Budgie

“Boa noite, no programa de hoje nós vamos trazer um power-trio britânico… o Budgie, que já passou das quatro décadas de carreira e influenciou muitos outros grupos do lado mais pesado do rock…

Budgie-Squawk

Nascido em Cardiff, no País de Gales, em 1967, o grupo já contava em sua formação com o baixista e vocalista Burke Shelley… e, na época, eles usavam o nome Hills Contenporary Grass, mas mudariam para Six Ton Budgie em 69… uma mistura da ideia de peso e de leveza que era típica dos anos 60… afinal, se podia existir um zepelim de chumbo, porque não um periquito de seis toneladas?

budgie-in-for-the-kill

Mais tarde eles encurtariam o nome, e seria como Budgie que lançariam o seu primeiro álbum em 71, conservando a figura do periquito como a sua marca registrada, e mantendo assim o contraste com o som pesado, dominado pelos riffs de guitarra e pela forte marcação do baixo, em meio às letras viajantes, mas que deixavam de lado o lirismo para abraçar uma poética mais visceral.

budgie-never-turn

O Budgie ganharia terreno aos poucos durante a década de 70, mas nunca atingiu o status de outros grandes grupos da primeira geração do rock pesado britânico… o que não o impediu de ser uma das influências essenciais para as gerações seguintes, em especial para os grupos -heavy surgidos nos anos 80 e além… vamos ouvir um pouco dos álbuns “Squawk” de 72, “Never turn your back on a friend” de 73 e “In for the kill!” de 74…

Vocês ouviram “Whiskey river”, “Breadfan”, “Parents” e “In for the kill” com o Budgie.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer mais um pouco do Budgie, que anda silencioso desde 2010, devido aos problemas de saúde de Burke Shelley.

budgie-bandolier

O último álbum da fase clássica do grupo foi “Deliver us from evil” de 1982, mas o grupo continuou se apresentando até 88, com Burke Shelley e o baterista Steve Williams passando a se dedicar à produção… mas à essa altura vários grupos já estavam pagando tributo ao Budgie… como o Metallica, que fez covers para as faixas “Crash course in brain surgery” e “Bredfan”.

No fim, o Budgie voltaria à atividade nos anos 90… a princípio só para apresentações e rápidas tours, ao mesmo tempo em que seus discos eram relançados em CD e eles aproveitavam para resgatar material de shows antigos e atuais em uma série de álbuns ao vivo… mas em 2006, Burke, Steve e novo guitarrista Simon Lees lançariam “You’re all living in Cuckooland”, o primeiro trabalho de estúdio do grupo em 24 anos…

budgie-nightflight

Infelizmente, o que era para ser um recomeço para o Budgie não iria muito longe, pois em 2010 Burke Shelley sofreu um aneurisma depois de uma cirurgia e, apesar de ter-se recuperado, ele não conseguiu mais voltar à velha forma… desde então, o grupo não se apresentou mais… e para fechar nós selecionamos faixas dos álbuns “Bandolier” de 75 e “Nightflight” de 81…

Vocês ouviram o Budgie com “I can’t see my feelings”, “Napoleon Bona (Part I-II), “I turned to stone” e “Don’t lay down and die”…

O Art Rock fica por aqui… o programa teve a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com… que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin Volpão… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

BUDGIE

BG – LIVING ON YOUR OWN

1. WHISKEY RIVER – 3:21

2. BREADFAN – 6:10

3. PARENTS – 10:25

4. IN FOR THE KILL – 6:27

BG – RUNNING FROM MY SOUL

TOTAL – 26:23

BUDGIE

BG – BREAKING ALL THE HOUSE RULES

1. I CAN’T SEE MY FEELINGS – 5:55

2. NAPOLEON BONA (PART I-II) – 7:15

3. I TURNED TO STONE – 6:12

4. DON’T LAY DOWN AND DIE – 3:36

BG – I AIN’T NO MOUNTAIN

TOTAL: 22:58

TOTAL GERAL – 49:21

Ouça o Art Rock com a Budgie que foi ao ar no dia 14/09/2013, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Anúncios

6 Respostas to “Budgie”

  1. Cláudio Rocha Says:

    Olá,

    O arquivo postado não corresponde ao programa apresentado.
    Poderiam corrigir, por favor?
    Grato!!!

  2. Oi. Estou na produção de um festival de Rock Progressivo em Minas Gerais, o Prog Camp, no qual tocarão 22 bandas, entre elas Violeta de Outono, Quaterna Réquiem, Tempus Fugit, Invisible Opera Company of Tibet, Yessongs, Ladylike, Patrick Wichrowski, Kernunna, Sub Rosa (banda na qual toco, inclusive) e a atração internacional Anders Helmerson (ex-Ragnarok – Suécia). Procurei um e-mail nesse blog para mandar a divulgação, mas não encontrei. Como faço para divulgar no Art Rock? Atenciosamente

  3. Grande notícia para quem aprecia o estilo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: