Rush

“Boa noite… no programa de hoje teremos a ingrata tarefa de prestar homenagem a mais um viajante do tempo e do espaço que deixou o nosso mundo de inconsistências para trás no começo de 2020.

Estamos nos referindo ao grande Neil Peart… e, é claro, para lembrá-lo teremos um programa dedicado ao grande Rush, o power trio canadense que é quase uma unanimidade entre os fãs tanto do rock pesado como do progressivo… e isso se deve em grande parte graças ao talento de Neil Peart, não só como baterista, mas também como o letrista que emprestou a profundidade poética para os trabalhos do grupo.

Quando o Rush surgiu no final dos anos 60, em Toronto, no Canadá, a sua formação era outra… junto do guitarrista Alex Lifeson e do baixista e vocalista Geddy Lee estava o baterista John Rutsey… que ainda estava com eles na época do seu primeiro trabalho, o álbum “Rush” de 74… que não chegou a ter muito impacto… foi só quando Neil Peart entrou em 74 que eles realmente chamariam a atenção do público e da crítica.

Vamos começar com o momento que marcou o reconhecimento do Rush no cenário do rock dos anos 70, com “2112”, faixa título do álbum de 76, uma suíte épica que conta a história do último músico tentando fazer sua voz ser ouvida em um mundo controlado pela totalitária ordem dos Sacerdotes do Templo de Syrinx…

Vocês ouviram o Rush com a suite “2112”, faixa título do primeiro álbum do grupo a alcançar o sucesso internacional, chamando a atenção para o talento de Neil Peart também como letrista.

A gente volta já.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer mais um momento da genialidade de Neil Peart, que a essa altura, já deve estar a meio caminho de Cygnus X-1, onde um encontro o aguarda…

A faixa “2112”, que trouxemos na primeira parte do programa, não teve só elogios… nos agradecimentos, Neil Peart menciona a filósofa e escritora russo/americana Ayn Rand, criadora do Objetivismo, e sua novela de ficção “Anthem”, de 1937… essa menção de uma pensadora considerada de direita levou a críticas… mas o Rush, e a poética de Neil Peart, estavam na verdade mais interessados numa condenação ao totalitarismo, que pode ser tanto de esquerda como de direita…

Nessa segunda parte vamos trazer uma obra que esclarece esse posicionamento… a suíte em duas partes “Cygnus X-1”, que começou no álbum “A Farewell to Kings” de 77 e terminou em “Hemispheres” de 78… nela, Neil Peart conta a jornada da nave Rocinante para explorar o buraco negro Cygnus X-1… e, no seu interior, encontrar os deuses Apolo e Dionísio, representantes das dualidades entre razão e emoção, forma rígida e possibilidade fluida, individualismo e altruísmo e tantas outras…

Prisioneiros dessa eterna luta ideológica, os deuses são confrontados pelos mortais, as vítimas do seu incessante conflito… e o homem que cresceu a ponto de alcançar esse esconderijo onde mente e coração duelam, olha com um silêncio condenador… envergonhados os deuses dão a esse ser humano amadurecido a posição de mediador… e entre Apolo e Dionísio ficaria a partir de então: Cygnus, deus do equilíbrio.

Vocês ouviram o Rush com “Cygnus X-1 Book I – The Voyage” e “Cygnus X-1 Book II – Hemispheres”… o duplo libelo pela tolerância do grande e saudoso Neil Peart.

O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação são de Vidal Costa e a edição e remasterização de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você poderá fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… e agora você pode curtir novamente o programa acessando o site https://paranaeducativa.pr.gov.br – clique no link “podcast”, selecione “Art Rock” e escute diretamente no site ou faça download para ouvir quando quiser… tenham uma boa noite e até a semana que vem.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

RUSH

BG – SOMETHING FOR NOTHING

1. 2112 – 20:33

BG – LESSONS

TOTAL – 20:33

RUSH

BG – CIRCUNSTANCES

1. CYGNUS X-1 BOOK I – THE VOYAGE – 10:26

2. CYGNUS X-1 BOOK II – HEMISPHERES – 18:07

BG – CLOSER TO THE HEART

TOTAL – 28:34

TOTAL GERAL – 49:07

Ouça o Art Rock com Rush que foi ao ar no dia 18/01/2020, clicando aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: