Arquivo para Jethro Tull

Electric Prunes & Jethro Tull

Posted in Programas with tags , on 30/12/2015 by Artrock

Boa noite, hoje teremos o nosso programa especial de Natal, e vamos começar com um dos mais radicais grupos da psicodelia americana… os Eletric Prunes…

The_Electric_Prunes_-_Mass_In_F_Minor

Formado em 65, em Los Angeles… o grupo era centrado em torno do guitarrista Ken Williams e do vocalista James Lowe… eles ainda se chamavam The Sanctions… mas mudariam de nome… e seria como Eletric Prunes que eles lançariam seu primeiro álbum em 67.

Nessa época, eles já tinham uma reputação pela qualidade do seu som, que incorporava efeitos de pedal wah-wah e outras distorções bem ao gosto da era psicodélica… mas seria só com o lançamento do álbum “Mass in F Minor” que eles entrariam para a história… era simplesmente um disco conceitual, composto sob o formato do canto gregoriano… uma missa, cantada toda em latim.

Os Eletric Prunes se separaram nos anos 70 e voltaram a se reunir no final dos anos 90, lançando novos trabalhos, o último dos quais foi “WaS”, de 2014… mas essas novas investidas ficam para outro Art Rock… para abrir esse programa natalino, nada como uma missa, e por isso selecionamos um pouco do álbum “Mass in F Minor” de 68.

Com os Electric Prunes, vocês ouviram “Kyrie Eleison”, “Gloria”, “Credo”, “Sanctus” e “Agnus Dei”…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos continuar no clima do fim de ano, trazendo o “Christmas Album”, o álbum natalino do grande Jethro Tull…

The-Jethro-Tull-Christmas-Album

Lançado em 2003, esse trabalho acabou sendo o último registro de estúdio oficial do grupo, que passaria os anos seguintes realizando apenas apresentações ao vivo e lançando trabalhos solo de Ian Anderson e Martin Barre… e chegando mesmo a anunciar que novos lançamentos não seriam mais sob o nome Jethro Tull…

Essa decisão parece ter sido deixada um pouco de lado, pelo menos é a impressão que ficou da tour de 2015… “Jethro Tull: the Rock Opera”… mas o retorno ou não do grupo com novos trabalhos de estúdio fica para outro programa, pois hoje estamos interessados em seu álbum especial para as festas de fim de ano…

O “Christmas Album” reuniu novas versões para faixas clássicas do Jethro com músicas tradicionais de natal e composições feitas especialmente para a ocasião… e além de Ian Anderson, outros membros de longa data do Jethro, como o guitarrista Martin Barre, o baterista Doane Perry e o baixista Dave Pegg também marcaram presença… vamos conferir um pouco desse álbum festivo, para alegrar um pouco essa Saturnália.

Vocês ouviram o Jethro Tull com “A Christmas song”, “Jack Frost and Hooded Crow”, “Last man at the party”, “Weater cock”, “Greensleeved”, “Fire at midnight”, “Bouree” e “A winter snowscape”.

O Art Rock fica por aqui… o programa tem a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin Volpão… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… tenham um bom fim de ano e até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

ELECTRIC PRUNES

BG – BENEDICTUS

1. KYRIE ELEISON – 3:21

2. GLORIA – 5:45

3. CREDO – 5:02

4. SANCTUS – 2:57

5. AGNUS DEI – 4:30

BG – FLOWING SMOOTHLY

TOTAL – 26:45

JETHRO TULL

BG – BIRTHDAY CARD AT CHRISTMAS

5. A CHRISTMAS SONG – 2:47

6. JACK FROST AND THE HOODED CROW – 3:36

7. LAST MAN AT THE PARTY – 4:47

8. WEATHER COCK – 4:17

9. GREENSLEEVED – 2:39

10. FIRE AT MIDNIGHT – 2:24

11. BOUREE – 4:23

12. A WINTER SNOWSCAPE – 4:55

BG – PAVANE

TOTAL: 29:49

TOTAL GERAL – 50:29

Ouça o Art Rock com Electric Prunes & Jethro Tull que foi ao ar no dia 26/12/2015, clicando aqui.

Jethro Tull

Posted in Programas with tags on 21/10/2015 by Artrock

Boa noite, hoje vamos trazer no programa o grande Jethro Tull, uma das unanimidades do rock britânico que iniciou em 2015 uma tour mundial… e voltou a se apresentar no Brasil e até em Curitiba…

jethro - Thick As A Brick

O Jethro é presença frequente aqui no nosso programa e dispensa quaisquer apresentações, pois é um dos nomes mais conhecidos da história do rock… e por um tempo os fãs chegaram a se preocupar, pois já fazia um bom tempo que o grupo andava silencioso, enquanto Ian Anderson se concentrava na carreira solo…

Felizmente a mística do velho Jethro acabou sendo mais forte e Ian Anderson voltou a reunir o grupo para apresentar a “Jethro Tull Rock Opera”… uma viagem musical, onde o tema é uma re-imaginação da vida do verdadeiro Jethro Tull, um agricultor e inventor inglês do século XVIII responsável, entre outras coisas, pela primeira semeadora mecânica.

Ambientada em um futuro próximo, a história é contada através de uma combinação de faixas clássicas do grupo e até participações especiais em vídeo… mas, para abrir o programa de hoje nós selecionamos algo mais clássico… o álbum “Thick as a Brick”, um dos mais brilhantes trabalhos conceituais do Jethro, lançado em 72 e trazendo a poesia épica do fictício menino de 8 anos de idade Gerald “Lilttle Milton” Bostok…

Vocês ouviram o Jethro Tull com a primeira parte da genial “Thick as a Brick”… um clássico do repertório do grupo.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E nós voltamos com mais um pouco do Jethro Tull, que teve muitas formações em sua longa carreira… mas sempre manteve a face do genial Ian Anderson…

jethro - a passion play

Quatro décadas antes da “Jethro Tull Rock Opera” eles estavam passando por uma fase de álbuns conceituais… e, depois da viagem poética de “Thick as a Brick”, o grupo seguiu em frente, e Ian Anderson podia contar com Martin Barre na guitarra, Jon Evan nos teclados, Jeffery Hammond-Hammond no baixo e Barriemore Barlow na bateria.

O álbum seguinte, “A Passion Play” de 73 era outro trabalho conceitual como “Thick as a Brick”, com uma longa faixa, dividida em duas partes… uma para cada lado do velho vinil… o nome era inspirado em Shakespeare e a complexa história era contada através da tragicômica jornada post mortem do personagem Ronnie Pilgren, indo do céu ao inferno para descobrir que não se dava bem em nenhum dos dois…

E apesar de ter sido bem recebido na época, o álbum chegou a ser criticado… o que não o impediu de atingir o 1º. lugar na parada da Billboard… pois é, nos anos 70 , o progressivo ainda tinha permissão de fazer sucesso… vamos conferir um pouco desse belo trabalho do grande Jethro Tull…

E vocês ouviram a primeira parte de “A Passion Play”… com o grande Jethro Tull.

O Art Rock fica por aqui… o programa tem a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin Volpão… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado…

jethto - Extended Versions

Fiquem agora com um pouco mais do Jethro Tull, uma versão ao vivo para a clássica faixa “Locomotive Breath”, extraída de “Extended Versions”, uma coletânea de versões ao vivo gravadas com uma formação mais recente do grupo… e até a semana que vem.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

JETHRO TULL

BG – THICK AS A BRICK (PART 2)

1. THICK AS A BRICK (PART 1) – 22:37

BG – THICK AS A BRICK (PART 2)

TOTAL – 25:16

JETHRO TULL

BG – A PASSION PLAY, PT. 2

1. A PASSION PLAY, PT. 1 – 21:35

BG – A PASSION PLAY, PT. 2

TOTAL: 44:12

2. LOCOMOTIVE BREATH – 5:30

TOTAL GERAL – 49:42

Ouça o Art Rock com Jethro Tull que foi ao ar no dia 15/10/2015, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Jethro Tull

Posted in Programas with tags on 08/10/2014 by Artrock

“Boa noite, no programa de hoje vamos trazer uma das lendas do rock britânico, e um grupo que está entre as unanimidades do rock, o genial Jethro Tull.

war-child

Já trouxemos o Jethro muitas vezes no programa… e além disso ele está entre os grupos mais conhecidos entre os prog e folk rockers… por isso, para o programa de hoje nós resolvemos nos concentrar em dois trabalhos marcantes, representando momentos distintos da sua longa carreira, que entrou em recesso e parece ter chegado ao fim em meio aos novos trabalhos solo de seu líder, o flautista e vocalista Ian Anderson.

Nessa primeira parte vamos ouvir “War Child” de 74, um dos álbuns mais marcantes da fase em que o grupo explorava os caminhos progressivos… a ideia original era um álbum duplo que acompanharia um filme realizado com a ajuda de John Cleese do Monty Python… um projeto ambicioso que acabou sendo deixado de lado pela falta de interesse dos estúdios…

O álbum acabou sendo lançado assim mesmo, ainda que com um só LP, mas acabou surpreendendo o grupo ao chegar ao topo das paradas nos Estados Unidos… mesmo sendo um trabalho complexo, com a poética típica de Ian Anderson, cantada sobre o pano de fundo dos arranjos orquestrais do maestro David Palmer…

Vocês ouviram o Jethro Tull com “War child”, “Skating away in the thin ice of a new day”, “Bungle in the jungle”, “Only solitaire”, “Two fingers” e “Saturation”.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora nós vamos saltar para a década de 80, e reencontrar o Jethro Tull, com uma formação bem diferente, mas ainda pleno do seu estilo inconfundível…

TheBroadswordAndTheBeast

Depois do álbum “A” de 1980, o Tull parecia estar entre os muitos grandes grupos que iria tentar trilhar novos caminhos musicais, “modernizando” o seu som e investindo mais nos teclados eletrônicos e nas faixas curtas… sem buscar mais a rica estrutura melódica e as influências folk e progressivas da sua fase clássica.

Mas o grupo estava na verdade em uma fase de transição, tentando se encontrar em meio a mudanças de formação e à alteração do mercado, que havia ficado menos interessado no rock e preferia investir cada vez mais na pop music… e o resultado para o Jethro seria a crise de identidade, mas ainda assim com momentos interessantes.

O álbum “The Broadsword and the Beast” tentava uma reconciliação entre as novas ambições musicais do grupo e as influências folk, que já eram claras na própria capa do ilustrador Iain McCaig, e as runas saxônicas com os versos da faixa “Broadsword”… logo o Jethro reencontraria sua identidade e não a perderia mais… vamos fechar o programa de hoje com um pouco desse trabalho de 82…

Com o Jethro Tull vocês ouviram “Beastie”, “Clasp”, “Slow marching band”, “Broadsword”, “Pussy willow”, “Flying Colours” e “Cheerio”.

O Art Rock fica por aqui… o programa tem a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin Volpão… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

JETHRO TULL

BG – RAINBOW BLUES

1. WAR CHILD – 4:35

2.SKATING AWAY IN THE THIN ICE OF A NEW DAY – 4:10 (- 42s.)

3. BUNGLE IN THE JUNGLE – 3:35

4. ONLY SOLITAIRE – 1:37

5. TWO FINGERS – 5:18

6. SATURATION – 4:20

BG – SEALION 2

TOTAL – 23:35 – 0.42 = 22:53

JETHRO TULL

BG – WATCHING ME WATCHING YOU

7. BEASTIE – 3:58

8. CLASP – 4:16

9. SLOW MARCHING BAND – 3:37

10. BROADSWORD – 5:02

11. PUSSY WILLOW – 3:53

12. FLYING COLOURS – 4:37

13. CHEERIO – 1:14

BG – FALLEN ON HARD TIMES

TOTAL: 25:55

TOTAL GERAL – 48:48

Ouça o Art Rock com a Jethro Tull que foi ao ar no dia 04/10/2014, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

 

 

Jethro Tull & Circulus

Posted in Programas with tags , on 25/03/2011 by Artrock

“Boa noite, no programa de hoje vamos trazer um pouco do folk rock britânico… começando com um grupo que é uma das unanimidades do rock, o grande Jethro Tull.

Naturalmente, o Jethro dispensa maiores apresentações, pois foi e continua sendo um dos grupos mais respeitados tanto no mundo do prog quanto do folk rock… e eles estão em plena tour comemorativa dos 40 anos do clássico álbum “Aqualung”… uma tour  imperdível para os fãs desse grupo que sempre  já experimentou com vários estilos, sempre oferecendo trabalhos geniais.

No começo o guitarrista Mick Abrahams tentou levar o Jethro na direção dos blues amplificados, no estilo de um Savoy Brown, mas a sua saída abriu o caminho para a liderança de Ian Anderson, e o flautista e vocalista tinha outros planos… sob a sua batuta o grupo se voltaria para o folk rock e para o progressivo, cruzando as duas linguagens de uma forma única e inconfundível.

O Tull tem uma vasta discografia e muitos dos seus álbuns podem ser considerados essenciais… mas, para o programa de hoje, nós selecionamos material extraído do estupendo disco ao vivo lançado em 1992… o genial “A little Light Music”, em que o grupo apresentava o seu lado mais folk, graças à presença do baixista Dave Pegg e do baterista David Mattacks, ambos pertencentes ao decano do folk rock inglês… o grande Fairport Convention…

Vocês ouviram o Jethro Tull com “Living in the past”, “Rocks on the road”, “John Barleycorn” (que é uma canção folk tradicional) e, por último, “Locomotive Breath”…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora, para mostrar que o folk rock está bem vivo na velha Inglaterra, vamos trazer um dos melhores exemplos da nova geração folk… o genial Circulus.

Formado nos anos 90, o Circulus foi uma criação do multi-instrumentista Michael Thyak… e, desde o início, foi um grupo voltado para o resgate do lado mais psicodélico dos grupos de folk rock dos anos 60, com influências que vão desde o grande Incredible String Band até outras muito mais obscuras, como o seminal Jade, de Dave Waite & Marianne Segal, que lançou em 70 seu único álbum, a obra prima “Fly On Strangewings”.

A partir dessas inspirações, Michael Thyak criou um grupo de formações variadas… e eles lançariam em 1999 o seu primeiro registro, o EP “Giantism”… mas seria só em 2005 que eles chamariam a atenção com o álbum de estreia “A Lick on the tip of na envelope yet to be sent”, onde misturavam instrumentos tradicionais com guitarras e teclados contemporâneos, em meio a arranjos complexos e contracantos…

Tudo isso é acompanhado nos shows por um visual saído da Renascença ou do Barroco… mas combinado a uma rica tapeçaria psicodélica… infelizmente, os vocais e o harmonium de Lo Polidoro não seriam ouvidos no álbum de 2009, “Thoughts become reality”, pois ela seguiria em carreira solo, mas o Circulus continuou firme… e nós selecionamos um pouco do seu primeiro trabalho e também de “Clocks are like people”, de 2006…

Vocês ouviram o Circulus com “Miri it is”, “My body is made of sunlight”, “Power to the pixies”, “Wherever she goes”, “Willow tree” e “To the fields”.

O Art Rock fica por aqui… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Rádio Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com… que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado…
Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

JETHRO TULL

BG – BOURÉE

1. LIVING IN THE PAST – 5:07

2. ROCKS ON THE ROAD – 7:04

3. JOHN BARLEYCORN – 6:34

4. LOCOMOTIVE BREATH – 5:51

BG – LOOK INTO THE SUN

TOTAL: 24:36

CIRCULUS

BG – THE SCARECROW

5. MIRI IT IS – 2:37

6. MY BODY IS MADE OF SUNLIGHT – 3:55

7. POWER TO THE PIXIES – 6:14

8. WILLOW TREE – 4:56

9. WHEREVER SHE GOES – 4:18

10. TO THE FIELDS – 3:22

BG – ORPHEUS

TOTAL – 25:22

Total geral: 49:58

Ouça o Art Rock com o Jethro Tull & Circulus que foi ao ar no dia 12/02/2011, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Jethro Tull & Strawbs

Posted in Programas with tags , on 01/09/2009 by Artrock

“Boa noite, no programa de hoje vamos começar trazendo um pouco de um grupo que é uma das unanimidades do rock, o grande Jethro Tull.

heavyhorses

Naturalmente, o Jethro dispensa maiores apresentações, pois foi e continua sendo um dos grupos mais respeitados tanto no mundo do prog. quanto do folk rock… e, para o programa de hoje, nós selecionamos material de três álbuns que marcam uma fase de mudanças que se iniciou no final dos anos 70 e que resultou em trabalhos onde se destacavam claramente as várias sonoridades e interesses de Ian Anderson.

stormwatch

Em “Heavy Horses”, disco lançado em 78, o líder do Jethro ainda estava mergulhado na experiência folk… e este trabalho é considerado por muitos o último da fase áurea do grupo… o próximo registro de estúdio, “Stormwatch” de 79, já anunciava uma transição, e seria também o último com o baterista Barrymore Barlow, com o tecladista John Evans, com o maestro e arranjador David Palmer e, é claro, com o baixista John Glascock, que havia deixado nossa realidade naquele ano.

A

E em 1980 um novo Jethro Tull apareceria com o álbum “A”, com Dave Pegg do Fairport Convention assumindo o baixo e Eddie Jobson do Roxy Music,UK & Curved Air ficando no violino e teclados… mas a imagem e o som modernizados do grupo acabaria causando mais estranhamento do que um renovado interesse, e novas mudanças viriam depois… mas, por hoje, vamos ouvir faixas desses três discos que mostram o Jethro explorando as possibilidades da sua música.

Vocês ouviram o Jethro Tull com “Heavy Horses”, “Dark Ages” e “Black Sunday”…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos ouvir um dos mais importantes representantes do folk-rock inglês… o grupo The Strawbs… que começou como um trio de bluegrass e se chamava originalmente Strawberry Hill Boys.

Em 68 o trio formado pelos guitarristas Dave Cousins e Tony Hooper e pelo manolinista Arthur Phillips experimentou com a entrada de uma vocalista… ninguém menos do que a grande Sandy Denny, que sairia logo depois para o Fairport Convention… e, em 69, sairia o álbum “Strawbs”, seguido em 1970 por “Dragonfly”, em que eles já contavam com os teclados de um novato que iria longe… um certo Rick Wakeman.

burstingattheseems

Para o álbum seguinte, “Just a Collection of Antiques & Curios”, entraria o baterista Richard Hudson e o baixista John Ford… e, a essa altura, eles já haviam se tornado um grupo importante no cenário folk e progressivo… uma posição que não foi afetada com a saída de Rick Wakeman, depois do álbum “From the Witchwood”, de 71… ele seria substituído por Blue Weaver, do Amen Corner e os Strawbs continuariam em ascensão.

ghosts

Ao final dos anos 80, os Strawbs cairiam no esquecimento, mas ressurgiriam nesse novo milênio… e, atualmente, estão se apresentando com freqüência, lançando novos álbuns de estúdio e trazendo de volta velhos amigos como Rick Wakeman, embora ele seja às vezes substituído por seu filho Oliver… que está participando da atual tour de 40 anos do grupo… mas essas novas viagens ficam para outro Art Rock… para hoje nós selecionamos faixas de “Bursting at the Seams” de 73 e “Ghosts” de 74.

Vocês ouviram os Strawbs com “The River”, “Down by the Sea”, “The Winter and the Summer”, “Starshine & Angel Wine” e “The Live Auction”.

Art Rock fica por aqui, obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1.

Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com, que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você vai poder fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

JETHRO TULL

1. HEAVY HORSES – 8:57

2. DARK AGES – 9:07

3. BLACK SUNDAY – 6:33

TOTAL: 24:37

STRAWBS

4. THE RIVER – 2:28

5. DOWN BY THE SEA – 6:15

6. THE WINTER AND THE SUMMER – 4:08

7. STARSHINE & ANGEL WINE – 5:15

8. THE LIFE AUCTION – 6:52

TOTAL – 24:58

Total geral: 49:35

Ouça o Art Rock com Jethro Tull & Strawbs, que foi ao ar no dia 30/08/2009, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *