Guru Guru

Posted in Programas with tags on 22/06/2018 by Artrock

“Boa noite, para o programa de hoje nós escolhemos uma das lendas do progressivo germânico, o grande Guru Guru…

Esse grupo seminal do krautrock já foi trazido algumas vezes no Art Rock, mas claro que não poderíamos deixar de registrar um momento muito especial e que não chega para todo mundo… a comemoração dos 50 anos de carreira do grupo, que aconteceu em 2018, com direito até ao lançamento do álbum “Rotate!”…

Na verdade, o Guru Guru é um dos sobreviventes da sua geração… ele foi fundado em 68 e já passou por inúmeras fases… sempre sob a liderança do baterista e vocalista Mani Neumeier… e essa não foi a primeira vez que eles comemoraram uma data importante com um novo álbum, mostrando que continuam firmes com a sua proposta musical.

Para essa primeira parte, selecionamos justamente o álbum que foi lançado quando o Guru Guru celebrava 40 anos de atividade, e se mostrava sem perder nada da sua energia e criatividade… na época, podia até parecer que eles iriam diminuir o ritmo, mas, em vez disso, eles manteriam a boa forma nas excursões e apresentações em festivais… confiram um pouco do álbum “Psy” de 2008…

Vocês ouviram o Guru Guru, com “Dark Blue Star”, “Jaipur”, “Wonderland”, “Yellow Sunshine”, “Blue Angel” e “Spam Spam”

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer o álbum “Rotate!”, que comemora as cinco décadas de carreira do genial Guru Guru…

Desde o começo, o Guru Guru explorou diversas veredas musicais, da psicodelia ao rock experimental e avant garde, ao jazz-rock e até a world music, mas a sua marca também foi o ativismo politico… alguns membros do grupo chegaram a morar em comunas hippies e eles também praticavam a leitura de textos engajados nos intervalos entre as músicas durante os concertos…

Mani Neumeier continua inabalável e mantém seus companheiros de longa data Roland Schaeffler na guitarra e sax e Peter Kuhmstedt no baixo, além de um novo integrante, o guitarrista Jan Lindqvist… e juntos eles também continuam promovendo os já tradicionais Finki Festivals, celebrando o melhor do krautrock…

Musicalmente, o grupo permanece ignorando convenções… e Mani Neumeier, como um bom iconoclasta, ocupa um lugar semelhante ao de Christian Vander do Magma ou de Dave Brock do Hawkwind… todos catalizadores em torno dos quais se operam reações alquímicas, dentro e fora de seus grupos em verdadeiros movimentos musicais que progridem como deve ser: em todas as direções… vamos conferir um pouco de “Rotate!” o álbum dos 50 anos do Guru Guru.

Vocês ouviram “Rotate”, “I missed so many shootingstars”, “Anancoda”, “I am a spaceboy” e “Gurugu”… com o Guru Guru.

O Art Rock fica por aqui… o programa teve a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Araly Moser… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você poderá fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… tenham uma boa noite e até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

GURU GURU

BG – DIE VERKÜNDUNG

1. DARK BLUE STAR – 5:07

2. JAIPUR – 3:32

3. WONDERLAND – 3:59

4. YELLOW SUNSHINE – 4:11

5. BLUE ANGEL – 3:12

6. SPAM SPAM – 5:52

BG – LUIGI

TOTAL: 25:43

GURU GURU

BG – ROLLO RIFF

1. ROTATE – 4:03

2. I MISSED SO MANY SHOOTINGSTARS – 6:34

3. ANACONDA – 6:15

4. I AM A SPACEBOY – 7:13

5. GURUGU – 0:11

BG – NANA

TOTAL: 24:16

TOTAL GERAL – 49:59

Ouça o Art Rock com Guru Guru que foi ao ar no dia 16/06/2018, clicando aqui.

Spock’s Beard

Posted in Programas with tags on 15/06/2018 by Artrock

“Boa noite, teremos hoje no programa uma sugestão do nosso amigo e colaborador Almir Octávio… o álbum de 2018 de um dos mais importantes grupos da geração progressiva dos anos 90, o Spock’s Beard.

Já trouxemos muitas vezes no programa esse grupo fundado pelos irmãos Neal e Alan Morse em 92, com o nome tirado do episódio “Mirror, Mirror” da série Star Trek, a Jornada nas Estrelas… e nesses mais de 25 anos de carreira eles passaram por muitas mudanças, mas continuam em atividade e lançando ótimos trabalhos, sem dar sinais que pretendam encerrar atividades.

Depois da saída do líder original, o tecladista, guitarrista e vocalista Neal Morse em 2002, o Spock’s Beard passou um tempo sob a liderança do baterista Nick D’Virgilio, que assumiu os vocais já a partir do álbum “Feel Euphoria”, continuando a cuidar da bateria nas gravações de estúdio e sendo substituído nos shows pelo novo integrante Jimmy Keegan.

Mas, em 2011, seria a vez do próprio Nick D’Virgilio deixar o grupo, que seguiria em frente com o vocalista Ted Leonard… e a surpresa do álbum “Noise Floor” de 2018 foi justamente a volta de Nick D’Virgilio para a bateria… e é um pouco desse trabalho que vocês vão poder conferir agora no Art Rock…

Vocês ouviram o Spock’s Beard com “To breathe another day”, “Somebody’s home”, “Have we all gone crazy yet” e “So this is life”.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Continuamos agora com mais um pouco do álbum “Noise Floor”, o décimo terceiro registro de estúdio do Spock’s Beard.

Em 2016, depois de mais de 10 anos como baterista do grupo, Jimmy Keegan anunciou que estava deixando o Spock’s Beard… e eles convenceram Nick D’Virgilio a voltar para poderem cumprir as obrigações de shows, incluindo a participação no Cruise to the Edge de 2017, o já concorrido cruzeiro progressivo promovido pela Royal Caribean, que naquele ano foi a bordo do supernavio Brilliance of the Seas.

No fim esse retorno acabou rendendo, pois o baterista confirmou que iria participar também da gravação do próximo álbum… e, embora não tenha sido confirmado novamente como integrante do grupo, ele gravou com eles o álbum “Noise Floor”, ajudando os velhos companheiros a completar o time.

O álbum mostra o Spock’s Beard em boa forma… e foi lançado também em uma edição especial dupla, com um CD extra que foi batizado de “Cutting Room Floor”, com faixas que não foram incluídas na edição normal… aliás, essa edição também recebeu um lançamento ultrararo com apenas 90 cópias em vinil transparente dourado… o que levou à uma brincadeira no site do grupo, que declarou que, depois de todos esses anos, eles finalmente tinham conseguido o seu primeiro “disco de ouro”…

Vocês ouviram “One so wise”, “Beginnings”, “Says we’ll remember” e “Vault” com o Spock’s Beard.

O Art Rock fica por aqui… o programa teve a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você poderá fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… tenham uma boa noite e até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

SPOCK’S BEARD

BG – BOX OF SPIDERS

1. TO BREATHE ANOTHER DAY – 5:38

2. SOMEBODY’S HOME – 6:32

3. HAVE WE ALL GONE CRAZY YET – 8:07

4. SO THIS IS LIFE – 5:35

BG – WHAT BECOMES OF ME

TOTAL: 25:53

SPOCK’S BEARD

BG – ARMAGEDDO NERVOUS

1. ONE SO WISE – 6:58

2. BEGINNINGS – 7:25

3. DAYS WE’LL REMEMBER – 4:14

4. VAULT – 4:39

BG – BULLETPROOF

TOTAL: 23:17

TOTAL GERAL – 49:10

Ouça o Art Rock com Spock’s Beard que foi ao ar no dia 09/06/2018, clicando aqui.

REPRISE: Robert Plant

Posted in Programas with tags on 07/06/2018 by Artrock

Olá ouvintes do Art Rock! O programa de 02-06-2018, foi um reprise com o Robert PlantConfiram este programa clicando aqui!

Vocês também podem acessar o link do programa diretamente aqui.

 

Thjis van Leer & Focus

Posted in Programas with tags , on 01/06/2018 by Artrock

“Boa noite, hoje no programa vamos conferir um pouco da carreira solo de uma das figuras centrais do progressivo holandês, o genial Thjis van Leer do Focus.


Claro que já trouxemos o Focus várias vezes no programa, mas o seu vocalista, tecladista e flautista teve uma prolífica carreira solo, que começou quando ainda estava no grupo, com o álbum “Introspection” de 72, e seguiria frente durante os anos de separação e mesmo depois dos retornos com o Focus, primeiro nos anos 80 e depois em 2002.

Na verdade Thjis van Leer havia começado como um artista solo ainda nos anos 60, chegando a lançar singles e a trabalhar com o cantor e ator Ramses Shaffy antes de formar o Trio Thijs van Leer, que evoluiria para se transformar no Focus com a entrada do guitarrista Jan Akkerman, em 69…

Desde o começo, a formação clássica foi a grande influência na produção musical de Thjis van Leer e a série de álbuns sob o título “Introspection” dava vazão a esse lado da sua criatividade, mas ele também gravaria álbuns mais convencionais… e, para essa primeira parte do programa, selecionamos faixas do primeiro “Introspection” e também de “O My Love” de 75, que contou com os vocais de Rosalie van Leer.

Vocês ouviram Thjis van Leer com “Focus II”, “Introspection”, “Eddy”, “Blue Windmill” e “O My Love”.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E nós vamos continuar com outro momento da longa carreira de Thjis van Leer… agora com o um pouco do duplo “The Focus Family Album”, de 2017…

Depois do malogrado reencontro com Jan Akkerman em 85, que rendeu apenas um álbum, Thjis voltaria a se dedicar à sua carreiria solo, lançando vários trabalhos, inclusive mais um volume da série “Instrospection” em 92, além de colaborações com outros músicos e com orquestras sinfônicas… mas, é claro, o maior destaque ficou para o retorno em definitivo com o Focus a partir de 2002…

Desde então, foram mais cinco álbuns de estúdio, três ao vivo e uma box-set… e, além de Thjis van Leer, o grupo voltou a contar também com outro membro da formação clássica, o baterista Pierre van der Linden… completando o time estão o guitarrista Menno Gootjes e o baixista Udo Pannekeet.

Para essa segunda parte, nós selecionamos faixas do duplo “The Focus Family Album”, que reúne 15 faixas inéditas, incluindo raridades das sessions da gravação de “Focus X”, bem como composições solo de cada um dos atuais membros do grupo… já a capa ficou a cargo do mestre Roger Dean e, musicalmente, vocês vão poder conferir um pouco do resultado a partir de agora…

Vocês ouviram o Focus com “Song for Eva”, “Victoria”, “Two-part Intervention”, “Mosh Blues” e “The Fifth Man”.

O Art Rock fica por aqui… o programa teve a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você poderá fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… tenham uma boa noite e até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

THJIS VAN LEER

BG – STREET RONDO

1. FOCUS II – 4:26

2. INSTROPECTION – 5:38

3. EDDY – 5:07

4. BLUE WINDMILL – 4:24

5. O MY LOVE – 4:07

BG – FOCUS I

TOTAL: 23:42

FOCUS

BG – BIRDS COME FLY OVER

1. SONG FOR EVA – 9:31

2. VICTORIA – 3:53

3. TWO PART INTERVENTION – 1:21

4. MOSH BLUES – 6:24

5. THE FIFTH MAN – 4:41

BG – WINNIE

TOTAL: 25:50

TOTAL GERAL – 49:32

Ouça o Art Rock com Thjis van Leer & Focus que foi ao ar no dia 26/05/2018, clicando aqui.

Supertramp & Roger Hodgson

Posted in Programas with tags , on 22/05/2018 by Artrock

“Boa noite, no programa de hoje vamos começar com um dos grupos mais bem sucedidos da história do rock inglês dos anos 70 e 80… o Supertramp, que costumava se situar meio na fronteira entre o pop e o progressivo.

Já trouxemos outras vezes o Supertramp no programa… e, normalmente, nos focamos mais na sua fase mais famosa, trazendo momentos dos álbuns clássicos entre 73 e 78 e até um pouco do período de maior sucesso, na virada para a década de 80… mas, dessa vez, vamos nos concentrar em uma hora de mudanças, depois da saída de uma de suas forças criativas, o vocalista, tecladista e guitarrista Roger Hodgson, em 83.

A crise acabaria rendendo um esforço criativo por parte do outro tecladista e vocalista do grupo, Rick Davies, que sempre havia sido o líder do Supertramp e queria mostrar que eles poderiam seguir em frente sem a marca do inconfundível vocal de Roger Hodgson… e o resultado seria o álbum “Brother Where you Bound”, que contava com a participação especial de David Gilmour do Pink Floyd.

A ótima recepção parecia indicar que o grupo havia realmente encontrado o caminho para a continuidade, mas “Free as a Bird” de 87 seguiria uma direção diferente e acabaria sendo o último álbum dessa fase e eles levariam 10 anos para voltar a gravar… e para essa primeira parte nós selecionamos um pouco de “Brother Where you Bound”, o inspirado trabalho de transição do Supertramp…

Vocês ouviram o Supertramp com “Cannonball” e “Brother Where you Bound”…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos ouvir um momento da carreira solo de Roger Hodgson, que se manteve bem ativo depois que deixou o Supertramp, embora não tenha lançado muitos trabalhos…

Durante os seus últimos meses com o grupo, Roger Hodgson estava passando por uma ruptura pessoal… ele havia se mudado para os Estados Unidos, construindo um estúdio em sua casa na Califórnia e começando a gravar um álbum solo… era 1983 e ele ainda participou da gravação do álbum “…Famous Last Words” do Supertramp e também da tour mundial que se seguiu… mas sairia logo depois.

Com o nome “In the Eye of the Storm”, seu álbum solo acabaria saindo em 84 e foi um grande sucesso internacional, puxado pelos hits “Had a Dream” e “In Jeopardy”… mas ele quebraria os dois pulsos em uma queda logo antes do lançamento do seu disco seguinte, “Hai Hai” de 87… e passaria um logo tempo em recuperação…

Só em 97 ele lançaria “Rites of Passage”, que tinha como convidado o saxofonista John Helliwell, seu antigo colega do Supertramp… mas, apesar de se manter ativo e se apresentar com frequência, o seu último registro de estúdio seria o álbum “Open the Door” de 2000, contando com as participações de Trevor Rabin do Yes e também de Alan Simon… fiquem com um pouco desse belo trabalho de Roger Hodgson.

Vocês ouviram “Showdown”, “Death and a Zoo”, “Open the Door” e “For Every Mans”… com Roger Hodgson.

O Art Rock fica por aqui… o programa teve a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você poderá fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… tenham uma boa noite e até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

SUPERTRAMP

BG – STILL IN LOVE

1. CANNONBALL – 7:38

2. BROTHER WHERE YOU BOUND – 16:30

BG – NO INBETWEEN

TOTAL: 24:08

ROGER HODGSON

BG – THE MORE I LOOK

1. SHOWDOWN – 5:20

2. DEATH AND A ZOO – 7:32

3. OPEN THE DOOR – 8:55

4. FOR EVERY MAN – 4:44

BG – SAY GOODBYE

TOTAL: 26:30

TOTAL GERAL – 50:38

Ouça o Art Rock com Supertramp & Roger Hodgson que foi ao ar no dia 19/05/2018, clicando aqui.

20 Anos de Art Rock no É-Cultura

Posted in Programas on 17/05/2018 by Artrock

Confiram a matéria sobre os 20 Anos do programa Art Rock que foi ao ar no programa É-Cultura, da É-Paraná, no dia 01/05/2018:

Dialeto

Posted in Produto Nacional, Programas with tags on 17/05/2018 by Artrock

“Boa noite, hoje no programa vamos trazer um momento mágico do progressivo nacional… o encontro entre o grupo Dialeto e o genial violinista David Cross.

Formado em 87, o Dialeto desde o começo se centrava em torno do guitarrista Nelson Coelho… mas, como muitos grupos no difícil cenário do progressivo nacional, eles não sobreviveram às dificuldades dessa sua primeira fase e seria só no seu retorno em 2006 que eles conseguiriam se firmar, lançando em 2008 o seu primeiro álbum: “Willl Exist Forever”.

Em 2010 seria a vez de “Chromatic Freedom”… e, como o trabalho anterior, esse também foi muito bem recebido, inclusive no exterior, abrindo a possibilidade para o lançamento em 2013 do álbum “The Last Tribe” pela MoonJune Records, um selo americano especializado em música progressiva e responsável, entre outros, por grandes nomes das “famílias” do Gong, Soft Machine e King Crimson.

E o mais recente lançamento do Dialeto envolve justamente a colaboração do celebrado violinista David Cross, do King Crimson… um álbum ao vivo gravado no Sesc Belenzinho… e é um pouco desse genial “Live with David Cross”, um lançamento de 2018 que vocês já vão poder conferir a partir de agora…

Vocês ouviram o Dialeto & David Cross com “Roumanian folk dances 3: (Standing Still)”, “Mikrokosmos 113: Bulgarian Rhythm 1”, “The Young Bride: for children vol. 1” e “Exiles”…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E nós vamos continuar trazendo mais um pouco do álbum “Live with David Cross” com o Dialeto…

Desde 2015 o Dialeto estabilizou a sua formação com Nelson Coelho na guitarra, Gabriel Costa no baixo e Fred Barley na bateria… e foi esse trio que se reuniria em estúdio no final de 2016 para gravar o álbum “Bartók in Rock”, um trabalho explorando uma fusão progressiva do rock com a música do grande compositor húngaro Béla Bartók e que contava com a participação do violinista David Cross.

E o lançamento desse álbum acabou se transformando em um evento à parte… um concerto realizado na noite de 22 de julho de 2017 e tendo a participação de David Cross no violino, com direito a uma execução impecável de clássicos do King Crimson, além do material do próprio Dialeto.

Felizmente, o show foi gravado e ganhou um lançamento em CD para registrar esse encontro memorável… e é um pouco desse álbum imperdível que nós estamos trazendo para vocês no programa de hoje, por cortesia do próprio Nelson Coelho e também do nosso amigo Rubens Sílvio da RST Radio Rock…

Vocês ouviram “The Talking Drum”, “Larks’tongues in aspic, part two” e “Starless”… com o grupo paulista Dialeto e a participação especial de David Cross do grande King Crimson…

O Art Rock fica por aqui… o programa teve a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você poderá fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… tenham uma boa noite e até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

DIALETO

BG – MIKROKOSMOS 149

1. ROUMANIAN FOLK DANCES 3: (STANDING STILL) – 3:39

2. MIKROKOSMOS 113: BULGARIAN RHYTHM 1 – 4:44

3. THE YOUNG BRIDE: FOR CHILDREN VOL. 1 – 5:15

4. EXILES – 10:59

BG – ROUMANIAN FOLK DANCES 2

TOTAL: 24:39

DIALETO

BG – ROUMANIAN FOLK DANCES 4

1. THE TALKING DRUM – 6:39

2. LARKS’TONGUES IN ASPIC, PART TWO – 7:34

3. STARLESS – 11:19

BG –MIKROKOSMOS 149

TOTAL: 25:32

TOTAL GERAL – 50:35

Ouça o Art Rock com Dialeto que foi ao ar no dia 12/05/2018, clicando aqui.