Arquivo para março, 2019

Giraffe

Posted in Programas with tags on 20/03/2019 by Art Rock

“Boa noite, o programa de hoje teremos um grupo americano de vida curta, o Giraffe, do produtor, compositor, cantor e multi-instrumentista Kevin Gilbert.

Nascido na Califórnia em 66, Kevin Gilbert partilharia momentos de fama no universo da música pop, mas sua paixão era firmemente calcada no rock progressivo… e o seu primeiro registro importante seria o álbum “No Reasons Given” de 1984, junto com o guitarrista Jason Hubbard, um belo trabalho que é claro passaria despercebido, pois não era uma época muito boa para o prog rock, ainda mais nos Estados Unidos.

Mas, apesar da falta de reconhecimento, Kevin se manteria com trabalhos de estúdio… em 87, ele formaria o Giraffe, gravando logo em seguida o álbum independente “The Power of Suggestion”… no ano seguinte, eles ganhariam a Yamaha International Soundcheck Competition e, além do prêmio em dinheiro, aproveitaram o estímulo para gravar “The View from Here”, na expectativa de conseguir se firmar.

Em vez disso, Kevin chamou a atenção do produtor Patrick Leonard que o convenceu a formar o grupo Toy Matinee, um projeto até ambicioso, mas que teria vida curta rendendo apenas um álbum homônimo em 1990… a história não terminaria aí, mas nessa primeira parte do programa vamos ficar com faixas dos dois primeiros registros do Giraffe…

Vocês ouviram o Giraffe com “This Warm Night”, “From Here to There”, “New Patriots”, “Finale”, “Holding on with Both Hands” e “Air Dance”.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Vamos continuar com o Giraffe, de Kevin Gilbert, um músico de muitas facetas, que não chegaria a alcançar a repercussão que merecia…

No começo dos anos 90, Kevin tentou levar adiante o Toy Matinee, reunindo uma formação diferente que incluía a sua namorada Sheryl Crow… isso mesmo, na época, ela era uma desconhecida para quem ele havia dado uma chance… e ele a levaria para seu próximo projeto, o Tuesday Night Music Club…

Mas Sheryl seria a única a se beneficiar, lançando em 93 o álbum “Tuesday Night Music Club”, que a transformaria em uma estrela… citado apenas como colaborador e coautor de algumas faixas, Kevin Gilbert ficaria desiludido e tentaria se reencontrar reformando o Giraffe, que realizaria uma celebrada apresentação na Progfest de 94, com uma recriação a íntegra de “The Lamb Lies Down on Broadway” do Genesis.

Em 95 ele lançaria seu primeiro álbum solo, “Thud”… e a repercussão do show na Progfest tinha levado a um convite de Tony Banks e Mike Rutherford para integrar o próprio Genesis… mas Kevin Gilbert nunca chegaria a voar para Londres como havia sido combinado… em maio de 96 ele deixaria a nossa realidade de forma bizarra, em uma sessão de asfixia autoerótica… vamos conferir mais um pouco dessa promessa que nos deixou muito cedo, aos 29 anos de idade…

Vocês ouviram “The Lamb Lies Down on Broadway”, “Back in NYC”, “The Carpet Crawlers”, “Lilywhite Lilith” e “The Musical Box”.

O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação são de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você poderá fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… tenham uma boa noite e até a semana que vem.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

GIRAFFE

BG – THE LAST THING ON YOUR MIND

1. THIS WARM NIGHT – 4:54

2. FROM HERE TO THERE – 2:35

3. NEW PATRIOTS – 2:30

4. FINALE (ROLL CREDITS PLEASE) – 1:56

5. HOLDING ON WITH BOTH HANDS – 4:43

6. AIR DANCE – 5:45

BG – WELCOME HOME

TOTAL – 22:23

GIRAFFE

BG – THE COLONY OF SLIPPERMEN

7. THE LAMB LIES DOWN ON BROADWAY – 5:13

8. BACK IN NYC – 5:48

9. THE CARPET CRAWLERS – 6:05

10. LILYWHITE LILITH – 2:53

11. THE MUSICAL BOX – 6:44

BG – FLY ON A WINDSHIELD

TOTAL: 26:44

TOTAL GERAL – 49:07

Ouça o Art Rock com Giraffe que foi ao ar no dia 16/03/2019, clicando aqui.

Van der Graaf Generator

Posted in Programas with tags , on 11/03/2019 by Art Rock

“Boa noite, hoje teremos um programa com dois clássicos do genial Van der Graaf Generator… uma das lendas vivas do prog rock inglês.

O grupo de Peter Hammill e uma presença frequente aqui no Art Rock… e, se não é, deveria ser parte obrigatória das coleções de todos os bons fãs de rock progressivo… mas, apesar de brilhante, o Van der Graaf nunca fez muito sucesso e a sua história foi marcada por períodos difíceis, a começar pela crise que se seguiu ao lançamento do seu 4º. Álbum, o extraordinário “Pawn Hearts” de 71.

Eles haviam gravado material para um disco duplo, mas a gravadora vetou o lançamento naquele formato, extraindo as faixas de Hugh Banton, Guy Evans e David Jackson, que só iriam reaparecer na edição remaster de 2005… e isso criou tensões dentro do grupo, o que só foi mais acentuado pela reação ao álbum, que foi da indiferença na Inglaterra à uma verdadeira histeria coletiva na Itália.

Apesar de hermético, o álbum chegou ao primeiro lugar das paradas italianas, e o Van der Graaf foi forçado a uma série de excursões de grande sucesso, mas que só levaram o grupo à exaustão e, por fim, à separação… vamos começar trazendo um pouco desse álbum lendário, com uma faixa que quase nunca é tocada nas rádios… uma suíte que ocupava todo o lado A do velho vinil de “Pawn Hearts”…

Vocês ouviram a insuperável “A Plague of Lighthouse Keepers” com o Van der Graaf Generator.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Vamos continuar com o Van der Graaf Generator, que não demorou muito para retornar depois da sua primeira separação em 1972…

Enquanto Peter Hammill se concentrava em sua carreira solo, Banton, Evans e Jackson acabaram formando o grupo The Long Hello, que lançaria um álbum em 74… mas, pouco tempo depois, os quatro se reuniriam de novo, e o Van der Graaf Generator voltava com outro grande trabalho, o álbum “Godbluff”, de 75.

O disco foi bem recebido… mas, Peter Hammill estava no meio de uma explosão criativa e, menos de seis meses depois, o grupo já estava no estúdio gravando mais um álbum: “Still Life”, que sairia em abril de 76… e já em maio eles estavam gravando “World Record” que sairia em outubro daquele ano… sem nem ter tempo de excursionar direito.

O ritmo frenético acabou prejudicando a coesão do grupo e, depois de alguns trabalhos com formações diferentes, o Van der Graaf acabou encerrando atividades em 78… e só em 2005 eles voltariam com o genial álbum “Present”… desde então eles lançaram mais quatro registros de estúdio e vários ao vivo… mas já trouxemos muito desse material no programa, para hoje, vamos fechar com faixas de “Godbluff” e “Still Life”…

Vocês ouviram o Van der Graaf Generator com “Scorched Earth”, “The Sleepwalkers” e “Pilgrins”.

O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação são de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você poderá fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… tenham uma boa noite e até a semana que vem.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

VDGG

BG – THEME ONE

1. A PLAGUE OF LIGHTHOUSE KEEPERS – 23:12

BG – MAN-ERG

TOTAL – 23:12

VDGG

BG –LA ROSSA

2. SCORCHED EARTH – 9:38

3. THE SLEEPWALKERS – 10:33

4. PILGRINS – 7:08

BG – MY ROOM

TOTAL: 27:19

TOTAL GERAL – 50:31

Ouça o Art Rock com Van der Graaf Generator que foi ao ar no dia 09/03/2019, clicando aqui.

Galahad

Posted in Programas with tags on 11/03/2019 by Art Rock

“Boa noite, no programa de hoje vamos atender à sugestão do nosso ouvinte de longa data, João Cucci Neto, que pediu um programa especial com o grupo folk alemão Galahad…

O tema Arturiano sempre foi muito popular no mundo do rock e em especial no progressivo, por isso, não é de se admirar que o nome de Sir Galahad, o Puro, tenha sido escolhido mais de uma vez por grupos de países diferentes… o mais conhecido é o grupo inglês de neo prog fundado em 1985 e contemporâneo do Marillion e IQ… mas, curiosamente, no mesmo ano surgia na Alemanha um outro Galahad, trazendo um som bem diferente.

Esse grupo germânico surgiu na cidade de Dinslaken, no Baixo Reno, e foi criado pelo vocalista, flautista e guitarrista Paul Alexander Jost… no começo, eles eram um quarteto acústico, mas já eram voltados para uma concepção própria do folk rock, em que mandolins e gaitas de foles se entrelaçam com solos de guitarra ou passagens de flauta e com temáticas explicitamente medievais.

Podemos claramente identificar ecos do grande Jethro Tull… mas, nem por isso, o Galahad deixa de ter sua própria sonoridade, que já foi chamada a de trilha sonora perfeita para um jogo de RPG medieval… o primeiro registro foi “Sir Galahad” de 85… eles seguiriam em frente, mas só ganhariam mais reconhecimento a partir do álbum “The Returno of the Piper” de 97… e é um pouco desse trabalho, e de “Myrddin” de 2000, que vocês vão conferir na primeira parte do programa de hoje.

Vocês ouviram “The Lady of Corvic”, “The Return of the Piper”, “Gaudete”, “Celtic Queen”, “The Leaving of Iishmore” e “Girl From the Woods”, com o Galahad.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Vamos continuar trazendo o som do grupo folk alemão Galahad… um exemplo do encontro de temporalidades que se mantem mais conhecido no cenário do folk rock europeu.

Além da liderança de Paul Alexander Jost, o Galahad conta com as vocalistas Tina de Vlinder e Jekka van de Veer, o tecladista Ralf Veith, o guitarrista Dieter Horlitz, o baterista Jens Gronwald e o baixista Peter Huntenburg… e eles têm se mantido muito ativos, participando com frequência dos festivais folk e lançando trabalhos ocasionais.

Existe na Europa um rico universo voltado para a música com inclinações barrocas, renascentistas e medievais, no qual se misturam grupos que buscam reconstruir a sonoridade autêntica com outros que exploram as possibilidades do crossover de linguagens.

É neste campo de muitas encruzilhadas que o Galahad trafega, em momentos lembrando o grupo de Ian Anderson, para depois soar como o Fairport Convention da época de Sandy Denny, mas sempre procurando tecer a sua própria tapeçaria sonora… vamos fechar com faixas do seu álbum “Incredibile” de 2011 e do EP “Season’s Greetings” de 2014…

Vocês ouviram o Galahad com “After Rising There will be Fall”, “Incredibile Galahad”, “Tender Crazy”, “Back in my Arms”, “Rookie’s Rondo”, “Buy a Cage (Spring)” e “Wonderland (Autumn)”.

O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação foram de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você poderá fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… tenham uma boa noite e até a semana que vem.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

GALAHAD

BG – LAST SUMMER DAYS

1. THE LADY OF CORVIC – 5:11

2. THE RETURN OF THE PIPER – 6:00

3. GAUDETE – 2:47

4. CELTIC QUEEN – 4:47

5. THE LEAVING OF INISHMORE – 3:04

6. GIRL FROM THE WOODS – 4:00

BG – EXPERIENCE

TOTAL – 25:49

GALAHAD

BG – NEXT STEP

7. AFTER RISING THERE WILL BE FALL – 3:32

8. INCREDIBILE GALAHAD – 3:41

9. TENDER CRAZY – 3:27

10. BACK IN MY ARMS – 4:17

11. ROOKIE’S RONDO – 2:49

12. BUY A CAGE (SPRING) – 4:08

13. WONDERLAND (AUTUMN) – 2:52

BG – WOLKESTEINS TANZ

TOTAL: 24:46

TOTAL GERAL – 50:35

Ouça o Art Rock com Galahad que foi ao ar no dia 02/03/2019, clicando aqui.

Focus

Posted in Programas with tags on 01/03/2019 by Art Rock

“Boa noite, hoje no programa teremos uma colaboração do nosso amigo Almir Octávio, que nos forneceu o lançamento de 2019 do grande Focus…

Claro que o grupo de Thijs van Leer dispensa apresentações, ainda mais para os nossos ouvintes, pois é uma presença frequente aqui no Art Rock… por isso, nessa primeira parte vamos trazer um momento pouco lembrado da sua longa carreira… a breve tentativa de retorno em 1985.

Na época, grandes nomes do progressivo como o Yes e o Genesis estavam voltando a fazer sucesso, ainda que com trabalhos mais comerciais… e a Phonogram Records resolveu embarcar nessa onda chamando as duas figuras centrais do Focus, Jan Akkerman e Thijs van Leer e sugerindo que eles regravassem faixas clássicas do grupo com a produção de Trevor Horn, o mesmo que havia produzido o megaplatinado álbum “90125” do Yes.

Mas tanto Akkerman como van Leer não toparam essa proposta caça-níquel… em vez disso, eles gravaram como uma dupla um álbum nem um pouco comercial e ele foi intitulado simplesmente de “Focus”, numa referência ao seu antigo grupo… no fim, é claro que o disco passou a ser considerado como parte da discografia oficial do Focus… e é um pouco desse trabalho lançado em 1985 que vocês vão ouvir nessa primeira parte do programa de hoje.

Vocês ouviram “Russian Roulette”, “King Kong” e “Who’s Calling?” com Jan Akkerman e Thijs van Leer, isso é: o Focus em 1985.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer o álbum “Focus XI”, que foi disponibilizado nos shows do grupo em 2018, mas foi lançado oficialmente só em janeiro de 2019.

Nos anos 90 houve algumas tentativas de retorno da formação clássica do Focus… mas, embora concordasse em tocar com os velhos companheiros, Jan Akkerman nunca foi muito entusiástico com a ideia de reformar o grupo em definitivo… por isso ele não faria parte dos novos trabalhos lançados a partir de 2002.

Além de Thijs van Leer, o grupo voltaria a contar com o baterista Pierre van der Linden a partir do álbum “Focus 9” de 2006, e tem se mantido em atividade constante, com tours anuais por todo o mundo, e também excursões pelo Brasil em 2012, 2014 e 2017…

A formação atual conta ainda com o guitarrista Menno Gootjes e o baixista Udo Pannekeet… o álbum “Focus 11” conta com uma bela capa de Roger Dean e seu lançamento anuncia a tour dos 50 anos de aniversário do grupo, que inclui a tradicional apresentação no Cruise to the Edge, o cruzeiro progressivo da Royal Caribbean… vamos conferir um pouco desse novo trabalho do decano do prog. holandês…

Vocês ouviram o Focus com “Who’s Calling”, “How Many Miles”, “Mare Nostrum”, “Clair-obscur” e “Focus 11”.

O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação foram de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… nós agradecemos ao nosso amigo Almir Octávio pela colaboração com o programa de hoje, obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você poderá fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… tenham uma boa noite e até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

FOCUS

BG – LE TANGO

1. RUSSIAN ROULETTE – 5:55

2. KING KONG – 3:46

3. WHO’S CALLING? – 16:14

BG – OLE JUDY

TOTAL – 25:54

FOCUS

BG – MAZZEL

4. WHO’S CALLING – 5:27

5. HOW MANY MILES – 4:48

6. MARE NOSTRUM – 5:08

7. CLAIR-OBSCUR – 3:15

8. FOCUS 11 – 6:12

BG – WINNIE

TOTAL: 24:50

TOTAL GERAL – 50:08

Ouça o Art Rock com Focus que foi ao ar no dia 23/02/2019, clicando aqui.

Fairport Convention & Richard Thompson

Posted in Programas with tags , on 01/03/2019 by Art Rock

“Boa noite, hoje vamos fazer um dos nossos costumeiros programas dedicados ao folk rock britânico… e começando com o genial Fairport Convention.

Já trouxemos o Fairport outras vezes no Art Rock, mas não custa lembrar que o grupo foi formado em 67 e sempre foi famoso pelas mudanças constantes de formação… ainda naquele ano eles tiveram algumas, mas se firmaram em torno dos guitarristas Richard Thompson e Simon Nicol, do baixista Ashley Hutchings, do baterista Martin Lamble e dos vocalistas Ian Matthews e Judy Dyble.

Esse time era conhecido nos bares londrinos como o Jefferson Airplane britânico, e conseguiria um contrato com a Polydor, lançando em 68 o álbum “Fairport Convention”, onde se podia sentir a influência do folk rock americano de Joni Mitchel, Bob Dylan e The Byrds… mas tudo isso mudaria com a entrada da vocalista Sandy Denny, e uma virada para o folk inglês propriamente dito.

A história do Fairport Convention renderia muitos programas, pois eles continuam em atividade… mas, para esta primeira parte, vocês ficam com um pouco dessa fase de transição, entre os vocais de Judy e Sandy, com faixas extraídas do álbum de estreia e também de “Unhalfgricking” de 69…

Vocês ouviram “Time Will Show the Wise”, “Jack O’Diamonds”, “Suzanne”, que foi uma cover de Leonard Cohen, depois “Genesis Hall”, “Who Knows Where the Time Goes” e, para fechar, uma versão de “Ballad of Easy Rider” de Roger McGuinn, todas com o Fairport Convention.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora uma amostra da vitalidade do folk rock inglês… o álbum de 2018 de Richard Thompson, o guitarrista original do Fairport Convention…

Em 1969 o Fairport perderia o baterista Martin Lamble em um acidentem quando estavam voltando de um show em Birmingham… eles seguiriam em frente, mas logo seria a vez de Sandy Denny sair para formar o Fotheringay em 70… e, em 71, seria a vez de Richard Thompson.

Ele lançaria em 72 o álbum “Henry the Human Fly”, que contava com vários convidados, inclusive Sanbdy Denny, Ashley Hutchings e a cantora Linda Peters, com quem ele acabaria casando… juntos, eles formariam a dupla Richard & Linda Thompson e lançariam alguns belos trabalhos no final da década de 70.

No começo dos anos 80, ao mesmo tempo em que alcançavam grande repercussão com o álbum “Shoot out the Lights”, o casal estava em crise e logo se separariam… mas, assim como seus velhos amigos do Fairport, Richard Thompson sempre se reinventou e continuou em frente e “13 Rivers”, seu lançamento de 2018 mostra que ele continua um dos grandes guitarristas e vocalistas do folk inglês…

Vocês ouviram Richard Thompson com “The Storm Won’t Come”, “Her Love Was Meant for Me”, “The Dog in You”, “No Matter” e “Shaking the Gates”.

O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação foram de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você poderá fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… tenham uma boa noite e até a semana que vem.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

FAIRPORT CONVENTION

BG – SUN SHADE

1. TIME WILL SHOW THE WISE – 3:07

2. JACK O’DIAMONDS – 3:32

3. SUZANNE – 5:49

4. GENESIS HALL – 3:38

5. WHO KNOWS WHERE THE TIME GOES – 5:09

6. THE BALLAD OF EASY RIDER – 4:55

BG – I DON’T KNOW WHERE I STAND

TOTAL – 26:10

RICHARD THOMPSON

BG – TRYING

7. THE STORM WON’T COME – 6:12

8. HER LOVE WAS MEANT FOR ME – 5:02

9. THE DOG IN YOU – 4:55

10. NO MATTER – 3:47

11. SHAKING THE GATES – 4:02

BG – MY ROCK, MY ROPE

TOTAL: 23:58

TOTAL GERAL – 50:08

Ouça o Art Rock com Fairport Convention & Richard Thompson que foi ao ar no dia 16/02/2019, clicando aqui.