Arquivo para agosto, 2010

King Crimson & David Gilmour

Posted in Programas with tags , on 31/08/2010 by Artrock

“Boa noite, hoje teremos no programa momentos ao vivo de dois grandes nomes da história do rock, começando com um dos grupos fundadores da linguagem progressiva, que continua em atividade mais de quarenta anos depois… o insuperável King Crimson!

Naturalmente o King Crimson dispensa apresentações, ainda mais porque é figura constante em nosso programa, inclusive no nosso tema de abertura… e é também um dos grupos que melhor sintetiza o prog. rock, tanto por sua incansável exploração de ideias e conceitos musicais, como pela sua natureza polimórfica, com o entra e sai de músicos agregando sempre mais ao conjunto dominado pelo seu genial líder, o Rei Escarlate em pessoa, Robert Fripp…

Desde os tempos em que ainda era cabeludo, Fripp sempre se colocou em uma posição singular no mundo do rock… um guitarrista com uma sonoridade única, que influenciaria muita gente, sendo praticamente a matriz de muito do que é hoje feito no lado mais pesado do progressivo… ainda que os riffs poderosos e o clima angustiante de suas músicas se casassem com momentos de puro intimismo e melancolia, para formar amálgama preciosa que é o som do King Crimson.

E para essa primeira parte do programa de hoje nós selecionamos um dos incontáveis lançamentos ao vivo que Fripp providencia de quando em quando… e o escolhido foi o duplo ao vivo “Ladies of the Road”, lançado em edição limitada em 2003 e trazendo apresentações ao vivo gravadas no começo dos anos 70, quando o King Crimson contava em sua formação com Boz Burrell no baixo e vocais, Mel Collins no sax, Ian Wallace na bateria e, é claro, Robert Fripp na guitarra…

Vocês ouviram “Pictures of a city”, “Formentera Lady”, “21st Century schizoid man”… com o grande King Crimson.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora teremos outra figura frequente aqui no Art Rock, o guitarrista David Gilmour do grande Pink Floyd…

David Jon Gilmour também não precisa de maiores apresentações… pois se tornaria uma das forças criativas do Pink Floyd… e o líder do grupo depois da briga com o baixista Roger Waters… no fim, ele acabaria por ser praticamente o responsável pelos últimos trabalhos de estúdio do Floyd, entre o final dos anos 80 e o começo dos 90… ao mesmo tempo em que investia em sua carreira solo.

Os acordes espaciais da Fender Stratocaster de Gilmour estão entre os sons mais emblemáticos do progressivo… e ele levaria a sua marca nos discos solo e em suas inúmeras colaborações em trabalhos de diversos músicos, tanto na guitarra como na produção, em uma carreira ativa, mas com um perfil muito menos destacado do que o dos seus tempos de Pink Floyd.

Desde a reunião do grupo para uma única apresentação, no Live 8 em 2005, que circulam rumores de um retorno… e, por incrível que pareça, ele e Roger Waters se reaproximaram em 2010, tocando juntos em julho Oxfordshire e anunciando outros encontros… mas enquanto isso, vamos ouvir um pouco do álbum “At Hammersmith Odeon”, gravado em 1984, mas lançado em CD e DVD somente em 2009.

Vocês ouviram David Gilmour com “Untill we sleep”, “There’s no way out of here”, “Short and Sweet”, que teve a participação do genial Roy Harper e “Run Like Hell”…

Art Rock fica por aqui, obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado…

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

KING CRIMSON

BG – CIRKUS (0:52)

1. PICTURES OF A CITY – 8:46

2. FORMENTERA LADY – 6:42

3. 21ST SCHIZOID MAN – 8:58

BG – GROON

TOTAL – 24:26

DAVID GILMOUR

BG – BLUE LIGHT

1. UNTILL WE SLEEP – 5:54

2. THERE’S NO WAY OUT OF HERE – 6:28

3. SHORT AND SWEET – 6:49

4. RUN LIKE HELL – 6:38

BG – ALL LOVERS ARE DERANGED

TOTAL – 25:49

Total geral: 50:25

Ouça o Art Rock com o King Crimson & David Gilmour que foi ao ar no dia 01/08/2010, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Anúncios

Kansas & Proto Kaw

Posted in Programas with tags , on 27/08/2010 by Artrock

“Boa noite, hoje teremos no programa dois grupos que pertencem à mesma família e representam o progressivo norte-americano, que está bem vivo ao final dessa primeria década do séc. XXI…

Vamos começar com um dos mais bem sucedidos grupos do prog. rock norte americano, que já tinha passado por outros nomes quando se uniu em 1970 a outra banda da região, o White Clover… e se transformou no Kansas, um nome não apenas inspirado no seu estado natal, mas também na tribo indígena Kansa… o “Povo do Vento do Sul”, que dominava as planícies do centro-oeste dos Estados Unidos.

A força criativa do grupo centrava-se nos teclados e vocais de Steve Walsh, na guitarra de Kerry Ligvren e no violino de Robby Steinhardt… e o resultado era uma sonoridade que misturava complexidade e melodia em meio a momentos de força… uma combinação que chegou ao seu auge nos clássicos álbuns “Left Overture” de 76 e “Point of no return” de 77… ambos trabalhos de grande sucesso, de uma época em que o prog. rock era presença frequente nas rádios do mundo todo.

Infelizmente o radicalismo cristão de Kerry Ligvren levaria à saída de Steve Walsh, e o grupo se perderia na década de 80 com discos fracos… só nos anos 90 eles voltariam a tocar juntos e lançariam excelentes trabalhos como “Freaks of Nature” de 96, “Always Never the Same” de 98 e “Somewhere to Elsewhere” de 2000… e eles continuaram em atividade depois da nova saída de Kerry, em 2002… mas, para essa primeira parte do programa, nós selecionamos um pouco da fase áurea do Kansas…

Vocês ouviram com o Kansas, as faixas “The wall”, “Magnum Opus”, “The lightning’s hand” e “The other side”…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos ouvir o grupo que Kerry Ligvren formou depois que deixou novamente o Kansas em 2002… o Proto Kaw.

Na verdade, esse grupo não tem nada de novo, pois foi formado com os membros da 2ª formação do Kansas… que durou por dois anos e deu lugar à formação mais conhecida, que gravaria o primeiro álbum do grupo em 1974… e eles se reencontrariam devido ao lançamento de uma coletânea com material que haviam gravado 30 anos atrás, e que havia permanecido inédito desde então…

Para não ter problemas legais, Kerry Ligvren resolveu não usar o nome Kansas II, preferindo algo que mantivesse a mesma referência à Tribo Kansa, mas pelo seu outro nome: o Povo Kaw… assim surgiu um novo grupo… e, como eles já existiam antes do Kansas, resolveram assumir o caráter de protótipo e se tornaram o Proto Kaw… só não esperavam a ótima resposta ao álbum “Early recordings from Kansas 1971-1973”, a coletânea que saiu em 2002.

Dos membros do grupo, só Kerry Ligvren tinha se mantido em atividade durante esse tempo todo… e os seus velhos companheiros tiveram de reaprender a tocar instrumentos que andavam encostados há décadas… mas o resultado foram dois excelentes álbuns de estúdio e uma carreira renovada… confiram um pouco do Proto Kaw, com faixas de “Before became after” de 2004 e “The wait of glory” de 2006…

Vocês ouviram o Proto Kaw, com “Alt. More Worlds than Know”, “Gloriana” e “Nevermore”…

Art Rock fica por aqui, obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado…

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

KANSAS

BG: PORTRAIT (HE KNEW)

1.THE WALL – 4:48

2.MAGNUM OPUS – 8:28

3.THE LIGHTNING’S HAND – 4:24

4.THE OTHER SIDE – 6:26

BG: SPARKS OF THE TEMPEST

TOTAL: 24:06

PROTO KAW

BG: WHEN THE RAINS COME

5.ALT. MORE WORLDS THAN KNOW – 7:31

6.GLORIANA – 9:09

7.NEVERMORE – 9:15

BG: AXOLOTL

TOTAL – 25:55

Total geral: 50:01

Ouça o Art Rock com o Kansas & Proto Kaw que foi ao ar no dia 25/07/2010, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Astra

Posted in Programas with tags on 22/08/2010 by Artrock

“Boa noite, hoje, depois de uma longa ausência, teremos no programa a presença da nossa supercolaboradora, Ana Barbara Vicentin, que, além de administrar o blog do programa, ainda aparece sempre com alguma banda genial… é com você, Ana Barbara:

Boa noite, no programa de hoje, vamos apresentar um exemplar da geração de bandas progressiva do século XXI, que está na vanguarda da nova onda do prog psicodélico… diretamente de São Diego, Califórnia: o Astra.

Ele iniciou sua odisseia no inverno de 2001, com uma música atemporal e genuína, centrada na psicodelia e space rock… o seu nome já é marca na costa oeste dos EUA, e o primeiro álbum, “The Weirding”, saiu em 2009… uma obra conceitual que o fundador da banda Richard Vaughn explica: “Os temas principais são a morte, a introspecção e a contemplação do que está no além. Reflete sobre o estado de rápida deterioração do mundo de hoje e tenta encontrar uma saída”.

Para os apreciadores do bom progressivo dos anos 70, o som de “The Weirding” tem uma força instrumental que nos remete ao estilo do Genesis, aos mellotrons e riffs do King Crimson e ao clima Floydiano, que nos faz viajar por vários estados de espírito, uma verdadeira viagem épica.

O Astra conta com os multi-instrumentistas Richard Vaughan no mellotron, guitarra, moog e vocal, Conor Riley na guitarra, mellotron, órgãos e vocal, Stuart Sclater no baixo,  Brian Ellis na guitarra e no moog e David Hurley na bateria, flauta e percussão…vamos ouvir algumas das faixas do album, “The Weirding”.

Vocês ouviram Astra, as faixas “The Rising of the Black Sun”, “The Weirding” e “The River Under”…

O Art Rock volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E nós vamos continuar com o Astra, que tem um estilo musical que remete à sonoridade analógica dos anos 70.

Ouve-se muito moog, mellotron, hammond, baixo e bateria sobrando, no melhor som do tipo “gravado ao vivo”, que dá uma naturalidade a banda… além disso, seus excelentes músicos não se  limitam a copiar os grande “medalhões” dos anos 70, mas sim lapidar essas influencias, criando músicas genuínas e originais.

O show de estreia do grupo no Reino Unido, no ano passado, causou um enorme impacto na cena progressiva da atualidade e certamente deu ao Astra uma forte base de fãs na Europa… e o grupo ainda acrescentou um brinde para as primeiras 300 pessoas que compareceram – um exclusivo single de sete polegadas, que certamente se tornará item exclusivo de colecionador.

E eles fecharam o show com perfeição, tocando duas músicas do The Wall, do incomparável Pink Floyd… o que certamente contribuiu para tornar o espetáculo um evento ainda mais memorável… confiram agora um pouco mais do Astra, um grupo que parece destinado a ser um futuro clássico da discografia progressiva.

Vocês ouviram Astra, “Broken Glass”, “The Dawning of Ophiuchus” e “Beyond to Slight the Maze”…

Art Rock fica por aqui, agradecendo a presença da Ana Barbara Vicentin, que apresentou o programa de hoje… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1… visite o Blog do programa em https://artrock.wordpress.com… administrado aqui pela nossa amiga Ana Barbara… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado…

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

ASTRA

BG: OUROBOROS 0 ATÉ 2:40…

1.THE RISING OF THE BLACK SUN – 5:44

2.THE WEIRDING – 15:27

3.THE RIVER UNDER – 8:41

BG: OUROBOROS 2:40 ATÉ…

TOTAL: 29:18

ASTRA

BG: OUROBOROS 3:38 ATÉ…

1.BROKEN GLASS – 3:45

2.THE DAWNING OF OPHIUCHUS – 5:29

3.BEYOND TO SLIGHT THE MAZE – 11:36

BG: SILENT SLEEP

TOTAL – 20:08

Total geral: 49:26

Ouça o Art Rock com o Astra que foi ao ar no dia 18/07/2010, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Fusioon & Galadriel

Posted in Programas with tags , on 13/08/2010 by Artrock

“Boa noite, hoje vamos prestigiar nossos ouvintes que também são fãs do esporte bretão, trazendo um pouco do progressivo da Espanha, país que ganhou a Copa do Mundo de 2010…

E vamos começar com o grupo catalão Fusioon… que foi formado no começo dos anos 70, e centrava-se em torno do grande tecladista Manel Camp… músico de formação clássica que foi um dos muitos a se deixar influenciar pelo grande Nice de Keith Emerson… e o resultado foi um grupo que já anunciava no nome o seu interesse em fundir elementos de composição erudita de vanguarda com a linguagem do rock.

O primeiro álbum do Fusioon saiu em 72… uma época em que a Espanha ainda vivia sob a ditadura franquista… que só terminaria com a restauração da monarquia e a consequente volta da democracia em 1975… mas, antes disso, surgiram muitas iniciativas de resistência, principalmente em regiões como a Catalunha e a Galícia… todas buscando fragmentos de liberdade… e, na música, uma das maneiras foi justamente pela exploração sem limites que define o prog. rock.

O Fusioon lançaria três excelentes álbuns antes de encerrar atividades… mas seu líder continuaria com o Manel Camp Trio, o Acustic Jazz Quintet e muitos outros grupos e atividades, incluindo trilhas sonoras, balés e projetos musicais, permanecendo com um dos nomes respeitados da música catalã… vamos ouvir um pouco de sua viagem progressiva com o Fusioon.

Vocês ouviram com o grupo Fusioon, as faixas “Constraste”, “Dialogos” e “Minorisa (Suite)”.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Agora teremos mais um grupo do progressivo ibérico, pertencente à geração neoprogressiva dos anos 80… o Galadriel.

Com o nome da élfica senhora da floresta de Lothlórien, personagem do Senhor dos Anéis de Tolkien, o grupo surgiu em 85 a partir do encontro do vocalista Jesús Filardi (do Algor) e do tecladista David Alardo (do Dantalion)… eles foram apresentados por Angel Romero, que os colocou em contato com outros músicos e ajudou a cristalizar a primeira versão do que viria a ser conhecido como Galadriel.

Em 88 sairia o primeiro álbum, “Muttered Promises from an Ageles Pond”… e eles começariam a ganhar reconhecimento no cenário neoprogressivo espanhol, algo que só melhorou ainda mais depois de “Chasing the Dragonfly” de 92, já sem David Alardo, mas conservando o baterista Alcides Trindade e o guitarrista Manolo Pancorbo.

O Galadriel lançaria ainda mais um álbum na década de 90… “Mindscapers” de 97… mas depois eles passariam 11 anos sem gravar… só em 2008 sairia um novo álbum de estúdio, o excelente “Calibrated Collision Course”… com um som cheio de climas e tessituras que remete aos tempos do movimento neoprogressivo, quando só grupos como o Marillion e o IQ mantinham viva a sonoridade do prog. rock… e foi esse novo trabalho do Galadriel que nós selecionamos para fechar o programa de hoje…

Vocês ouviram o Galadriel com “Blind Hostage”, “Press Sure”, “View from a Greenhose” e “Consumer Satisfaction”… todas faixas de seu álbum mais recente, “Calibrated Collision Course”… lançado em 2008.

Art Rock fica por aqui, obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado…

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

FUSIOON

BG: EBUSUS

1. CONSTRASTE – 6:37

2. DIALOGOS – 6:40

3. MINORISA (SUITE) – 10:58

BG: FARSA DEL BUEN VIVIR

TOTAL: 24:15

GALADRIEL

BG: CALORIE STREET

4. BLIND HOSTAGE – 5:53

5. PRESS SURE – 6:57

6. VIEW FROM A GREENHOUSE – 6:24

7. CONSUMER SATISFACTION – 6:25

BG: AS BIG AS BANG

TOTAL – 25:39

Total geral: 49:54

Ouça o Art Rock com o Fusioon & Galadriel que foi ao ar no dia 11/07/2010, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Art Rock especial 10 anos de aniversário

Posted in Programas with tags , , , , on 11/08/2010 by Artrock

Neste post, resgatamos um programa especial que foi ao ar no 10º aniverário do Art Rock, para que todos possam conhecer ou relembrar a história do programa:

“Boa noite, hoje teremos um programa diferente, pois estamos comemorando uma data especial… numa sexta feira, dia 18 de dezembro de 1997 nós estávamos começando uma viagem… e nem fazíamos idéia que seria tão longa… e esse é o nosso jeitinho de celebrar os 10 anos do Art Rock…

O programa começou no saudoso horário de Todos os Caminhos, nas sextas-feiras de Rock aqui na Educativa… na época eu e o Beto dividíamos a nossa “hora progressiva” em 3 blocos e, na nossa estréia, a gente trouxe uma seleção variada que resolvemos repetir hoje para vocês que estão aí nessa madrugada e são ouvintes do nosso programa…

Há 10 anos nós tentamos mostrar que o progressivo esta bem vivo… e essa viagem começou trazendo 3 três bandas dos anos sessenta ligadas ao rock psicodélico, mas fundamentais para a invenção da linguagem progressiva… primeiro The Nice do grande tecladista Keith Emerson… depois o Procol Harum, de Gary Broker e Robin Trower… e, para fechar, os Moody Blues… confiram esse momento em que a psicodelia começava a progredir em todas as direções…

Uma década no ar não é uma coisa que aconteça sempre… mas a nossa comemoração tem que ser modesta, pois nesse tempo todo nunca tivemos patrocínio… mantemos o Art Rock no ar por puro amor à arte… e vamos continuar em frente, pois, como disseram os 4 sábios cabeludos de Liverpool… all you need is Love…

Abrindo esse programa especial de aniversário vocês ouviram “America” com o Nice, seguida de “Ramblin’on” com o Procol Harum, faixa do álbum “Shine on Brightly” e depois “Legend of a Mind”, faixa dos Moody Blues dedicada ao genial Timothy Leary… o Art Rock volta já.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Agora vocês ficam com uma faixa do álbum “Keys To Ascension 2”, do Yes, que tinha acabado de sair há 10 anos atrás e nós trouxemos no nosso programa de abertura para mostrar a sobrevivência do prog. rock até em grandes grupos que tinham andado experimentando sons mais comerciais, mas estavam voltando a sua melhor forma… vamos lembrar este belo momento progressivo dos anos 90… e lembrem-se que, hoje, o Art Rock vai ter 3 partes… reproduzindo o seu formato inicial, quando surgiu para integrar o saudoso horário de Todos os Caminhos do Rock.

Vocês ouviram “Mind Drive”, com o Yes, faixa do álbum “Keys To Ascension 2”, onde eles concluíram a experiência iniciada no outro duplo, de mesmo nome, lançado no ano anterior… já voltamos com a última parte do programa de hoje.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E para fechar esse especial dos 10 anos do Art Rock… vamos trazer, como fizemos no nosso programa de estréia, um dos grandes nomes do progressivo italiano: Quella Vechia Locanda… grupo foi formado em Roma no ano de 72… com um som dominado por uma rica instrumentação de flauta, violinos e teclados.

Nós selecionamos faixas de seus álbuns “Quella Vechia Locanda” e “Il Tempo De La Gioia”…

Vocês ouviram “Prologo”, “Vila Doria Pamphilli” e “A forma di”, com o Quella Vechia Locanda.

O especial de aniversário do Art Rock fica por aqui… mas, ao contrário de 10 anos atrás, não vamos poder chamar os nossos velhos companheiros… a zumbizada psychobilly do genial “Transilvânia Express”… só podemos agradecer a sua audiência… e também ao nosso amigo e ouvinte de primeira hora, Almir Santos, que foi quem lembrou esses dois velhos prog. heads que o programa já estava para fazer uma década no ar… obrigado a todos que ficam nos ouvindo até essa hora da madrugada, tenham uma boa noite e continuem com a Paraná Educativa… 97,1. Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

BLOCO 1

1. AMERICA – THE NICE – 6:15

2. RAMBLIN’ ON – PROCOL HARUM – 4:31

3. LEGEND OF A MIND – MOODY BLUES – 6:36

BLOCO 2

4. MIND DRIVE – YES – 18:38

BLOCO 3

5. PROLOGO – 4:56

6. VILA DORIA PAMPHILLI – 5:27

7. A FORMA DI – 4:07

TOTAL – 50:30

Ouça o Art Rock especial  10 anos de aniversário, que foi ao ar no dia 23/12/2007, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Jon Anderson & Anderson, Bruford, Wakeman, Howe

Posted in Programas with tags , on 06/08/2010 by Artrock

“Boa noite, hoje nós vamos começar trazendo uma figura notória do prog. inglês, ex-integrante do grande Yes, o vocalista Jon Anderson, que está agora excursionando em dupla com outro ex-colega… o tecladista Rick Wakeman.

Essa reunião começou em 2006, quando os dois realizaram uma excursão acústica pelo Reino Unido e gostaram tanto que resolveram continuar compondo material nos intervalos de suas outras atividades… e agora estão aí com o Anderson Wakeman Project 360… em que apresentam material clássico do Yes, de suas carreiras solo e também composições próprias dessa nova dupla…

Mas, enquanto a gente espera pelo DVD do Project 360, vamos começar conferindo um dos melhores trabalhos de Jon Anderson, o álbum “Olias of Sunhillow”, seu primeiro disco solo, de 76… um álbum conceitual de fantasia inspirado pela arte do genial Roger Dean e da artista e mística Vera Stanley Alder… e também tinha um dos mais belos encartes da era progressiva que, infelizmente, só pode ser devidamente apreciado por quem tem o velho vinil…

O álbum, e as gravuras de David Fairbrother Roe, falam sobre o êxodo das quatro tribos de Sunhillow em direção a um novo mundo… e narram a estória do arquiteto Olias, desenhista da grande espaçonave Moonglade… um tema cheio das viagens místicas bem ao gosto de Jon Anderson que, além de cantar, também fez a percussão e tocou guitarra, harpa e sintetizadores…

Vocês ouviram com Jon Anderson as faixas “Dance Of Ranyart / Olias (To Build The Moonglade)”, “Flight of the Moonglade”, “Solid space”, “Moon Ra / Chords / Song of the search”, todas extraídas do album “Olias of Sunhillow”, de 76.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer um trabalho que marcou o final dos anos 80, por anunciar a volta do Yes à sua melhor forma… o grupo Anderson, Bruford, Wakeman & Howe…

Na época, o Yes andava passando por uma de suas constantes reformulações… depois do sucesso do seu álbum de retorno, “90125”, mas do relativo fracasso dos discos que se seguiram a esse, todos tentando repetir a fórmula… e enquanto o grupo tentava se reencontrar após a aventura comercial, o núcleo criativo da formação clássica resolveu apostar em uma aventura progressiva…

E o álbum “Anderson, Bruford, Wakeman, Howe” foi uma grata surpresa para os fãs, pois mostrava um som muito mais próximo do estilo do Yes, com direito a longas suítes, arranjos elaborados e até momentos de diálogo entre os teclados de Wakeman e a guitarra de Howe, como não se ouvia desde os anos 70…

O ABWH fez uma excursão muito bem recebida… mas, no fim, eles teriam vida curta, pois cederam às investidas da gravadora para uma nova reunião com o Yes, que começou como uma versão estendida do grupo, com oito integrantes, mas terminaria voltando a um formato mais tradicional e retomando a sonoridade progressiva em alguns de seus trabalhos da década de 90… vamos ouvir um pouco do catalisador disso tudo, o grupo Anderson, Bruford, Wakeman & Howe.

Vocês ouviram o Anderson, Bruford, Wakeman & Howe com “Fist of Fire”, “Brother of Mine”, “Birthright” e “The Meeting”…

Art Rock fica por aqui, obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado…

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

JON ANDERSON

BG: QOQUAC

1. DANCE OF RANYART / OLIAS (TO BUILD THE MOONGLADE) – 4:19

2. FLIGHT OF THE MOONGLADE – 3:24

3. SOLID SPACE – 5:21

4. MOON RA / CHORDS / SONG OF THE SEARCH – 12:49

BG: TO THE RUNNER

TOTAL: 25:53

ABWH

BG: THEMES

5. FIST OF FIRE – 3:33

6. BROTHER OF MINE – 10:22

7. BIRTHRIGHT – 6:05

8. THE MEETING – 4:23

BG: QUARTET

TOTAL – 24:23

Total geral: 50:16

Ouça o Art Rock com o Jon Anderson & Anderson, Bruford, Wakeman, Howe que foi ao ar no dia 04/07/2010, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Bolha & Tako

Posted in Produto Nacional, Programas with tags , on 02/08/2010 by Artrock

“Boa noite, hoje teremos um programa explorando a dimensão universal da música progressiva, trazendo dois grupos de países bem diferentes, ambos buscando progredir em todas as direções nos distantes anos 70.

Vamos começar com uma das lendas do rock nacional… A Bolha… um grupo que surgiu em 66 como uma banda de covers, usando o nome The Bubbles e lançando ainda naquele ano o seu primeiro compacto, que trazia versões em português para “Get Out of my Cloud” dos Rolling Stones e “Break it All” o grande sucesso dos decanos do rock uruguaio… Los Shakers.
Nessa época o grupo girava em torno dos irmãos César e Renato Ladeira… filhos da atriz Renata Fronzi… mas só Renato permaneceria no grupo na época em que eles foram à Europa acompanhando Gal Costa em 1970 e acabaram dando um pulo na Inglaterra para assistir o Festival da Ilha de Wight… uma experiência que mudou suas cabeças, levando-os a mudar o nome do grupo para A Bolha e reformular o seu som.

Além de Renato nos teclados estava Arnaldo Brandão no baixo, Pedro Lima na guitarra e Gustavo Schroeter na batera… e eles gravaram em 73 o seu primeiro álbum, “Um passo a frente”, seguido em 77 por “É proibido fumar”… depois eles se separariam e só voltariam a se reunir em 2006, lançando o álbum “É só curtir”… fiquem com faixas desse último trabalho e também do primeiro disco da Bolha… além do lado A do compacto “Sem Nada”, de 71…

Vocês ouviram A Bolha com “Sem Nada”, “A Esfera” e “Desligaram os meus controles”…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer um grupo de um país que se desintegrou no final do século passado… o Tako, da Iugoslávia.
Apesar de ter entrado em colapso devido às Guerras Balcânicas do final do século passado, a Iugoslávia era, nos anos 70, um dos países mais abertos do chamado “bloco comunista”… e eles tinham um vibrante cenário musical, que rendeu ótimos grupos, como o Tako, que surgiu em Belgrado, na Sérvia, em 1975.

Com uma sonoridade francamente inspirada no prog. sinfônico, e algumas influências de jazz rock, o Tako começou a chamar a atenção depois de participar de uma série de concertos importantes no Centro Para a Juventude de Belgrado, junto de grupos já estabelecidos como o Bijelo Dugme e o S Vremena Na Vreme… e eles lançariam em 78  o seu álbum de estreia, por um selo iugoslavo.

O grupo teve problemas para se manter em atividade em meio à ascensão da música new wave, que chegava mesmo aos países do bloco comunista, mas eles conseguiram lançar em 1980, o álbum “U vreći za spavanje” (isso é, “In the Sleeping Bag”), antes de se separarem de vez, depois de um concerto de despedida na Faculdade de Filosofia de Belgrado em 1981… nós selecionamos material dos dois únicos álbuns desse excelente grupo do leste europeu…

Vocês ouviram o Tako, com “Second side of me”, “On the voyage into oneself” e “Game of a little girl”… estes são os nomes em inglês das músicas desse representante do progressivo iugoslavo.

Art Rock fica por aqui, obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1… Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado…

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

BOLHA

1. SEM NADA – 3:40

2. A ESFERA – 10:00

3. DESLIGARAM OS MEUS CONTROLES – 11:40

TOTAL: 25:20

TAKO

4.SECOND SIDE OF ME – 16:26

5.ON THE VOYAGE INTO ONESELF – 5:51

6.GAME OF A LITTLE GIRL – 2:32

TOTAL – 24:49

Total geral: 50:09

Ouça o Art Rock com o Bolha & Tako que foi ao ar no dia 27/06/2010, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *