Giles, Giles and Fripp & Judy Dyble

“Boa noite, no programa de hoje vamos prestigiar o ressurgimento de uma voz celebrada dos anos 60 que voltou a ser ouvida nesse novo milênio, depois de um longo esquecimento… a grande vocalista Judy Dyble…

brondesburytapes-gilesgilesfripp

 

Judith Aileen Dyble nasceu em Londres em 1949… e estava tentando a sorte com o grupo Judy and The Folkmen em 66, quando começou a colaborar com os vocais para o grupo que Ashley “Tyger” Hutchings, Richard Thompson e Simon Nicol estavam montando e que ainda não tinha nome definitivo… no fim, a sua voz ajudou a dar forma ao som que eles estavam tentando criar… e nascia assim o grande Fairport Convention.

Em 68, Judy seria a voz marcante do álbum de estreia do grupo… e, ainda naquele ano, seria convidada da genial Incredible String Band para participar do álbum “The Hangman’s Beautiful Daughter”… e, a essa altura, ela já era uma das presenças constantes nos shows da Swingin’ London junto com seus companheiros do Fairport… porém, ela logo deixaria o grupo e poria um hoje famoso anúncio na Melody Maker…

O anúncio pedia alguns músicos para trabalhar com ela e com o namorado… um certo Ian McDonald… em resposta apareceu o trio Giles, Giles and Fripp e eles gravaram algumas demos antes que Ian e Judy discutissem e ela fosse embora, deixando-o para trás com o grupo, que resolveu continuar em frente e se transformaria no King Crimson… essa não seria a última vez que eles tocariam juntos, mas, para essa primeira parte, vamos ficar com um pouco desse momento memorável da história do rock.
Vocês ouviram “Make it today”, “Plastic Pennies”, “Passages of time”, “Under the Sky”, “Murder”, “I Talk to the Wind” e “Erudite Eyes”, faixas de “Brondesbury Tapes” do Giles, Giles & Fripp com Judy Dyble nos vocais… um disco que só seria lançado em 2001 e que é uma daquelas coisas que você só ouve aqui, no Art Rock.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E nós vamos continuar trazendo a voz de Judy Dyble, uma jóia rara do folk inglês que quase se perdeu no esquecimento.

judydyble-talkingwithstrangers

Depois de ter sido a responsável pelo nascimento do King Crimson, Judy tentaria um novo projeto com Jackie McAuley, que havia tocado com vários grupos, incluindo até o Them de Van Morrison… no começo era para ser um trio, com Pete Sears no baixo, mas acabou se cristalizando no clássico formato da dupla folk… o Trader Horne… e o resultado foi o álbum “Morning Way”, uma pequena obra-prima que parecia anunciar o começo de uma grande carreira, mas que seria o único registro do grupo.

Judy não seguiria muito adiante… ela se casaria com o DJ Simon Stable, tentaria o projeto Dyble Coxhill & the Miller Brothers (também conhecido como Penguin Dust) e depois deixaria o mundo da música para trabalhar como bibliotecária por mais de vinte anos… até ser contatada pelos velhos colegas do Fairport Convention para aparecer em algumas das reuniões de aniversário do grupo.

Desde então ela voltaria aos poucos… o primeiro disco de sua nova fase, ´Enchanted Garden”, sairia em 2004 e foi uma colaboração com Simon House do Hawkwind e com Marc Swordfish do Astralasia, e renderia mais dois discos, “Spindle” e “The Whorl”… mas a surpresa viria em 2009 com “Talking with strangers”, que contou com a presença de nada menos do que Robert Fripp e Ian McDonald do King Crimson, Celia Humphris do Trees, Jacqui McShee do Pentangle e Simon Nicol do Fairport Convention…

Vocês ouviram “Neverknowing”, “C’est la vie” do Emerson, Lake & Palmer e “Harpsong”, com Judy Dyble.

O Art Rock fica por aqui… o programa teve a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com… que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin Volpão… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

GILES, GILES & FRIPP

BG – WHY DON’T YOU JUST DROP IN

1. MAKE IT TODAY – 3:27

2. PLASTIC PENNIES – 2:18

3. PASSAGES OF TIME – 3:32

4. UNDER THE SKY – 2:49 (FAIXA 14)

5. MURDER – 2:41

6. I TALK TO THE WIND – 3:15

7. ERUDITE EYES – 6:46

BG – MYSTERY

TOTAL – 24:05

JUDY DYBLE

BG – TALKING WITH STRANGERS

1. NERVERKNOWING – 1:41

2. C’EST LA VIE – 4:15

3. HARPSONG – 19:22

BG – DREAMTIME

TOTAL – 25:18

TOTAL GERAL – 49:23

Ouça o Art Rock com o Giles, Giles and Fripp & Judy Dyble  que foi ao ar no dia 06/04/2013, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Anúncios

Uma resposta to “Giles, Giles and Fripp & Judy Dyble”

  1. […] Olá ouvintes do Art Rock! O programa da semana passada (dia 12-04-2014), foi um reprise com  a joia rara do folk inglês  Giles, Giles and Fripp & Judy Dyble. Confiram este programa clicando aqui! […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: