Arquivo para Elo

Eletric Light Orchestra

Posted in Programas with tags , on 07/12/2015 by Artrock

Boa noite, no programa de hoje vamos trazer uma lenda do rock inglês que retornou com grande impacto em 2015… a Eletric Light Orchestra!

1

Embora estejam entre os mais bem sucedidos grupos da história, a E.L.O. sempre foi um caso a parte no mundo do rock… eles tinham um som elaborado demais para o pop, eram comerciais demais para o progressivo, melodiosos demais para o rock pesado e orquestrais demais para o punk rock… para não falar no seu visual e também nos seus shows…

Tudo começou quando o grande tecladista Roy Wood do The Move teve a ideia de uma banda de rock que usasse violinos, cellos e toda sorte de sopros e teclados, somando tudo isso à a base tradicional de bateria, baixo e guitarra… e quando Jeff Lynne entrou para o Move foi justamente para levar essa ideia adiante… e eles começaram a criar o novo grupo antes mesmo de deixar de lado o antigo.

2

A Eletric Light Orchestra surgiria em 1970… e, além de Wood e Lynne, contrava ainda com o baterista Bev Bevan… mas logo outros músicos viriam, enquanto Roy Wood deixava o grupo para fundar o Wizzard… os primeiros trabalhos chamaram a atenção, mas foi só com “Eldorado, a Symphony” que eles atingiram o sucesso internacional… vamos conferir um pouco dessa fase de explosão criativa.

Vocês ouviram o Supertramp com “Can’t get it out of my head”, “Boy blue”, “Fire on high”, “Evil Woman” e “Nightrider”… faixas dos álbuns “Eldorado” de 74 e “Face the Music” de 75.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer um pouco do álbum lançado em 2015 pela Eletric Light Orchestra… “Alone in the Universe”…

3

Entre 1974 e 81 o grupo lançaria uma verdadeira sucessão de trabalhos que os levaria ao megaestrelato… clássicos como “Face the Music”, “A New World Record, “Out of the Blue”, “Discovery”, “Time” e até mesmo “Xanadu”, que eles gravaram com Olivia Newton John, foram todos álbuns de grande sucesso… e nem mesmo os flertes com a disco music pareciam incomodar os fãs…

Mas a saída de Bev Bevan em 83, para integrar por um tempo o Black Sabbath, marcou o começo de um período de incertezas, e eles acabariam se separando em 86… Jeff Lyne gravou com George Harrison e também participaria com ele do supergrupo Travelling Wilburys… e Bevan até tentaria criar uma nova versão do grupo… ELO Part II… que chegaria a gravar álbuns nos anos 90.

Só em 2001 sairia o álbum “Zoom”, mas Jeff Lynne não levaria adiante a tour de retorno… a volta para valer só aconteceria em 2014 para uma apresentação celebrada no Hyde Park… da formação clássica só Lynne e o tecladista Richard Tandy, mas o sucesso foi tanto que em 2015 saía “Alone in the Universe”… que nós selecionamos para vocês nessa segunda parte do programa de hoje.

Vocês ouviram as faixas “When I was a boy”, “Love and rain”, “When the Night comes”, “Ain’t it a drag”, “One step at a time”, “Alone in the Universe”, “Blue” e “On my mind”, com a Eletric Light Orchestra…

O Art Rock fica por aqui… o programa tem a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… nós agradecemos o nosso amigo Almir Octávio, que nos cedeu o material para a segunda parte do programa de hoje… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin Volpão… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… até a semana que vem.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

ELETRIC LIGHT ORCHESTRA

BG – MISTER KINGDOM

1. CAN’T GET IT OUT OF MY HEAD – 4:22

2. BOY BLUE – 5:19

3. FIRE ON HIGH – 5:32

4. EVIL WOMAN – 4:30

5. NIGHTRIDER – 4:26

BG – STRANGE MAGIC

TOTAL – 24:08

ELETRIC LIGHT ORCHESTRA

BG – ALL MY LIFE

6. WHEN I WAS A BOY – 3:12

7. LOVE AND RAIN – T – 4:31

8. WHEN THE NIGHT COMES – 3:22

9. AIN’T IT A DRAG – 2:34

10. ONE STEP AT A TIME – 3:22

11. ALONE IN THE UNIVERSE – 3:54

12. BLUE – 2:36

13. ON MY MIND – 3:10

BG – DIRTY TO THE BONE

TOTAL: 25:40

TOTAL GERAL – 49:48

Ouça o Art Rock com Eletric Light Orchestra que foi ao ar no dia 28/11/2015, clicando aqui.

Anúncios

ELO & Peter Frampton

Posted in Programas with tags , on 18/10/2010 by Artrock

“Boa noite, vamos começar o programa de hoje prestando uma homenagem ao violoncelista Mike Edwards, da Eletric Light Orchestra, que deixou o nosso plano da realidade no dia 3 de setembro… e de uma forma completamente inusitada.

Ele foi membro da formação clássica do grupo, tendo entrado para substituir Hugh McDowell… que saíra junto com Roy Wood para formar o Wizard… e, nos anos seguintes, Mike se tornaria uma das figuras mais emblemáticas da fase áurea da ELO, graças ao seu estilo bombástico no cello, que combinava perfeitamente com a concepção de Jeff Lynne e se tornava ainda mais importante nas apresentações ao vivo, em que ele chegava a ser foco das famosas pirotecnias sempre presentes nos shows.

Nos solos, ele chegava a usar uma laranja para tocar o seu cello… que, ainda por cima, explodia no clímax do show… mas sua contribuição foi muito além disso, ajudando a compor a tapeçaria sonora da Eletric Light Orchestra, onde os arranjos complexos e grandiosos ajudavam a atravessar as barreiras entre a música pop e a erudita, conferindo ao grupo uma posição singular no mundo do rock… que ele ocuparia até sua bem sucedida, mas desastrosa, participação no musical Xanadu de Olívia Newton John… em 1980.

Mas Mike Edwards já havia deixado o grupo nessa época… ele saiu em 75, continuando seu trabalho como instrumentista, além de suas outras atividades como devoto do guru Rajneesh, usando nome Swami Deva Pramada… ele estava em sua camionete, nos arredores de sua casa, em Devon, quando um fardo de feno rolou colina abaixo e o esmagou… parece incrível, mas foi isso mesmo… só nos resta lembrar a sua figura endiabrada, que escolheu uma forma bizarra para deixar a nossa insípida realidade.

Vocês ouviram com o Eletric Light Orchestra as faixas “From the Sun to the World”, “Ocean Breakup/King of the Universe”, “New World Rising/Ocean Breakup”, “Showdown” e “Boy Blue”…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos ouvir um dos grandes guitarristas do final dos anos 60, que se tornou um dos fenômenos da música pop dos 70 e está voltando a surpreender depois de um longo tempo no ostracismo… o velho menino loiro do rock… Peter Frampton.

Ele já chamava a atenção como uma das promessas da guitarra em 66, quando  ainda tinha 16 anos e era guitarrista do grupo The Herd… e esta foi uma promessa que pareceu realizar-se quando ele fundou em 68 o grande Humble Pie junto de Steve Marriot dos lendários Small Faces… e nos anos seguintes eles lançariam álbuns clássicos como “As safe as yesterday is”, “Humble Pie” e “Town and Country”…

Mas a imagem radiante do jovem Frampton, com seus cachinhos dourados, acabou vencendo… ele deixou o grupo para se tornar um astro da música pop… e lançaria em 76 o álbum “Frampton comes alive!” que se tornaria o disco ao vivo mais vendido da história, uma posição que manteria por décadas… enquanto a imagem de Peter como grande guitarrista se perdia, afogada pelo seu estrondoso sucesso.

Mas toda a glória é efêmera… e o sucesso foi sucedido pelo esquecimento, e muitos já o contavam como um nome perdido do rock dos anos 60/70… até ele lançar em 2006 o álbum “Fingerprints”… considerado um dos discos do ano e ganhador do Grammy de Melhor Álbum Instrumental… e é esse trabalho excepcional que nós selecionamos para o Art Rock de hoje… o seu lançamento mais recente, o excelente álbum, “Thank you Mr. Churchill”… fica para outro programa.

Você ouviram Peter Frampton com “Boot it up”, “Black Hole Sun”, “Float”, “Cornerstones”, “Double Nickles” e “Souvenirs de nos pere”… faixas do genial “Fingerprints”, ganhador do Grammy de Melhor Álbum Instrumental de 2006.

Art Rock fica por aqui, obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado…

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

ELO

BG – 10538 0VERTURE

1. FROM THE SUN TO THE WORLD – 7:16

2. OCEAN BREAKUP – KING OF THE UNIVERSE – 4:07

3. NEW WORLD RISING – OCEAN BREAKUP – 4:07

4. SHOWDOWN – 4:12

5. BOY BLUE – 5:19

BG – LAREDO TORNADO

TOTAL – 25:01

FRAMPTON

BG – BLOWING SMOKE

1. BOOT IT UP – 3:27

2. BLACK HOLE SUN – 5:26

3. FLOAT – 4:04

4. CORNERSTONES – 3:13

5. DOUBLE NICKLES – 3:49

6. SOUVENIRS DE NOS PERES – 4:57

BG – IDA Y VUELTA

TOTAL – 24:56

Total geral: 49:57

Ouça o Art Rock com o ELO & Peter Frampton que foi ao ar no dia 12/09/2010, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Blodwyn Pig & Elo

Posted in Programas with tags , on 25/11/2009 by Artrock

“Boa noite, começamos o programa de hoje com o Blodwyn Pig, que voltou à atividade nos anos 90 e continua firme no circuito do prog. underground, lançando álbuns e se apresentando por todo o Reino Unido.

Fundado pelo grande guitarrista Mick Abrahams logo depois de deixar o Jethro Tull, ainda nos anos 60, o Blodwyn Pig foi um daqueles grupos que nunca alcançou a primeira linha do progressivo, mas que sempre foi cultuado como uma daquelas grandes promessas perdidas do rock inglês.

Trazendo um blues progressivo na mesma linha do primeiro álbum do Jethro, o Blodwyn Pig chegou a chamar muita atenção com seus dois primeiros álbuns, mas Mick Abrahams acabou brigando com os demais integrantes do grupo e saiu para uma curta carreira solo, voltando em 74 e saindo mais uma vez para o que parecia ser uma aposentadoria prematura.

Felizmente tudo isso mudou em 88 quando ele se reuniu com os velhos amigos para um show e começou lentamente a se deixar convencer a voltar para o mundo da música… o que acabou dando início ao seu período de maior atividade.
Ele embarcou em uma nova carreira solo e também ressuscitou o Blodwyn Pig, lançando inúmeros trabalhos durante os anos 90 e agora no novo milênio… mas nós selecionamos material dos seus álbuns, “Ahead Rings Out” de 69 e “Getting to This” de 70…

Vocês ouviram “Ain’t Ya Comin’Home Babe?”, “The Modern Alchemist”, “The Squirreling Must Go On”, “San Francisco Sketches” e “Summer Day” com o Blodwyn Pig de Mick Abrahams.

A gente volta já.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer um pouco do Eletric Light Orchestra, grupo do grande Jeff Lynne, que foi um dos poucos continuadores da rica tapeçaria sonora introduzida pelos Beatles nos anos 60.

Formado em 1970, o ELO surgiu como uma continuação do lendário grupo The Move, contando no começo com os guitarristas Roy Wood e Jeff Lynne, o baixista Rick Price e o baterista Bev Bevan… assim como Bill Hunt nos metais e Steve Woolam no violino.

Mas essa formação só durou durante as gravações do primeiro álbum, pois eles ainda tinham contratos a cumprir como The Move e, durante a tour de despedida do grupo, o temperamental Roy Wood saiu para formar o Wizard, causando uma quase dissolução do ELO.

Da formação original só Lynne e Bevan continuaram, mas o grupo continuou em frente e acabou se tornando um dos mais bem sucedidos dos anos 70, com sua mescla única de arranjos grandiosos, covers inspiradas e complexos trabalhos de estúdio e de palco… cruzando as fronteiras entre a pop music e vertentes mais elaboradas do rock.

Infelizmente a ascensão da discoteca marcou o início da decadência da Eletric Light Orchestra, pois Jeff Lynne se deixou convencer a participar do musical Xanadu de Olívia Newton John e, depois disso, embora o sucesso continuasse, ninguém mais levou o grupo a sério… fiquem com faixas dos álbuns “No Answer”, “On the Third Day” e “Face the Music”…

Vocês ouviram com o Eletric Light Orchestra as faixas “Look At Me Now”, “Manhathan Rumble”, “Daybreak”, “Ma-Ma-Ma-Belle”, “Dreaming Of 4000” e “Fire On High”.

Art Rock fica por aqui, obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1…
Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

BLODWYN PIG

1. AIN’T YA COMING… – 5:35

2. THE MODERN ALCHEMIST – 5:40

3. THE SQUIRRELING… – 4:25

4. SAN FRANCISCO SKETCHES – 8:12

5. SUMMER DAY – 3:48

TOTAL – 27:40

ELO

1. LOOK AT ME NOW – 3:17

2. MANHATHAN RUMBLE – 4:23

3. DAYBREAK – 3:50

4. MA-MA-MA-BELLE – 3:52

5. DREAMING OF 4000 – 5:02

6. FIRE ON HIGH – 5:30

TOTAL – 25:54

GRAND TOTAL – 53:34

Ouça o Art Rock com Blodwyn Pig & Elo , que foi ao ar no dia 18/10/2009, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *