Arquivo para 17/04/2019

Porcupine Tree

Posted in Programas with tags on 17/04/2019 by Art Rock

“Boa noite, hoje teremos um programa com um dos grandes grupos da geração dos anos 90, que começou como uma banda imaginária, mas causou tanto impacto que acabaria se tornando real… o Porcupine Tree.

Já trouxemos outras vezes no programa esse grupo britânico que surgiu de uma brincadeira do guitarrista e vocalista Steven Wilson, que tinha inventado uma falsa banda dos anos 70, imitando o que havia sido feito para o filme “This is The Spinal Tap”… um passatempo que se converteria em um dos mais bem sucedidos grupos progressivos da sua geração.

E para começar o programa de hoje selecionamos faixas de dois álbuns da década de 90… primeiro “Signify” de 96, no qual Steven Wilson contou com a colaboração dos outros integrantes do grupo na composição das faixas… e o resultado mostrava a direção que o Porcupine Tree iria tomar daí em diante.

Em 99 sairia “Stupid Dream”, pela Snapper Records, e ele seria o álbum mais bem sucedido até então, consolidando a posição do grupo no cenário progressivo dos anos 90… vamos ouvir um pouco dessa fase de afirmação do Porcupine Tree, quando o tecladista Richard Barbieri, o baixista Colin Edwin e o baterista Chris Maitland se integraram e ajudaram a enriquecer a proposta musical inicial de Steven Wilson.

Vocês ouviram o Porcupine Tree com “Signify”, “Sever” e “Even Less”…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer um pouco da fase de mudanças do Porcupine Tree, a partir da entrada do baterista Gavin Harrison, em 2002.

Depois da bem sucedida tour americana de 2001, o grupo conseguiu o seu primeiro contrato com uma grande gravadora, através do selo Lava da Atlantic Records… e, embora esses contratos costumem ser facas de dois gumes, eles também representam momentos de virada que aumentam a divulgação, facilitam a organização de excursões internacionais e abrem muitas oportunidades.

Já com o novo baterista, o Porcupine Tree se concentrou para gravar um novo álbum, “In Absentia”, um trabalho ambicioso que receberia até um lançamento especial em uma edição surround-sound e representava um redirecionamento musical, com o som do grupo ganhando mais peso e se voltando para o chamado metal progressivo…

Steven Wilson reconheceria a influência desse estilo, com o Porcupine Tree chegando a fazer uma excursão junto com o grande grupo sueco Opeth… e o álbum “In Absentia” seria muito bem recebido, tornando-se um dos discos essenciais do grupo… confiram um pouco desse trabalho premiado lançado em 2002.

Vocês ouviram “Blackest Eyes”, “Trains”, “Lips of Ashes”, “Wedding Nails” e “Futile”, com o Porcupine Tree…

O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação são de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você poderá fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… tenham uma boa noite e até a semana que vem.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

PORCUPINE TREE

BG – PIANO LESSONS

1. SIGNIFY – 3:25

2. SEVER – 5:31

3. EVEN LESS – 14:07

BG – PURE NARCOTIC

TOTAL – 23:03

PORCUPINE TREE

BG – DROWN WITH ME

4. BLACKEST EYES – 4:26

5. TRAINS – 5:56

6. LIPS OF ASHES – 4:39

7. WEDING NAILS – 6:34

8. FUTILE – 6:08

BG – STRIP THE SOUL

TOTAL: 27:42

TOTAL GERAL – 50:45

Ouça o Art Rock com Porcupine Tree que foi ao ar no dia 13/04/2019, clicando aqui.

Jon Anderson

Posted in Programas with tags on 17/04/2019 by Art Rock

“Boa noite, hoje no programa teremos uma grande surpresa do ano de 2019, o álbum “1000 Hands” de Jon Anderson… um trabalho com inúmeros convidados, incluindo seus ex-colegas do Yes…

Claro que não vamos perder tempo apresentando Jon Anderson, pois afinal ele está entre as presenças obrigatórias na coleção de qualquer fã de rock progressivo… principalmente pelos seus trabalhos com o grande Yes, mas também por suas muitas parcerias e projetos, além de sua carreira solo, que começou de forma brilhante com o genial álbum “Olias of Sunhillow”, de 76…

Na época, o Yes estava no auge, mas Jon tinha resolvido compor e gravar todo o material sozinho… uma atitude que mudaria já a partir do segundo trabalho, o álbum “Song of Seven” de 1980, que foi o seu primeiro registro solo depois de ter deixado o Yes… se antes ele desejava uma viagem pessoal, agora estava interessado em recuperar o espírito do trabalho coletivo e reuniu um grupo para gravar e excursionar…

Além de Jon nos vocais e guitarra acústica, estavam Clem Clempson (do Colosseum e Humble Pie) na guitarra, Jack Bruce (do Cream) do baixo, Simon Phillips (do 801, Judas Priest e muitos outros grupos) na bateria e Ronnie Leahy (ex-Stone the Crows e futuro Nazareth) nos teclados… vamos conferir um pouco dessa fase, incluindo faixas do álbum seguinte, “Animation” de 82.

Vocês ouviram Jon Anderson com “Song of Seven”, “All in a Matter of Time” e “The Spell”.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E nesta segunda parte do programa vamos trazer o álbum “1000 hands” de Jon Anderson, lançado no comecinho de 2019… um trabalho que já anuncia no título que foi feito a muitas mãos…

Desde que Steve Howe e Chris Squire resolveram levar o Yes adiante sem Jon, o vocalista passou a se concentrar em sua carreira solo, mas sem deixar de lado seus outros projetos, incluindo a bem sucedida dupla com o amigo Rick Wakeman, que acabaria evoluindo para se transformar numa nova versão do Yes a partir de 2016.

Mas Jon tinha um material iniciado há muito tempo, gravações que ele havia começado a fazer em Los Angeles no começo dos anos 90 e que haviam ficado engavetadas por 28 anos… as fitas incluíam partes gravadas por Chris Squire e Alan White… e, junto com o produtor Michael Franklin, a ideia de uma obra em três partes começou a tomar forma, só precisavam reunir um pequeno grupo de amigos para dar uma mãozinha…

Apenas Ian Anderson, Steve Howe, Jean-Luc Ponty, Jerry Goodman, Billy Cobham, Chick Corea, Larry Coryell, Pat Travers, Steve Morse, Robby Steinhardt, Rick Derringer, a sessão de sopros do grupo Tower of Power e a Sinfônica de Orlando… e o resultado, “1000 hands Chapter One” é o que vocês vão poder ouvir nessa segunda parte do programa de hoje.

Vocês ouviram “Now”, “Activate”, “Now Variations”, “Twice in a Lifetime” e “1000 hands (come up)” com Jon Anderson…

O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação são de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você poderá fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… tenham uma boa noite e até a semana que vem.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

JON ANDERSON

BG – FOR YOU FOR ME

1. SONG OF SEVEN – 11:16

2. ALL IN A MATTER OF TIME – 3:09

3. THE SPELL – 11:43

BG – SPIDER

TOTAL – 26:35

JON ANDERSON

BG – RAMALAMA

4. ACTIVATE – 8:51

5. NOW VARIATIONS – 1:03

6. TWICE IN A LIFETIME – 5:06

7. 1000 HANDS (COME UP) – 8:24

BG – I FOUND MYSELF

TOTAL: 23:24

TOTAL GERAL – 49:59

Ouça o Art Rock com Jon Anderson que foi ao ar no dia 06/04/2019, clicando aqui.

RPWL

Posted in Programas with tags on 17/04/2019 by Art Rock

“Boa noite, no programa de hoje teremos uma sugestão do nosso amigo Frank Chmyz, um grupo da geração dos anos 90 do prog. alemão: o RPWL…

Esse excelente grupo, que já passou dos 20 anos de carreira, surgiu em 97 na Bavária, e o seu nome não tem nada de enigmático… foi formado pelas iniciais dos seus fundadores, o baterista Phil Paul Rissettio, o baixista Chris Postl, o guitarrista Kalle Wallner e o vocalista e tecladista Yogi Lang… uma ideia nada original e que perderia o sentido com o tempo e as mudanças de formação…

No começo eles eram uma banda cover do Pink Floyd… só depois de três anos é que começaram a compor material próprio, e o seu primeiro álbum, “God has Failed”, sairia no ano 2000 e pegaria o próprio grupo de surpresa, pois foi muito bem recebido, ganhando matérias entusiásticas nas mais importantes revistas especializadas em progressivo, que apontavam o RPWL como uma das revelações do ano.

As mudanças de formação começaram em seguida, mas felizmente eles tiveram juízo e não mudaram o nome do grupo, entendendo que era mais importante manter o reconhecimento da mídia e do público… e nós vamos começar com material dessa fase do RPWL, incluindo faixas do seu álbum de estreia e também de “Trying to Kiss the Sun” de 2002.

Vocês ouviram o RPWL com “In Your Dreams”, “Crazy Lane”, “God Has Failed’”Trying to Kiss the Sun”, “I Don’t Know (What’s it Like)” e “Sunday Morning”.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer um trabalho mais recente do RPWL, o álbum “Tales from Outer Space” de 2019…

O álbum “World Through my Eyes” de 2005 contava em uma das faixas com a colaboração do vocalista Ray Wilson, do Genesis e Stiltskin… e ele também participaria como convidado do álbum duplo “Live: Start the Fire”, que o RPWL lançaria ainda aquele ano, registrando a participação do grupo no lendário programa Rockpalast da TV alemã.

Com a entrada do baterista Marc Turiaux e do baixista Werner Taus em 2010 o grupo se estabilizaria, e o resultado seriam o ambicioso álbum “Beyond Man and Time”, lançado em 2012, com o título inspirado na abertura de “Assim falou Zaratustra” de Nietzsche, obra que também serviu como conceito para a criação do álbum, que receberia ainda uma edição especial que incluía um audiobook.

Em 2014 eles lançariam “Wanted”, onde se apresentam como fugitivos de uma perseguição movida pelas instituições religiosas e causada por oferecido ao mundo uma nova droga, capaz de oferecer ao mundo uma perniciosa libertação… mas isso fica para outro programa, para fechar o Art Rock de hoje vamos ouvir um pouco da investida do RPWL na ficção científica, com o álbum “Tales from Outer Space”, que saiu no começo de 2019 e mostra o grupo em ótima forma…

Vocês ouviram “A New World”, “Light of the World” e “What I Really Wanted” com o RPWL…

O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação são de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você poderá fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… tenham uma boa noite e até a semana que vem.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

RPWL

BG – WHO DO YOU THINK WE ARE

1. IN YOUR DREAMS – 6:48

2. CRAZY LANE – 4:44

3. GOD HAS FAILED – 2:16

4. TRYING TO KISS THE SUN – 3:45

5. I DON’T KNOW (WHAT’S IT LIKE) – 4:33

6. SUNDAY MORNING – 4:29

BG – SIDE BY SIDE

TOTAL – 26:35

RPWL

BG – WELCOME TO THE FREAK SHOW

7. A NEW WORLD – 8:38

8. LIGHT OF THE WORLD – 10:07

9. WHAT I REALLY WANTED – 5:09

BG – NOT OUR PLACE TO BE

TOTAL: 24:06

TOTAL GERAL – 50:41

Ouça o Art Rock com RPWL que foi ao ar no dia 30/03/2019, clicando aqui.

REPRISE: Seventh Key & Kansas

Posted in Programas with tags , on 17/04/2019 by Art Rock

Olá ouvintes do Art Rock! O programa de 23-03-2019, foi um reprise com o Seventh Key & KansasConfiram este programa clicando aqui!

Vocês também podem acessar o link do programa diretamente aqui.