formado em 86, o After Crying surgiu das alugações de um trio de músicos eruditos… o pianista Csaba Vedres ( Tchába Vêdres), o violoncelista Peter Pejtsik (Pêter Pêitçik) e o flautista Gábor Egervári (Gábur Eguervári)… que resolveram montar um trio apenas para tocar musica instrumental de câmara e chegaram até a lançar dois álbuns em fita cassete com essa proposta, ainda nos anos 80…

Mas eles acabariam sendo levados em direção de paragens mais progressivas com o tempo e logo acrescentariam teclados, guitarras e baterias, formando um grupo único no progressivo europeu da década de 90… capaz de misturar influências que vão de King Crimson a Frank Zappa.

O After Crying também anda meio silencioso, seu último registro de estúdio foi o álbum conceitual “Show”, de 2003, que lidava com a idéia do progresso e as muitas faces da modernidade… mas para hoje nós selecionamos um material mais antigo, extraído do primeiro álbum do grupo, “Overground Music”, lançado em 1990 e que marcou a volta da Hungria para o cenário do progressivo europeu…

Com o After Crying vocês ouviram “European Things (hommage to Frank Zappa), “Confess your Beauty”, “Madrigal Love Part One”, “…To Black…”, “Madrigal Love Part Two” e “Madrigal Love Part Free”.

Art Rock fica por aqui, obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1…

Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado…
Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

PÄR LINDH PROJECT / KERRS PINK

1.    THE ICONOCLAST – 7:04

2.    GREEN MEADOW LANDS – 7:24

3.    ACT OF APPEARING – 5:17

4.    THE INITIATOR – 4:08

TOTAL – 23:53

AFTER CRYING

1.    EUROPEAN THINGS (HOMMAGE TO FRANK ZAPPA) – 8:27

2.    CONFESS YOUR BEAUTY – 6:50

3.    MADRIGAL LOVE PART ONE – 2:14

4.    …TO BLACK… – 5:05

5.    MADRIGAL LOVE PART TWO – 3:00

6.    MADRIGAL LOVE PART FREE – 0:51

TOTAL – 26:27

grand total – 50:30

Ouça o Art Rock com Pär Lindh Project, Kerrs Pink & After Crying que foi ao ar no dia 21/02/2010, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *