Arquivo de agosto, 2014

Mostly Autumn & Heather Findlay

Posted in Programas with tags , on 21/08/2014 by Artrock

“Boa noite, hoje vamos trazer outra sugestão do nosso amigo e ouvinte de longa data, Almir Octávio… o álbum “Dressed in Voices”, do grande grupo britânico Mostly Autumn, outro lançamento imperdível de 2014…

  Odin Dragonfly - Offerings

O Mostly Autumn é presença frequente no nosso programa… mas, para quem não conhece, ele foi fundado em 95 pelo guitarrista Bryan Josh, que tinha influências floydianas… mas só ganharia contornos definitivos com a entrada da grande vocalista Heather Findlay e o redirecionamento da sua sonoridade para as veredas do folk rock inglês… sem perder de vista suas outras influências.

O primeiro álbum, “For All We Shared”, saiu em 98 e já mostrava o potencial do grupo, que só foi ganhando mais admiradores com os trabalhos seguintes… incluindo os excelentes “Passengers” de 2003 e “Storms over still water” de 2005… sempre mantendo o cruzamento das linguagens musicais, mesmo depois da saída de Heather Findlay, que foi substituída em 2010 por Olivia Sparnenn…

mostly autumn-dressed in voices

Olivia tinha feito backing vocals para o grupo e era vocalista do Breathing Space, um projeto paralelo do tecladista Iain Jennings, que tinha voltado a se apresentar com o Mostly Autumn em 2007… e a nova formação seguiu em frente, com “Go well Diamond Heart” de 2010 e o duplo “The Ghost Moon Orchestra” de 2012… mas, para o programa de hoje, nós selecionamos faixas de “Dressed in Voices”, um album conceitual sobre o impacto da violência e do crime, lançado em 2014!

Vocês ouviram o Mostly Autumn com “Saturday Night”, “Running”, “Down by the River”, “Skin on Skin” e “Box of tears”.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos conhecer um pouco do que a vocalista Heather Findlay andou fazendo, depois de sua saída do Mostly Autumn em 2010…

Heather Findlay - Phoenix suite

Heather já havia iniciado em 2005 um projeto paralelo em parceria com Angela Gordon, sua colega no Mostly Autumn… as duas formariam o grupo Odin Dragonfly e lançariam o álbum “Offerings”, que teve ótima repercussão, mas uma tiragem reduzida… era apenas um veículo para expressarem um pouco da sua criatividade represada…

Angela Gordon seria a primeira a deixar o Mostly Autumn, ainda em 2007… e Heather Findlay seguiria o mesmo caminho 3 anos depois… a princípio, ela começou a preparar material para um disco solo… mas acabou decidindo por EP e, em 2011, ela lançaria “The Phoenix Suite”, seguido de dois álbuns ao vivo… “Live at the Café 68” e “Songs from the old kitchen”…

Em 2014 ela anunciou um novo projeto, o grupo anglo-americano Mantra Vega, uma parceria com o multi-instrumentista Dave Kerzner, ex-Sound of Contact… juntamente com dois outros ex-integrantes do Mostly Autumn, o baterista Alex Cromarty e o tecladista Chris Johnson e contando ainda com o grande guitarrista Dave Kilminster… mas esse é um som para outro Art Rock, hoje nós selecionamos faixas extraídas de “Offerings” do Odin Dragonfly e de “The Phoenix Suite”, com a bela Heather Findlay.

Vocês ouviram “Web”, “Yellow Time”, “Magnolia half-moon”, “Caught in a fold”, “Phoenix” e “Seven”, com Heather Findlay, primeiro com o Odin Dragonfly e depois em sua carreira solo…

O Art Rock fica por aqui… o programa tem a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin Volpão… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado…”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

MOSTLY AUTUMN

BG – THE LAST DAY

1. SATURDAY NIGHT– 5:10

2. RUNNING – 4:33

3. DONW BY THE RIVER – 4:42

4. SKIN ON SKIN – 5:54

5. BOX OF TEARS – 3:52

BG – THE HOUSE ON THE HILL

TOTAL – 24:11

HEATHER FINDLAY

BG – WITCHES PROMISE

6. WEB – 3:27

7. YELLOW TIME – 5:14

8. MAGNOLIA HALF-MOON – 4:47

9. CAUGHT IN A FOLD – 4:47

10. PHOENIX – 4:51

11. SEVEN – 3:56

BG – HOW I FEEL TODAY

TOTAL: 25:50

TOTAL GERAL – 50:01

Ouça o Art Rock com a Mostly Autumn & Heather Findlay que foi ao ar no dia 16/08/2014, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

 

 

The Byrds

Posted in Programas with tags on 21/08/2014 by Artrock

“Boa noite, no programa de hoje teremos um dos nomes essenciais da história do rock… tanto por seus álbuns clássicos como por dar origem a outros grupos… The Byrds!

balladofeasyrider

Essa história começa em 64… e, embora movimentada, foi bem curta… originalmente eles eram um trio e usavam o nome The Jet Set, contando com Jim McGuinn, Gene Clark e David Crosby… mas eles logo teriam o reforço do baixista Chris Hillman e do baterista Michael Clarke… e seria como um quinteto que eles conseguiriam um contrato com a Columbia Records e mudariam de nome para The Byrds…

fifthdimension

A influência dos Beatles podia ser sentida até no nome do grupo, mas eles também já haviam começado impressionando o próprio Bob Dylan com uma cover para a sua música “Mr. Tambourine Man”… e seria essa fusão entre o folk e o rock que formaria a identidade do novo grupo, com as harmonias vocais funcionando como elemento condutor da melodia, em uma sonoridade que influenciaria muita gente.

mrtambourineman

Em 65 eles lançariam os clássicos álbuns “Mr. Tambourine Man” e “Turn! Turn! Turn!”… mas logo depois começariam as mudanças… e, em meio à saída de Gene Clark, os álbuns “Fifth Dimension” de 66 e “Younger than Yesterday” de 67, soariam bem diferentes, eles seriam clássicos de uma outra era, em que o folk rock passava a explorar também a psicodelia… vamos ouvir um pouco desses primeiros voos…

Vocês ouviram The Byrds com “Mr. Tambourine Man”, “All I really want to do”, “Turn! Turn! Turn!”, “The times they are a-changin’”, “5D (Fifth Dimension)”, “Wild mountain thyme”, “Eight miles high!”, “Hey Joe” e “John Riley”…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E nós vamos continuar trazendo o som dos Byrds, que passou por muitas fases em sua carreira, todas capazes de influenciar muita gente…

sweetheartoftherodeo

Novas mudanças ocorreriam depois do Festival de Monterrey, em 67… David Crosby deixaria o grupo, que seguiria em frente, mas continuaria sofrendo com um verdadeiro entra e sai de músicos… além de mudanças de estilo, começando a explorar o country rock durante a passagem de Gram Parsons… a vinda do guitarrista Clarence White pareceu anunciar a estabilidade, mas aí foi a vez de Chris Hillman deixar o grupo.

A essa altura, Jim McGuinn havia ingressado no movimento espiritual Subud e mudado de nome, passando a ser conhecido como Roger McGuinn… e ele continuaria como o único membro constante dos Byrds, que, apesar das mudanças, ainda continuavam sendo capazes de lançar trabalhos significativos, hoje considerados precursores, ao mesmo tempo que seus ex-integrantes criaram outros grupos lendários como o Crosby, Stills & Nash, os Flying Burrito Brothers e o Manassas…

thenotoriousbyrdbrothers

Em 72 a formação original se reuniu e gravou o álbum “Byrds”… mas logo até Roger McGuinn havia embarcado de vez na carreira solo… e, desde então, as reuniões seriam só esporádicas… Gram Parsons e Clarence White deixaram o nosso plano da realidade em 73… e, em 91, foi a vez de Gene Clark e Michael Clarke… houve brigas e processos, mas o legado dos Byrds sempre merece ser lembrado… vamos ouvir um pouco da sua fase country, no final dos anos 60…

turnturnturn

Vocês ouviram os Byrds com “You ain’t going nowhere”, “One hundred years from now”, “Goin’back”, “Wasn’t born to follow”, “Space Odyssey”, “Jesus is just alright”, “It’s all over now, baby blue” e “Ballad of easy rider”.

O Art Rock fica por aqui… o programa tem a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin Volpão… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

BYRDS

BG – CHIMES OF FREEDOM

1. MR. TAMBOURINE MAN – 2:34

2. ALL I REALLY WANT TO DO – 2:08

3. TURN! TURN! TURN! – 3:54

4. THE TIMES THEY ARE A-CHANGIN’- 2:22

5. 5D (FIFTH DIMENSION) – 2:36

6. WILD MOUNTAIN THYME – 2:34

7. EIGHT MILES HIGH – 3:38

8. HEY JOE – 2:20

9. JOHN RILEY – 3:01

BG – CAPTAIN SOUL

TOTAL – 25:07

BYRDS

BG – TRIAD

10. YOU AIN’T GOING NOWHERE – 2:39

11. ONE HUNDRED YEARS FROM NOW – 2:44

12. GOIN’BACK – 3:23

13. WASN’T BORN TO FOLLOW – 2:03

14. SPACE ODYSSEY – 4:04

15. JESUS IS JUST ALRIGHT – 2:12

16. IT’S ALL OVER NOW, BABY BLUE – 4:56

17. BALLAD OF EASY RIDER – 2:29

BG – FIDDLER A DRAM (MOOG EXPERIMENT)

TOTAL: 23:30

TOTAL GERAL – 48:37

Ouça o Art Rock com a The Byrds que foi ao ar no dia 09/08/2014, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

 

 

Chris Braun & Nico

Posted in Programas with tags , on 11/08/2014 by Artrock

” Boa noite, no programa de hoje vamos trazer um pouco do vocal feminino no rock alemão, com representantes de estilos bem diferentes do krautrock…

Chris Braun - Both side

Vamos começar com o blues psicodélico da vocalista Chris Braun, que montou, no começo dos anos 70 a sua Chris Braun Band, na região de Dortmund… com uma sonoridade que ia das passagens acústicas às pesadas, mas sempre dominadas pela sua voz grave, que a levou a ser comparada com Inga Rumpf do grupo Frumpy…

Mas Chris Braun era mais atuante como líder do grupo, que lançaria o seu primeiro álbum, “Both Sides”, em 73… e perderia logo depois o guitarrista Horst Schreiber, que saiu para formar o Spermull… e haveria outras mudanças de formação, inclusive uma breve passagem do grande tecladista Jimmy Jackson (do Embryo e Passport)…

chris braun - foreign lady

O grupo ainda gravaria em 74 o álbum “Foreign Lady”, um trabalho mais ambicioso, com a produção do grande Dieter Dierks… no fim, a falta de coesão levaria a Chris Braun Band a se separar e a vocalista só voltaria a gravar nos anos 80… mas nós selecionamos faixas da primeira fase da sua carreira, extraídas dos dois álbuns gravados na década de 70…

Vocês ouviram a Chris Braun Band com “Town of Children’s Blocks”, “Untrue World”, “Icy Shapes”, “Foreign Lady” e “The Narrator”.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos fazer uma viagem à melancolia, com a voz única da genial Christa Päffgen, mais conhecida como… Nico.

nico - chelsea girl

A carreira desse Anjo Caído do rock começou no cinema, trabalhando com Federico Fellini como a garotinha que representa a inocência em seu célebre filme “La Dolce Vita”… além disso ela também foi modelo e trabalhou em outros filmes, mantendo um relacionamento com o ator francês Alain Delon, com quem teve um filho.

Em meados dos anos 60 ela chamou a atenção do manager dos Stones, Andrew Loog Oldham… e, em 65, gravou um lendário compacto com a participação de Brian Jones e Jimmy Page… mas só mergulharia de vez no mundo do rock quando se mudou para New York e encantou o grande Andy Warhol, que a transformaria no elemento que faltava para o grupo The Velvet Underground.

nico - desert shore

Nico gravaria apenas um disco com o Velvet, mas a sua carreira solo seguiria em frente, com trabalhos que iam do gótico ao solene, dominados pela sua voz grave e plena de desesperança… ela deixaria o nosso plano da realidade em 88… e nós selecionamos faixas de seus álbuns “Chelsea Girl” de 67, “Desert Shore” de 69 e “The End” de 73…

Vocês ouviram a lúcida desilusão de Nico, com as faixas “Chelsea Girls”, “Janitor of Lunacy”, “All that is my own” e “Secret Side”

nico - the end
O Art Rock fica por aqui… o programa tem a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin Volpão… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado…

E agora, para fechar esse programa germânico, vocês ficam com a versão de Nico para “Das Lied der Deutschen”… o hino alemão… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

CHRIS BRAUN BAND

BG – THINGS FOR YOU AND ME

1. TOWN OF CHILDREN’S BLOCK – 4:58

2. UNTRUE WORLD – 2:13

3. ICY SHAPES – 6:18

4. FOREIGN LADY – 7:36

5. THE NARRATOR – 4:11

BG – PAUL

TOTAL – 25:16

NICO

BG – THE FAIREST OF THE SEASONS

6. CHELSEA GIRLS – 7:25

7. JANITOR OF LUNACY – 4:03

8. ALL THAT IS MY OWN – 3:28

9. SECRET SIDE – 4:09

BG – WRAP YOUR TROUBLES IN DREAMS

10.DAS LIED DER DEUTSCHEN – 5:28

TOTAL: 24:33

TOTAL GERAL – 49:49

Ouça o Art Rock com a Chris Braun & Nico que foi ao ar no dia 02/08/2014, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

 

 

REPRISE: Quicksilver Messenger Service

Posted in Programas with tags on 01/08/2014 by Artrock

Olá ouvintes do Art Rock! O programa da semana passada (dia 26-07-2014), foi um reprise com o Quicksilver Messenger Service. Confiram este programa clicando aqui!

Ou se preferir, você também pode baixar o arquivo com o áudio do programa aqui.

 

happy-trails

shady-grove1

qms

what-about-me