Arquivo para junho, 2010

Tangerine Dream

Posted in Programas with tags on 25/06/2010 by Artrock

“Boa noite, no programa de hoje vamos explorar as viagens eletrônicas de uma lenda viva do prog. germânico… o Tangerine Dream.

Nascido no distante ano de 67, o grupo já teve dezenas de formações, sempre centradas em torno do genial Edgar Froese, que começou trabalhando com arte conceitual junto de seu mentor, o gênio surrealista Salvador Dali… só mais tarde é que ele começou a se interessar por música e formou a banda psicodélica Ones, que chegou a gravar um single em meados dos anos 60… antes de dar lugar ao Tangerine Dream.

No começo eles ainda mantinham uma abordagem calcada no rock psicodélico… mas, em 69, Edgar Froese, Conrad Schnitzler e Klaus Schulze fizeram a transição para o progressivo e, no ano seguinte, eles lançariam o surpreendente álbum “Eletronic Meditations”, um trabalho radical onde a música resultava da comutação de sons através de efeitos eletrônicos… um som de ficção científica, perfeito para aquele momento em que o mundo vivia a Era Espacial.

Dessa formação do Tangerine, só Edgar Froese sobreviveria… chamando Christopher Franke e Steve Schröeder para completar o trio… mas foi com a entrada de Peter Baumann para o lugar de Steve, em 71 que o grupo atingiria a sua formação clássica… que duraria até 77… e é dessa época prolífica que nós selecionamos as faixas dessa primeira parte do programa de hoje…

Vocês ouviram o Tangerine Dream com “Sunrise in the third system”, Mysterious semblance at the strand of nightmares” e “Invisible limits”…

O Art Rock volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E nós vamos continuar trazendo um pouco da fase mais importante do pioneiro do rock eletrônico, o genial Tangerine Dream…

Quando Peter Baumann deixou o grupo, o Tangerine já havia se tornado um verdadeiro sinônimo da música eletrônica, com álbuns celebrados como “Zeit”, “Atem”, “Phaedra”, “Rubycon” e “Stratosfear”… mas eles continuaram a produzir discos significativos nos anos seguintes, principalmente depois que foram descobertos por Hollywood para trabalhos em trilhas sonoras… algo que continuam fazendo até hoje.

 

Isso não impediu que continuassem as gravações de estúdio, mesmo depois que as constantes mudanças de formação transformassem o grupo em uma verdadeira banda de apoio de Edgar Froese… mas a sonoridade hipnótica do velho Tangerine permaneceu nos inúmeros álbuns lançados desde a década de 80… em uma média de três discos por ano, incluindo trilhas e registros ao vivo.

Atualmente o Tangerine Dream está às voltas com a sua tour mundial de 2010… além do lançamento em CD e DVD de “Izu, TD live in Japan 2009”… e também novos registros de estúdio, inclusive em vinil… mas para a segunda parte do programa nós selecionamos faixas da sua fase clássica, extraídas dos álbuns “Stratosfear” de 76 e “Cyclone” de 78…

Vocês ouviram o grande Tangerine Dream com “The big sleep in search of Hades” e “Madrigal meridian”…

Art Rock fica por aqui, obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1…
Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado…

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

TANGERINE DREAM

1. SUNRISE IN THE THIRD SYSTEM – 4:20

2. MYSTERIOUS SEMBLANCE AT THE STRAND OF NIGHTMARES  9:56

3. INVISIBLE LIMITS – 11:24

TOTAL – 25:40

TANGERINE DREAM

1. THE BIG SLEEP IN SEARCH OF HADES – 4:26

2. MADRIGAL MERIDIAN – 20:28

TOTAL – 24:54

GRAND TOTAL – 50:34

Ouça o Art Rock com o Tangerine Dream que foi ao ar no dia 30/05/2010, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Fairport Convention & Steeleye Span

Posted in Programas with tags , on 21/06/2010 by Artrock

“Boa noite, hoje vamos viajar para os verdes campos da velha Inglaterra, trazendo dois decanos do folk britânico… e, para começar, o grande Fairport Convention.

Fundado em 67 em torno de Richard Thompson, Simon Nicol e Ian Mathews, o Fairport Convention tornou-se uma das bandas mais representativas do movimento folk, principalmente depois da entrada da vocalista Sandy Denny, cuja voz cristalina acabou se tornando uma das marcas do grupo, que teria muitas formações e incluiria outras três grandes figuras do folk… os três Daves… Mattacks, Pegg e Swarbrick, na bateria, baixo e nos mandolins e vocais. Faz um bom tempo que não trazemos esse grande grupo do folk rock inglês em nosso programa… por isso, nós selecionamos faixas do seu período mais celebrado, antes da saída de Sandy Denny , que formaria o Fotheringay em 1970, e só voltaria para o Fairport em 74, lançando no ano seguinte o genial álbum “Rising For the Moon”.

Sandy Denny saiu de novo do Fairport em 76 e acabaria deixando o nosso plano da realidade em 78… mas eles seguiram em frente e continuam firmes até hoje, com lançamentos constantes em CD e DVD e também tours anuais que incluem a volta de antigos integrantes até convidados especiais como Robert Plant, que prestou uma homenagem recente a Sandy, cantando “Battle of Evermore”, faixa do Led Zeppelin em que ela participou… mas isso fica para outro programa, para hoje teremos um pouco dos álbuns “What I did on my Hollydays” e “Liege and Lief” , ambos de 69. Vocês ouviram o Fairport Convention com “Fotheringay”, “Matty Groves”, “Tam Lin”, “Farewell, Farewell” e “Crazy Man Michael”… O Art Rock volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora teremos o Steeleye Span, outro vetereno do folk inglês, que foi formado pelo o baixista Ashley Hutchings depois de deixar o Fairport Convention em 69… Com idéias para um novo projeto, Ashley chamou o duo formado por Tim Hart e Maddy Prior… e eles adotaram o nome Steeleye Span, tirado de um personagem da canção tradicional inglesa “Horkstow Grange”… uma sugestão do lendário guitarrista folk Martin Carthy, que acabaria entrando para o grupo e participaria dos clássicos álbuns “Pleased to see the King” de 71 e “The Man Mop” de 72…

A melhor fase do Steeley Span começaria com o álbum “Parcel of Rogues”, de 73… e eles se tornariam muito populares na mídia inglesa, atraindo a participação de nomes como David Bowie e Peter Sellers em seus trabalhos seguintes… mas o seu maior sucesso chegaria com o álbum de 75, “All Around my Hat”… nessa época, Maddy Prior já era cotada entre as grandes vocalistas do rock inglês, rivalizando com Annie Haslam do Renaissance e com a própria Sandy Denny do Fairport. Mas o furacão punk acabou levando muitos grandes nomes do rock a perder terreno no final dos anos 70… felizmente o Steeley continuou ativo, entre mudanças de formação, retornos de membros originais e reuniões antológicas… atualmente eles estão tão vivos como nunca e lançaram em 2009 o seu 21º. Álbum de estúdio… o excelente “Cogs, Wheels and Lovers”… que nós selecionamos para essa segunda parte do programa de hoje. Vocês ouviram o Steeley Span com “Gallant frigate Anphitrete”, “Locks and Bolts”, “Just as the Tide”, “The Machiner’s Song”, “Our Captain Cried” e “The Great Selkie of Sule Skerry”, esta última uma faixa bônus, escondida no CD… Art Rock fica por aqui, obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1… Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

FAIRPORT CONVENTION

BG – NOTTAMUN TOWN

1.    FOTHERINGAY – 3:07

2.    MATTY GROVES – 8:10

3.    TAM LIN – 7:14

4.    FAREWELL, FAREWELL – 2:40

5.    CRAZY MAN MICHAEL – 4:46

BG – COME ALL YE TOTAL – 25:57

STEELEYE SPAN BG – THE UNQUIET GRAVE

1.    GALLANT FRIGATE ANPHITRITE – 4:03

2.    LOCKS AND BOLTS – 3:57

3.    JUST AS THE TIDE – 4:25

4.    THE MACHINER’S SONG – 2:42

5.    OUR CAPITAIN CRIED – 3:26

6.    THE GREAT SELKIE OF SULE SKERRY – 5:52

BG – CREEPING JANE TOTAL – 24:25

GRAND TOTAL – 50:22

Ouça o Art Rock com o Fairport Convention & Steeleye Span que foi ao ar no dia 23/05/2010, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Elf & Rainbow

Posted in Programas with tags , on 14/06/2010 by Artrock

“Boa noite, hoje como não poderia deixar de ser, teremos um programa dedicado ao pequeno grande elfo do rock… que atravessou o último portal e já deve estar a meio caminho de Leuthilspar, na verde ilha de Evermeet… onde reina a élfica Amlaruil…

Estamos nos referindo ao grande Ronaldo Padavona, mais conhecido como Ronnie James Dio… que já era uma lenda, quando entrou para o Black Sabbath substituindo Ozzy Osbourne em 1979… e que reuniu em sua carreira trabalhos antológicos dentro e fora de grandes bandas… tornando-se uma das vozes mais marcantes da história do rock… uma voz ristemente silenciada no dia 16 de maio de 2010…

Nascido nos Estados Unidos, Dio gravou seu primeiro compacto em 1958 com o grupo Ronnie & The Red Caps… mas seria com os Eletric Elves, nos anos 60, que ele construiria sua fama como vocalista… e também seu estilo cheio de simbolismos… anos mais tarde, quando o grupo já era conhecido apenas como Elf, eles foram descobertos pelo guitarrista Ritchie Blackmore, quando abriram os shows do Deep Purple nos Estados Unidos…

Quando saiu do Purple, Blackmore chamou os membros do Elf para formarem a sua banda de apoio, e eles acabariam por se transformar na primeira encarnação do grande Rainbow… mas nós vamos começar a homenagear esse velho elfo que nos deixa com faixas desse grupo americano que terminou antes da hora, mas nos legou três excelentes trabalhos no começo dos anos 70…

Vocês ouviram o Elf com “Never More”, “I’m Coming back to you”, “Dixie Lee Junction”, “Prentice Wood” e “Wonderworld”… faixas extraídas dos álbuns “Elf” de 72 e “Trying to Burn the Sun” de 75.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer o Rainbow, grupo fundado pelo genial guitarrista Ritchie Blackmore, quando ele deixou o Deep Purple, e que contou com Ronnie Dio nos vocais naquela que seria a sua formação mais celebrada.

Enquanto o Elf ainda tinha muitos elementos de puro rock and roll, incluindo o piano tocado pelo próprio Dio, o Rainbow vinha de uma outra linhagem do rock, dominada pelo virtuosismo da guitarra de Blackmore e também por uma abordagem que mesclava elementos de inspiração puramente gótica… onde referências místicas se misturavam com contos de fantasia medieval…

Essa temática devia muito às alugações do próprio Dio… e Ritchie só voltaria a buscar algo semelhante muito tempo depois, quando montou sua dupla com a mulher Candice Night nos anos 90… mas aí seria com uma sonoridade folk renascentista, bem diferente da força e do impacto do seu trabalho com o Rainbow, principalmente nos seus primeiros álbuns, ainda com as letras e os vocais de Ronnie.

Depois de deixar o grupo, Dio passou a integrar o Black Sabbath, saiu para uma carreira solo de grande sucesso, voltou em 92… saiu novamente e, nos últimos anos, dividia trabalhos solo com mais um retorno sabatiano, dessa vez sem complicações legais pois utilizavam o nome Heaven & Hell… mas os trabalhos desse Sabbath com um outro nome ficam para outro programa… para hoje nós selecionamos faixas da melhor fase do Rainbow… quando seu vocalista era um pequeno elfo com uma grande voz…

Vocês ouviram “Man on the Silver Mountain”, “Catch the Rainbow”, “Stargazer” e “Gates of Babylon”… com o Rainbow de Ritchie Blackmore e Ronnie James Dio… uma das vozes mágicas do rock pesado… que não está mais entre nós.

Art Rock fica por aqui, obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1…
Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

ELF

BG – FIRST AVENUE

1. NEVER MORE – 3:52

2. I’M COMING BACK TO YOU – 3:29

3. DIXIE LEE JUNCTION – 5:12

4. PRENTICE WOOD – 4:37

5. WONDERWORLD – 5:04

BG – GAMBLER, GAMBLER

TOTAL – 22:14

RAINBOW

BG – THE TEMPLE OF THE KING

1. MAN ON THE SILVER MOUNTAIN – 4:42

2. CATCH THE RAINBOW – 6:39

3. STARGAZER – 8:32

4. GATES OF BABYLON – 6:51

BG – RAINBOW EYES

TOTAL – 26:44

GRAND TOTAL – 48:58

Ouça o Art Rock com o Elf & Rainbow que foi ao ar no dia 16/05/2010, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Emerson, Lake and Palmer

Posted in Programas with tags on 07/06/2010 by Artrock

“Boa noite, hoje teremos o programa com um trio que é um dos grupos síntese do rock progressivo… o genial Emerson, Lake and Palmer.

Claro que não precisamos entrar em detalhes sobre o E.L.P., visto que é um dos mais importantes representantes do prog. rock… uma referência obrigatória para qualquer um que conheça ou queira conhecer um pouco da música progressiva dos anos 70… e um verdadeiro exemplo tanto do virtuosismo como dos exageros que marcaram essa época na história do rock.

O Emerson, Lake & Palmer é uma presença constante em nosso programa, mas sempre é bom lembrar um pouco da alquimia única produzida por esse grupo… uma complexa tapeçaria de sons nascidos da ambição de fundir as possibilidades da música erudita com o rock… às vezes indo do paradigma sinfônico à vanguarda, ou deixando tudo de lado para voltar à simplicidade.

O E.L.P. continua em plena atividade, mas para o programa de hoje nós selecionamos material do tempo em que eram responsáveis por uma das mais celebradas performances do mundo do rock… com faixas da sua fase clássica… extraídas dos álbuns “Emerson, Lake & Palmer” de 1970, e de um dos seus melhores trabalhos, o genial “Brain Salad Surgery” de 1973…

Vocês ouviram o E.L.P. com “The Three Fates”, “Jerusalem” e “Karn Evil 9 (1st Impression)…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer mais um pouco do grande Emerson, Lake & Palmer… um trio que foi longe na sua viagem progressiva, mas que acabou perdendo o rumo no final dos anos 70.
Ao contrários de muitos grupos que se separaram por problemas internos e conflito de egos, o E.L.P. foi vítima dos excessos… e não foi de drogas… na verdade eles haviam resolvido levar a experiência progressiva às últimas conseqüências, em uma tour na qual seriam acompanhados por nada menos do que uma sinfônica completa, com 90 integrantes e toda a estrutura necessária para fazê-la funcionar.

Era para ser uma tour fenomenal, mas o custo acabou levando o grupo à falência e a um fim prematuro… só nos anos 90 a renascença progressiva começou a resgatar um pouco dessas grandes carreiras interrompidas… e eles voltaram em 92, com o álbum “Black Moon”… que foi muito bem recebido e rendeu ótimas tours, além de motivar a remasterização do seu catálogo em CD…

O álbum ‘In the Hot Seat” de 94 foi gravado em meio a problemas de saúde, mas o E.L.P. seguiu em frente até 98, com excursões bem sucedidas de peso e ótimos registros ao vivo… infelizmente, voltaram a se separar e não havia nenhum sinal de uma volta… até surgirem os rumores de seu retorno para o High Voltage Festival, de julho de 2010… mas essa história fica para outro programa… vamos fechar com mais um pouco da melhor fase dessa lenda do prog. rock…

Vocês ouviram “Karn Evil 9 (2nd & 3rd Impressions) e “Trilogy”… com o Emerson, Lake & Palmer.

Art Rock fica por aqui, obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1…

Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

ELP

1. THE THREE FATES – 7:46

2. JERUSALEM – 2:43

3. KARN EVIL 9 (1ST IMPRESSION) – 13:23

TOTAL – 23:52

ELP

1. KARN EVIL 9 (2ND IMPRESSION) – 7:06

2. KARN EVIL 9 (3RD IMPRESSION) – 9:25

3. TRILOGY – 8:54

TOTAL – 25:25

GRAND TOTAL – 49:17

Ouça o Art Rock com o Emerson, Lake and Palmer que foi ao ar no dia 09/05/2010, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *