Arquivo de dezembro, 2014

Patti Smith

Posted in Programas with tags on 30/12/2014 by Artrock

Olá ouvintes do Art Rock! O programa da semana passada (dia 27-12-2014), foi um reprise com a gloriosa Patti Smith. Confiram este programa clicando aqui!

Vocês também podem acessar o link do programa diretamente aqui.

horses

easter

wave

banga

 

 

Neil Young

Posted in Programas with tags on 24/12/2014 by Artrock

“Boa noite… hoje vamos trazer uma das lendas vivas do rock… o grande Neil Young, que lançou, em 2014, dois belos trabalhos que foram verdadeiros presentes aos seus muitos fãs… A Letter Home

Não é preciso apresentar essa figura genial… pois Neil Percival Young é um dos mais importantes músicos da sua geração… um canadense que se radicou nos Estados Unidos e se tornou uma das vozes mais marcantes, influentes e pertinentes do rock dos anos 60 e além… tanto no Buffalo Springfield como no Crosby, Stills, Nash & Young ou ainda em sua prolífica carreira solo…
O velho Neil já passou por inúmeras fases em sua longa carreira, e nós nunca deixamos de prestigiar o seu trabalho, que vai do acústico ao elétrico e do pastoral ao agressivo, sempre dominado pela sua poética singular, que nos dá uma visão dos muitos tempos que ele viveu, onde o lirismo convive sem problemas com a lucidez.

2D274905838864-140513-neil-young-tease

E em 2014 ele se fez ouvir primeiro no começo do ano, lançando “A Letter Home”, uma seleção de covers para faixas clássicas de Phil Ochs, Bob Dylan, Tim Hardim e outros… gravadas utilizando o antigo método de captura direta no vinil em uma máquina voice-o-graph de 1947… um trabalho único, que registra a mágica de uma tecnologia há muito esquecida… que só Neil Young pensaria em redescobrir…

goodsellvoiceographNeil29450

Vocês ouviram Neil Young com, “Changes” de Phil Ochs, “Girl from the North Contry” de Bob Dylan, “Crazy” de Willie Nelson, “Reason to Believe” de Tim Hardim, “On the road again” de Willie Nelson, “If you could only read my mind” de Gordon Lightfoot e “My hometown” de Bruce Springfield
A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer mais um pouco do incansável Neil Young, que lançou outro álbum em 2014… o genial “Storytone”.

Storytone

Com a mesma energia de sempre, Neil embarcou em 2014 em mais um projeto, um álbum ambicioso envolvendo uma orquestra sinfônica e também com uma big band… gravado nos estúdios da MGM, entre instrumentos clássicos e uma mensagem contemporânea, voltada para a causa ecológica.

Lançado em várias edições diferentes, o álbum inclui uma versão dupla, com todas as gravações feitas para o projeto… solo, com orquestra e banda, cruzando as três linguagens musicais diferentes em uma colagem típica de Neil Young, sempre disposto a explorar as várias possibilidades do rock.

É mais um libelo do grande Neil Young, que mostra que a idade não roubou um grama sequer de sua sensibilidade… ele se mantém como uma das forças sobreviventes do rock dos anos 60, que ajudaram a moldar as formas contemporâneas, bebendo das mais diversas fontes para, como gostamos de dizer… progredir em todas as direções…

Vocês ouviram “Plastic Flowers”, “Who’s gonna stand up”, “I want to drive my car”, “Like you used to do”, “I’m glad I found you”, “When I watch you sleeping” e “All those dreams” com o inconfundível Neil Young…

O Art Rock fica por aqui… o programa tem a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin Volpão… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

NEIL YOUNG

BG –NEEDLE OF DEATH

1. CHANGES – 3:52

2. GIRL FROM THE NORTHERN COUNTRY – 3:27

3. REASON TO BELIEVE – 2:47 (- 0.28)

4. ON THE ROAD AGAIN – 2:18

5. IF YOU COULD ONLY READ MY MIND – 4:01

6. MY HOMETOWN – 4:05

BG – CRAZY

TOTAL – 24:54

NEIL YOUNG

BG – GLIMMER (SOLO)

7. PLASTIC FLOWERS (SOLO) – 4:06

8. WHO’S GONNA STAND UP (SOLO) – 3:49

9. I WANT TO DRIVE MY CAR (BAND) – 3:11

10. LIKE YOU USED TO DO (BAND) – 2:41

11. I’M GLAD I FOUND YOU (ORCHESTRAL) 3:42

12. WHEN I WATCH YOU SLEEPING (SOLO) – 5:37

13. ALL THOSE DREAMS (ORCHESTRAL) – 4:26

BG – WHO’S GONNA STAND UP (ORCHESTRAL)

TOTAL: 24:49

TOTAL GERAL – 49:43

Ouça o Art Rock com a Neil Young que foi ao ar no dia 20/12/2014, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Freedom’s Children & Abstract Truth

Posted in Programas with tags , on 15/12/2014 by Artrock

“Boa noite… hoje teremos um programa dedicado a duas lendas do rock sul africano… e vamos começar com uma de suas maiores promessas frustradas… o Freedom’s Children!

freedom's children astra

Essa história começa com o baixista Ramsay MacKay, que nasceu na Escócia, mas havia mudado ainda criança para a África do Sul, nos anos 50… e em 66 ele formaria em Durban o Freedom’s Children, juntamente com o guitarrista Ken E. Henson e com o baterista Colin Pratley… eles se conheciam de outros grupos e a formação mudaria nos anos seguintes, enquanto eles lançavam compactos sob o nome Fleadom’s Children!

O nome escrito errado era porque a África do Sul vivia o auge do regime do apartheit… e palavras como Liberdade (freedom) eram vistas com desconfiança… mas em 68 eles já eram mais conhecidos, e seria como Freedom’s Children que eles lançariam o álbum “Battle Hymm of the Broken Hearted Horde”… e, em 1970, seria a vez do genial “Astra”, um verdadeiro marco do rock sul africano…

Eles tinham tudo para alcançar o reconhecimento internacional… mas lançariam apenas mais um álbum, “Galactic Vibes” de 71… e acabariam se separando em meio à opressão em seu próprio país e ao boicote internacional diante da intolerância e o racismo do governo sul-africano da época… para o programa de hoje, nós selecionamos faixas do lendário álbum “Astra”, uma viagem sonora do Freedom’s Children.

Vocês ouviram o Freedom’s Children com “Aileen”, “The Homecoming”, “The kid came from Hazareth”, “Medals of Bravery”, “Tribal Fence” e “Slowly toward the North Pt. 1”.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos continuar explorando o rock sul-africano, com outro grupo de vida curta, mas marcante… o Abstract Truth.

abstract truth - totum

Enquanto ainda estava no Freedom’s Children, o guitarrista Ken E. Henson já sentia falta de explorar mais elementos da música africana, incluindo até a participação de músicos negros… o que era proibido pelas leis racistas da África do Sul… o clima era tão pesado que, para realizar um show com membros do grupo Malombo, os membros de ambos os grupos tiveram que se apresentar pintados para não chamar a atenção.

Em meio às idas e vindas do Freedom’s Children, Henson resolveu montar um novo grupo, o Abstract Truth, acrescentando uma sessão rítmica com influências étnicas a uma sonoridade que bebia do blues e do jazz sem deixar de lado pitadas de folk… uma receita que já apontava na mesma direção do grande Traffic de Steve Winwood e Jim Capaldi…

abstract truth - silver trees

Ramsay MacKay chegou a colaborar com o grupo… mas, apesar da qualidade dos álbuns “Totum” e “Silver Trees”, ambos de 1970, eles não iriam muito longe… seu som permaneceu como um dos momentos mais progressivos daquela geração de músicos sul-africanos, hoje quase esquecida… vamos conferir um pouco dos dois únicos trabalhos desse grupo, que é outro daqueles que você só ouve aqui no Art Rock…

Vocês ouviram o Abstract Truth com “Jersey Thursday”, “Coming Home Baby”, “Total Totum”, “Polution”, “Moving Away” e “Two”…

O Art Rock fica por aqui… o programa tem a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin Volpão… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

FREEDOM’S CHILDREN

BG – AFTERWARD

1. AILEEN – 2:02

2. THE HOMECOMING – 6:18

3. THE KID CAME FROM HAZARETH – 5:37

4. MEDALS OF BRAVERY – 3:59

5. TRIBAL FENCE – 4:36

6. SLOWLY TOWARD THE NORTH PT.1 – 3:04

BG – GENTLE BEASTS PT.1

TOTAL – 25:37

ABSTRACT TRUTH

BG – AIN’T NECESSARILY SO/TAKE FIVE

7. JERSEY THURSDAY – 3:53

8. COMING HOME BABY – 6:37

9. TOTAL TOTUM – 5:21

10. POLUTION – 3:14

11. MOVING AWAY – 3:00

12. TWO – 2:38

BG – SILVER TREES

TOTAL: 24:43

TOTAL GERAL – 50:20

Ouça o Art Rock com a Freedom’s Children & Abstract Truth que foi ao ar no dia 13/12/2014, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

 

 

Spock’s Beard

Posted in Programas with tags on 15/12/2014 by Artrock

“Boa noite, hoje vamos trazer um dos grandes grupos da geração progressiva dos anos 90 e que continua surpreendendo depois de mais de 20 anos de carreira… o Spock’s Beard.

 spocksbeard-snow

Formado em 92 pelos irmãos Neal e Alan Morse, o grupo tirou o seu nome do episódio “Mirror, Mirror” da série clássica de Jornada nas Estrelas… em que membros da tripulação da Enterprise são transportados para um universo paralelo onde o Sr. Spock usava barba… e era a única pessoa civilizada em uma realidade distorcida pela violência…

O nome foi uma ideia de Alan Morse… e o que começou como uma brincadeira acabou se tornando um dos nomes mais reconhecidos do cenário progressivo atual… um grupo que começou sua trajetória com o álbum “The Light” de 95, que já mostrava muito do seu potencial, com seu estilo característico, dominado pelo diálogo entre guitarra e teclados e pelas harmonias vocais.

E para essa primeira parte do programa nós selecionamos faixas de um dos seus álbuns mais celeabrados, “Snow” de 2002, um duplo conceitual que conta a história de um jovem albino que se reencontra depois de ter perdido o seu caminho espiritual… este seria o último trabalho a contar com Neal Morse, e pode ter sido uma metáfora para sua conversão religiosa… como cristão renascido, ele deixou o Spock’s Beard em 2002… confiram um pouco do seu último disco com o grupo.

Vocês ouviram o Spock’s Beard com ‘Made Alive/Overture”, “Solitary Soul”, “Looking for Answers” e “I’m Dying”…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos ouvir um pouco de um trabalho mais recente do Spock’s Beard, que continua em plena atividade, e em uma fase bem criativa.

SPOCKS-BEARD-BRIEF-NOCTURNES

Apesar de ser uma das forças do grupo, a saída de Neal Morse não representou o fim do Spock’s Beard… o baterista Nick D’Virgilio assumiu os vocais, enquanto Ryo Okumoto, que até então só cuidava do órgão e mellotron, assumiu completamente os teclados… e eles seguiram em frente, lançando em 2003 o álbum “Feel Euphoria”, o primeiro de uma nova fase…

O guitarrista Alan Morse mostrou que o grupo ainda tinha muito para mostrar… nos anos seguintes, o Spock’s Beard lançaria uma série de ótimos trabalhos… inclusive dois que deixaram de lado os mecanismos tradicionais da indústria musical… “X” de 2010 foi financiado pelos fãs através de encomendas do disco antes do seu lançamento… e o grupo repetiu a dose para “Brief Nocturnes and Dreamless Sleep” de 2013.

O álbum foi financiado pelo site Indiegogo através do sistema de crowdfunding, em que os interessados podem colaborar voluntariamente para financiar o projeto… e este seria também o primeiro a contar com o vocalista Ted Leonard (ex Enchant), que entrou em 2011, depois da saída de Nick D’Virgilio… e é um pouco desse excelente trabalho do Spock’s Beard que nós selecionamos para essa segunda parte do programa de hoje.

Vocês ouviram as faixas “Hiding out”, “Submerged”, “Down a Burning Road” e “Something Very Strange” com o Spock’s Beard…

O Art Rock fica por aqui… o programa tem a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin Volpão… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

SPOCK’S BEARD

BG – SECOND OVERTURE

1. MADE ALIVE / OVERTURE – 5:32

2. SOLITARY SOUL – 7:34

3. LOOKING FOR ANSWERS – 5:17

4. I’M DYING – 5:09

BG – I’M THE GUY

TOTAL – 25:48

SPOCK’S BEARD

BG – THE MAN YOU’RE AFRAID YOU ARE

5. HIDING OUT – 7:14

6. SUBMERGED – 4:57

7. DOWN A BURNING ROAD – 6:52

8. SOMETHING VERY STRANGE – 5:10

BG – POSTCARDS FROM PERDITION

TOTAL: 24:12

TOTAL GERAL – 50:00

Ouça o Art Rock com a Spock’s Beard que foi ao ar no dia 06/12/2014, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

 

 

Eloy

Posted in Programas with tags on 02/12/2014 by Artrock

“Boa noite, no programa de hoje vamos fazer nossa costumeira passagem pelo progressivo germânico, com um grupo que nós não trazemos faz algum tempo no programa, o grande Eloy.  silent-cries-and-mighty-echoes-eloy

O Eloy é bem conhecido de todo fã de prog rock… e a sua longa história começa em 69, quando foi fundado pelo guitarrista Frank Bornemann, com o nome inspirado na gentil e pacífica raça herdeira da humanidade, vítima dos canibais Morlocks, no clássico “A Máquina do Tempo” de H. G. Wells… uma citação que comunicava a sensação dos músicos alemães nos anos 60… ignorados pela mídia e pelo mercado musical.

Mas essa seria uma situação que o Eloy contribuiria para mudar… e o seu nome também era uma pista do universo fantástico que seria uma constante na carreira do grupo nas décadas seguintes… buscando uma temática que enxergava a realidade pelo filtro da imaginação, entre passados lendários e futuros distantes… uma viagem sonora que marcaria época no progressivo alemão dos anos 70.

????????????????????

Como o Can e o Tangerine Dream, o Eloy conquistou aos poucos o seu espaço… e, a partir dos álbuns “Inside” de 71 e “Floating” de 73, eles já eram reconhecidos internacionalmente como uma das forças do chamado krautrock… mas, para o programa de hoje nós vamos trazer um pouco dos álbuns “Silent Cries and Mighty Echoes” de 79 e “Colours” de 80…

Vocês ouviram o Eloy com “Astral Entrance / Master of Sensation”, “Pilot to Paradise”, “Impresssions” e “Silhouette”…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E vamos seguir com o Eloy, que continua em atividade e lançou em 2014 o álbum duplo ao vivo “Reincarnation on Stage”…

????????????????????

Como muitos grandes nomes do progressivo, o Eloy sofreu com o desinteresse da mídia nos anos 80 do século passado… eles tentaram recuperar o público tornando o som mais comercial, chegando mesmo a fazer a trilha do filme de ação “Code name: Wild geese” de 84… mas, depois de uma breve separação, Frank Bornemann retornou com uma nova formação e o álbum “Ra” em 88… que retomava o som clássico do grupo.

Nos anos 90, o Eloy voltaria com os álbuns “Destination” de 92 e “The Tides Return Forever”… que foi seguido em 98 pelo genial “Ocean 2: The Answer”, uma continuação do clássico “The Ocean”, de 77… mas, depois disso começou outra fase de silêncio, que só terminaria em 2009 com o lançamento de uma box-set e de “Visionary”, o primeiro registro de estúdio do grupo em mais de 12 anos…

Da última vez que trouxemos o Eloy no programa, comentamos que os fãs estavam fazendo uma campanha para que o grupo voltasse a se apresentar ao vivo… e ela deu certo, a formação de veteranos que gravou o álbum “Visionary” se apresentou em 2012 e 2013, em shows que renderam o duplo ao vivo “Reincarnation on Stage” que saiu em 2014 e nós selecionamos para a segunda parte do programa de hoje…

Vocês ouviram as faixas “Poseidon’s Creation”, “Time To Turn”, “Atlantis’ Agony At June 5th 8498, 13 Pm Gregorian Earth Time”… com o Eloy.

O Art Rock fica por aqui… o programa tem a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin Volpão… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

ELOY

BG – DE LABORE SOLIS

1. ASTRAL ENTRANCE/MASTER OF SENSATION – 9:11

2. PILOT TO PARADISE – 7:09

3. IMPRESSIONS – 3:10

4. SILHOUETTE – 7:15

BG – GALLERY

TOTAL – 26:46

ELOY

BG – DECAY OF LOGOS

5. POSEIDON’S CREATION – 11:24

6. TIME TO TURN – 4:20

7. ATLANTIS’ AGONY AT JUNE 5TH 8498, 13 PM GREGORIAN EARTH TIME – 7:54

BG – TIDES RETURN FOREVER

TOTAL: 23:38

TOTAL GERAL – 50:24

Ouça o Art Rock com a Eloy que foi ao ar no dia 22/11/2014, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Clear Blue Sky

Posted in Programas with tags on 01/12/2014 by Artrock

“Boa noite, hoje vamos trazer um grupo inglês que marcou época nos anos 70 e voltou nos anos 90… o Clear Blue Sky.

clear_blue_sky

O grupo foi formado por três amigos que começaram a tocar quando ainda eram adolescentes… John Simms, Ken White e Mark Sheather… e eles formaram o seu primeiro grupo, o Jug Blues, ainda nos anos 60… mas mudariam de nome várias vezes, enquanto se tornavam conhecidos nos palcos ingleses… até serem descobertos, em 1970, pelo produtor Patrick Campbell-Lyons…

Eles adotariam o nome Clear Blue Sky e assinariam com a Vertigo… e o seu álbum de estreia sairia em janeiro de 71, com um som que já mostrava a inclinação do grupo para o chamado heavy prog… e que também seria um dos primeiros discos a contar com uma capa desenhada pelo futuro mestre das imagens progressivas, o grande Roger Dean.

O álbum teve ótima repercussão e o grupo tinha tudo para se tornar um dos grandes nomes do começo da década de 70… infelizmente, eles tiveram dificuldades para lançar o seu segundo álbum, apesar de excursionarem constantemente e terem muitos fãs no circuito europeu… eles se separaram em 75… e pareciam destinados a ser um daqueles grandes grupos de um disco só… ouçam faixas do álbum “Clear Blue Sky” de 1971…

Vocês ouviram o Clear Blue Sky com “Journey To The Inside Of The Sun, Sweet Leaf”, “You Mistify”, “Tool Of My Trade” e “My Heaven”…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos ouvir um pouco do que o Clear Blue Sky fez depois do seu improvável retorno… em 1990, depois de mais de 20 anos de silêncio.

gateway-to-the-seventh-dimension

Ainda nos anos 70, John Simms integrou por algum tempo o grupo Tangerine Peel, antes de formar o Needles com outro ex Clear Blue Sky, o baterista Ken White… já na década de 80 ele formaria o Separate Energy, que se tornaria a base da banda do grande Ginger Baker… e formaria ainda o Karizma com o filho de Ginger e com a vocalista Maxine Marten…

Mas a memória do Clear Blue Sky não o abandonou… na virada para os anos 90, John decidiu reunir o grupo, recuperando material gravado antes da separação e lançando o álbum “Destiny”, primeiro em uma edição alternativa e depois oficialmente pelo selo Aftermath… eles se apresentariam no Festival da Ilha de Wight, voltariam a gravar e em 96 lançariam o álbum “Cosmic Crusader”…

Desde então o Clear Blue Sky se manteria bem ativo, entre relançamentos de material inédito dos seus primeiros anos e novos trabalhos, como os álbuns “Mirror of the Stars” de 2001 ou o mais recente “Don’t Mention Rock’n’Roll” de 2013… mas, para essa segunda parte do Art Rock de hoje, nós selecionamos faixas de “Gateway to the Seventh Dimension”, de 2007.

Vocês ouviram as faixas “Love Inner Spiritual Awareness”, “The Unseen Place”, “Gateway To The Seventh Dimension” e “Galaxy Of Dreams”… com o Clear Blue Sky.

O Art Rock fica por aqui… o programa tem a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin Volpão… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

CLEAR BLUE SKY

BG – JOURNEY TO THE INSIDE OF THE SUN, I’M COMING HOME

1. JOURNEY TO THE INSIDE OF THE SUN, SWEET LEAF – 8:03

2. YOU MISTIFY – 7:52

3. TOOL OF MY TRADE – 4:57

4. MY HEAVEN – 5:03

BG – BIRDCATCHER

TOTAL – 25:54

CLEAR BLUE SKY

BG – DANCE IN THE LIGHT

5. LOVE INNER SPIRITUAL AWARENESS – 5:35

6. THE UNSEEN PLACE – 2:18

7. GATEWAY TO THE SEVENTH DIMENSION – 8:07

8. GALAXY OF DREAMS – 7:20

BG – VOICE ACROSS THE WATER

TOTAL: 23:20

TOTAL GERAL – 49:14

Ouça o Art Rock com a Clear Blue Sky que foi ao ar no dia 29/11/2014, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *