Arquivo para outubro, 2016

Roine Stolt

Posted in Programas with tags on 28/10/2016 by Artrock

“Boa noite, hoje teremos no programa uma figura incansável que sobreviveu a muitas eras progressivas e continua em plena atividade…

1

Estamos nos referindo ao genial guitarrista sueco Roine Stolt… do Kaipa, Flower Kings e Transatlantic… é claro que esses três grupos são figuras habituais aqui no Art Rock, dispensando apresentações… mas Stolt, que nasceu em Uppsala em 56, é conhecido por sua carreira prolífica, com muitos outros projetos, além de trabalhos solo… e hoje vamos trazer um pouco dessa sua fase menos conhecida.

Vamos começar com o projeto que ele iniciou quando deixou o Kaipa, em 79… era uma época em que o progressivo estava entrando em um período difícil, mas Roine Stolt insistiria com o seu novo grupo, o Fantasia… lançando ainda em 79 um álbum homônimo em que procurava desenvolver o aspecto mais lírico e viajante do prog rock.

O disco não chegou a ser lançado fora do circuito escandinavo, e o mesmo ocorreu com o trabalho seguinte, o que levaria o Fantasia a desaparecer, enquanto Stolt começava uma fase mais comercial com o álbum solo “Behind the Walls” de 85… felizmente ele voltaria para o progressivo mais tarde, mas para essa primeira parte do programa nós selecionamos faixas do álbum “Fantasia”, de 79…

Vocês ouviram Roine Stolt com “Samhället Olycsbarn”, “Döodens Ansikte”, “Giganternas Kamp” e “Mr. Evergreen”.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer um álbum solo de Roine Stolt que também seria o ponto de partida do seu grupo The Flower Kings…

2

No final dos anos 80 Stolt continuava em sua carreira solo… ele havia lançado o álbum “The Lonely Heartbeat” em 89 e se mantinha ativo também como músico de estúdio e produtor, com o seu próprio selo: Foxtrot… e em 94 ele começou a ensaiar o retorno para a progressividade, recrutando o baterista Jaime Salazar (ex-Jonas Hellborg) e o percussionista Hasse Bruniusson (ex-Samla Mammas Manna) para gravar um novo álbum solo.

O resultado seria “The Flower King”, de 94, e o álbum foi muito bem recebido em meio ao renascimento progressivo da época, levando o guitarrista a chamar o seu irmão, Michael Stolt, para o baixo e Tomas Bodin para os teclados… era para ser a banda de apoio da sua turnê solo, mas no fim eles ganhariam vida própria…

Os Flower Kings continuam em plena atividade… e, além dos seus muitos álbuns com eles, Roine Stolt ainda formaria os grupos Transatlantic e The Tangent, reformaria o Kaipa, participaria de inúmeros outros projetos e gravaria mais álbuns solo… mas por hoje, vamos ficar com o trabalho que marcou o seu retorno em definitivo para o prog. rock… “The Flower King”, de 94…

Vocês ouviram “The Flower King”, “The Magic Circus of Zeb” e “The Sounds of Violence” com Roine Stolt.

O Art Rock fica por aqui… o programa tem a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado… tenham uma boa noite e até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

ROINE STOLT

BG – GRODBALLETEN

1. SAMHÄLLET OLYCSBARN – 6:15

2. DÖDENS ANSIKTE – 6:49

3. GIGANTERNAS KAMP 6:49

4. MR EVERGREEN – 3:47

BG – LEJONHJÄRTA

TOTAL – 23:40

ROINE STOLT

BG – SCANNING THE GREENHOUSE

5. THE FLOWER KING – 10:33

6. THE MAGIC CIRCUS OF ZEB – 7:06

7. THE SOUNDS OF VIOLENCE – 5:42

BG – THE PILGRIMS INN

TOTAL: 23:21

TOTAL GERAL – 47:01

Ouça o Art Rock com Roine Stolt que foi ao ar no dia 22/10/2016, clicando aqui.

Anúncios

Alan Parsons

Posted in Programas with tags on 13/10/2016 by Artrock

“Boa noite, hoje teremos um programa dedicado a um músico, produtor e engenheiro de som que marcou os anos 70… Alan Parsons.

1

Já trouxemos essa grande figura do rock inglês outras vezes no nosso programa, mas sempre é bom lembrar que ele começou como engenheiro de som, trabalhando para a EMI inglesa em álbuns como “Abbey Road” e “Let it Be” dos Beatles, além de trabalhos em álbuns de Paul McCartney, The Hollies, Ambrosia, Al Stewart e até do Pink Floyd, sendo o responsável pelo genial “Dark side of the Moon”.

E ele já tinha até recebido indicações para o Grammy pelo seu trabalho, quando resolveu montar o Alan Parsons Project, com a colaboração do compositor Eric Woolfson… juntos eles lançariam em 75 o álbum “Tales of Mystery and Imagination”, um disco conceitual baseado na obra do grande Edgar Allan Poe…

2

Nos anos seguintes, o Alan Parsons Project esteve entre os poucos nomes progressivos que continuaram a fazer sucesso diante da ascensão do punk rock e da disco music… o grupo lançaria uma série de álbuns de grande sucesso, e seguiria em frente pelos anos 80… e para essa primeira parte do programa de hoje nós selecionamos faixas dos álbuns “Eve”, “The turn of a friendly card” e “Eye in the sky”…

Vocês ouviram o Alan Parsons Project com “Lucifer”, “Time”, “The Gold Bug”, “Sirius” e “Mammagamma”…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E nós continuamos trazendo agora um trabalho perdido do Alan Parsons Project, que era para ter sido lançado em 1981, mas acabaria engavetado por mais de 30 anos…

3

No começo dos anos 80, o grupo resolveu lançar um último trabalho para fechar as obrigações contratuais com a Arista Records… o resultado seria “The Sicilian Defence”, um disco instrumental com o nome extraído da famosa abertura de xadrez… a gravadora não gostou do álbum e, embora tenha renovado o contrato com o Alan Parsons Project, acabou deixando aquele trabalho esquecido em um arquivo qualquer.

Para a Arista, o disco não parecia comercial o suficiente… na verdade, a inspiração enxadrística do álbum serviu até para dar nome às faixas, usando a antiga notação descritiva, utilizada na época para anunciar os movimentos das peças no jogo… uma escolha que deve ter contribuído para a decisão da gravadora, que só lançou “The Sicilian Defense” em 2014 como parte da Alan Parsons Project Box Set…

?????????????

Alan Parsons continua em plena atividade e, embora nos velhos tempos ele costumasse evitar as apresentações ao vivo, isso mudaria nos anos 90 e, atualmente, ele mantem a Alan Parsons Live Project e também a Symphonic Project, tendo lançado o álbum “Live in Colombia” em 2016… mas esse registro fica para outro programa, hoje vamos fechar com um pouco do álbum “The Sicilian Defence” de 81, mas lançado em 2014.
Vocês ouviram “Pawn to King 4”, “Pawn to Queen 4”, “Knight to King’s Bishop 3”, “Pawn takes Pawn”, “Knight takes Pawn” e “Knight to Queen’s Bishop 3”… com o Alan Parsons Project.

O Art Rock fica por aqui… o programa tem a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado… tenham uma boa noite e até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

ALAN PARSONS PROJECT

BG – MAY BE A PRICE TO PAY

1. LUCIFER – 4:59

2. TIME – 5:04

3. THE GOLD BUG – 4:32

4. SIRIUS – 1:53

5. MAMMAGAMMA – 3:35

BG – EYE IN THE SKY

TOTAL – 20:03

ALAN PARSONS PROJECT

BG – Kt-KB3

6. P-K4 – 5:01

7. P-Q4 – 3:55

8. Kt-KB3 – 3:07

9. PxP – 3:28

10. KtxP – 4:01

11. Kt-QB3 – 8:16

BG – P-Q3

TOTAL: 27:48

TOTAL GERAL – 47:52

Ouça o Art Rock com Alan Parsons que foi ao ar no dia 15/10/2016, clicando aqui.

Stick Men

Posted in Programas with tags on 10/10/2016 by Artrock

“Boa noite, hoje teremos no programa um grupo que representa a nova geração da família do King Crimson… os Stick Men de Pat Mastelotto & Tony Levin.

1

A história desse trio começou em 2007, quando o baixista Tony Levin gravou o álbum “Stick Man”, um trabalho explorando as possibilidades do chapman stick, um instrumento que reúne características de guitarra, baixo, piano e que até permite marcação e percussão… para acompanhá-lo ele chamou seu colega de King Crimson, o baterista Pat Mastelotto… e eles gostaram tanto da experiência que resolveram leva-la adiante…

O grupo Stick Men contaria ainda com Michael Bernier no stick… e seu primeiro trabalho, o álbum “Soup”, seria lançado em 2010, surpreendendo pela sonoridade única obtida pelo uso do instrumento polifônico inventado pelo genial Emmett Chapman no começo dos anos 70…

2

Com a saída de Michael Bernier em 2010, o multi-instrumentista alemão Markus Reuter foi chamado para assumir o segundo stick e a nova formação do trio lançou no ano seguinte o álbum “Absalom”… vamos conferir um pouco desses primeiros trabalhos dos Stick Men…

Vocês ouviram o trio Stick Men com “Hands” partes 1 e 3, depois foi a parte final da “Firebird Suite” de Stravinsky, seuida de “Absalom”, “Smudge” e “Crack in the Sky”.

A gente volta já.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E nós vamos continuar trazendo um pouco do som do grupo Stick Men, um descendente do King Crimson com uma sonoridade bem original.

3

Depois do álbum de improvisações “Open” de 2012, parecia que o trio iria seguir o caminho dos lançamentos ocasionais, típico de projetos que servem mais como veículo para os músicos poderem apresentar um material alternativo… mas isso foi deixado de lado com o lançamento de “Deep” em 2013, com um som mais pesado e coeso.

Em 2014 seria a vez de “Power Play”… e, enquanto eles preparavam o material para o seu próximo trabalho de estúdio, saía em 2015 uma edição apenas digital e em duas partes para “Midori”, com apresentações gravadas ao vivo, em Tokyo, e contando com a participação de outro ex-King Crimson… David Cross.

4

Sobre o álbum de 2016 o trio declarou que estava se concentrando mais na fase da composição e da seleção do material gravado… e o resultado seria “Prog Noir”, um trabalho mais refinado, que começou a ser promovido pelo vídeo da faixa “The Tempest”… que nós selecionamos para fechar o programa… mas, primeiro, fiquem com um pouco dos álbuns “Deep” e “Midori”…

Vocês ouviram “Hide in the trees”, “The talking drum”, “Lark’s tongues in aspic” e “The tempest” com os Stick Men.

O Art Rock fica por aqui… o programa tem a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado… tenham uma boa noite e até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

STICK MEN

BG – SASQUATCH

1. HANDS (PART 1) – 3:06

2. HANDS (PART 3) – 2:07

3. THE FIREBIRD SUITE (PART 4) – 3:04

4. ABSALOM – 5:20

5. SMUDGE – 5:16

6. CRACK IN THE SKY – 6:06

BG – THE FIREBIRD SUITE (PART 2)

TOTAL – 24:59

STICK MEN

BG – NUDE ASCENDING STAIRCASE

7. HIDE THE TREES – 6:36

8. THE TALKING DRUM – 5:52

9. LARK’S TONGUES IN ASPIC, PART 2 – 6:48

10. THE TEMPEST – 4:58

BG – SEPIA

TOTAL: 24:14

TOTAL GERAL – 49:13

Ouça o Art Rock com Stick Men que foi ao ar no dia 01/10/2016, clicando aqui.

Moetar & Mantra Vega

Posted in Programas with tags , on 04/10/2016 by Artrock

“Boa noite, hoje vamos trazer no programa dois exemplos da novíssima geração progressiva… começando com os americanos do MoeTar.

moetar-1

Formado na Califórnia em 2008, o MoeTar surgiu da união dos talentos da vocalista Moorea (Moe) Dickason e do baixista Tarik (Tar) Ragab, que haviam tocado juntos no politizado grupo funk NO Origin, mas que tinham uma queda para sonoridades mais progressivas… e para isso eles reuniram o baterista David Flores e também o guitarrista Matthew Heulitt, que já havia tocado com o grande Narada Michael Walden…

A posição de tecladista acabaria ficando com Matt Lebofsky, e o grupo começou a ganhar fama se apresentando no circuito alternativo de San Francisco e em festivais e encontros como o lendário Burning Man em Nevada… em 2010, eles lançariam o seu primeiro álbum, “From these small seeds”, de forma independente…

moetar-2

A boa repercussão do álbum, que chegou a ser listado como um dos discos prog do ano pelo site Calprog, acabaria levando a um contrato com a Magna Carta, que lançaria o CD em 2012… e isso ajudaria o grupo a seguir em frente, lançando “Entropy of the Century” em 2014… vamos conferir um pouco desses dois trabalhos do MoeTar…

Vocês ouviram “Dichotomy”, “Infinitesimal sky”, “Screed”, “Welcome the solar flares” e “The Unknowable” com o MoeTar.

A gente volta já.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer um grupo recém-nascido, mas com um ótimo pedigree… o Mantra Vega da vocalista Heather Findlay (ex-Mostly Autumn) e do tecladista e vocalista Dave Kerzner (ex-Sound of Contact).

mantra-vega

Anunciado em 2014, o projeto Mantra Vega reuniu ainda outros convidados, como o genial tecladista e guitarrista Arjen Lucassen (do Ayreon e Star One), Troy Donockley (do Nightwish) e também o guitarrista Dave Kilminster… além de outros ex-Mostly Autumn como Chris Johnson, Angela Gordon e Alex Cromarty…

O álbum “The Illusion’s Reckoning” saiu em 2016 e foi muito bem recebido pela crítica e pelo público… claro que com destaque apenas no cenário do progressivo britânico, onde o prestígio de Heather Findlay e Dave Kerzner já seriam o suficiente para garantir a repercussão.

Além de shows com o Mantra Vega para o lançamento, o álbum tornou-se tema de apresentações na íntegra pela Heather Findlay Band na sua tour europeia de 2016, uma estratégia para evitar os desencontros típicos de projetos que reúnem músicos de muitos grupos diferentes… vamos conferir um pouco desse belo trabalho de estreia…

Vocês ouviram o Mantra Vega com “Islands”, “Veil of Ghosts” e “The Illusion’s Reckoning”…

O Art Rock fica por aqui… o programa tem a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado… tenham uma boa noite e até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

MOETAR

BG – IST OR A ISM

1. DICHOTOMY – 3:57

2. INFINITESIMAL SKY – 3:01

3. SCREED – 4:40

4. WELCOME THE SOLAR FLARES – 3:04

5. THE UNKNOWABLE – 6:26

BG – WHERE THE TRUTH LIES

TOTAL – 21:08

MANTRA VEGA

BG – MOUNTAIN SPRING

6. ISLANDS – 5:53

7. VEIL OF GHOSTS – 6:48

8. THE ILLUSION’S RECKONING – 9:54

BG – I’VE SEEN YOUR STAR

TOTAL: 22:35

TOTAL GERAL – 43:43

Ouça o Art Rock com Moetar & Mantra Vega que foi ao ar no dia 24/09/2016, clicando aqui.