Arquivo para Klaus Schulze

Klaus Schulze

Posted in Programas with tags on 13/03/2020 by Art Rock

“Boa noite… no programa de hoje vamos trazer um dos mestres da música eletrônica, membro fundador do Tangerine Dream e dono de uma carreira solo prolífica!

Estamos nos referindo ao genial Klaus Schulze, que já trouxemos muitas vezes aqui no programa… e hoje vamos começar com um pouco da sua fase dos anos 80, quando ele deixou de lado os sintetizadores analógicos e começou a experimentar com instrumentos digitais.

O primeiro trabalho dessa fase foi “Dig it”, de 1980, mas a mudança só pode ser sentida mesmo a partir do álbum “Trancefer” de 81… na época, muitos chegaram a considerar que Klaus Schulze estava seguindo a tendência de muitos outros músicos progressivos e começava a procurar uma sonoridade mais acessível.

Mas a carreira de Klaus Schulze ainda teria muitas fases… e nessa primeira parte vamos trazer faixas de dois álbuns… primeiro vocês ficam com “Audentity” de 83… e depois de um trabalho ao vivo que trouxemos há muito, muito tempo no programa, na verdade, foi literalmente no século passado… o álbum “Dziękuję Poland” também de 83, que registrou uma tour polonesa em plena época da Guerra Fria…

Vocês ouviram “Amourage” e “Gdansk” com Klaus Schulze.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer um registro de outra fase da longa carreira de Klaus Schulze… o álbum “Kontinuum”, de 2007.

Como é comum com os trabalhos de Klaus Schulze, “Kontinuum” recebeu tanto críticas quanto elogios… pois é um álbum que resume bem a atitude do velho mestre da música eletrônica ao chegar no novo milênio… pois sua longevidade e seu prestígio lhe permitem se manter distante das demandas mercadológicas…

Contendo apenas três faixas, “Kontinuum” seria o último álbum de Klaus Schulze antes dele iniciar a sua parceria com Lisa Gerard do grande Dead Can Dance… seriam trabalhos de estúdio e ao vivo, lançados entre 2008 e 2013… essa colaboração seria seguida por novos registros de estúdio, a começar por “Eternal” de 2017…

Mas esses trabalhos mais recentes ficam para outro Art Rock… para fechar o programa de hoje, nós selecionamos faixas, ou melhor, uma faixa, do álbum “Kontinuum” com a clássica sonoridade da música eletrônica de Klaus Schulze, sempre se estendendo por longas suítes, dominadas por paisagens sonoras hipnóticas…

Vocês ouviram Klaus Schulze com “Sequencer (From 70 To 07)”.

O Art Rock fica por aqui, o programa foi criado por Vidal Costa e Beto Bittencourt, a produção e a apresentação são de Vidal Costa e a edição de áudio de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na Paraná Educativa, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com, ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin, lá você poderá fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… e agora você também pode curtir novamente o programa acessando o site https://paranaeducativa.pr.gov.br – clique no link “podcast”, selecione “Art Rock” e escute diretamente no site ou faça download para ouvir quando quiser… tenham uma boa noite e até a semana que vem.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

KLAUS SCHULZE

BG – OPHEYLISSEN

1. AMOURAGE – 10:37

2. GDANSK – 15:27

BG – KATOVICE

TOTAL – 26:04

KLAUS SCHULZE

BG – THOR

3. SEQUENCER (FROM 70 TO 07) – 24:53

BG – EURO CARAVAN

TOTAL: 24:52

TOTAL GERAL – 50:56

Ouça o Art Rock com o Klaus Schulze que foi ao ar no dia 07/03/2020, clicando aqui.

Lisa Gerrard & Klaus Schulze

Posted in Programas with tags , on 01/05/2013 by Artrock

“Boa noite, hoje vamos começar trazendo um pouco da carreira solo da vocalista de um dos grupos marcantes dos anos 90… Lisa Gerrard do Dead Can Dance.

The Mirror Pool

Dona de uma interpretação singular, Lisa Gerrard nasceu em Melborne na Austrália e havia participado do grupo Microfilm antes de formar em 81 o Dead Can Dance… que começou como grupo, mas acabaria como uma dupla junto do vocalista e guitarrista Brendan Perry, tendo outros músicos como integrantes temporários para gravações e apresentações…

Classificado no espectro das bandas dark wave, o Dead Can Dance teria grande impacto nos anos 90, mas eles se separariam em 98 depois do álbum “Sprintchaser”… e Lisa Gerard seguira sua carreira solo, que já havia começado em 95 com o excelente “The Mirror Pool”… ela também se envolveria com o cinema e em várias colaborações com outros músicos, lançando apenas dois outros álbuns solo desde então…

the black opal
Em 2005 o Dead Can Dance voltaria para uma tour, mas seria só em 2011 que eles anunciariam um novo álbum e uma tour mundial que se estenderia por 2013… mas o álbum “In Concert” fica para outro Art Rock… por hoje vamos conferir um pouco do primeiro disco solo de Lisa Gerrard, e também de “The Black Opal” de 2009.

Vocês ouviram Lisa Gerrard com ‘Largo”, “Laurelei”, “Black Forest”, “The Serpent and the Dove” e “All along the watchtower”… uma cover do grande Bob Dylan.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer uma das colaborações mais celebradas de Lisa Gerrard… sua parceria improvável com o grande Klaus Schulze do Tangerine Dream.

Dziekuje_Bardzo

Lançado em 2008, o álbum duplo “Farscape” tinha o nome inspirado em uma série de ficção científica australiana da virada do século, e era uma combinação perfeita entre a sonoridade metafísica do velho Tangerine e o lado mais prog. do Dead Can Dance… e a colaboração rendeu uma tour concorrida pela Europa, além de outros trabalhos posteriores como “Rheingold”, ainda de 2008 e “Dziękuję Bardzo” de 2009.

A dupla Schulze e Gerrard, que bem merecia o apelido Dead Can Dream, voltaria a se reunir outras vezes… a sua mais recente viagem sonora foi “Shadowlands”, de 2013… um trabalho que combina paisagens sonoras com vocalizações ocasionais, sempre em um tom que vai do melancólico ao sombrio em faixas que, na sua edição limitada, chegam a ter mais de 55 minutos!

Shadowlands
Para essa segunda parte do programa, nós selecionamos uma faixa extraída do álbum “Dziękuję Bardzo”, um trabalho ao vivo, gravado em Varsóvia e em Berlin, durante a tour europeia da dupla, realizada em 2008…  e também uma das músicas menos extensas de “Shadowlands”, o álbum mais recente de Klaus Schulze, com Lisa Gerrard nos vocais…

Vocês ouviram “Spanish Ballerina” e “In Between”… com Klaus Schulze & Lisa Gerrard.

O Art Rock fica por aqui… o programa teve a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com… que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin Volpão… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

LISA GERRARD

BG – NILLESHEMA

LARGO – 2:52

LAURELEI – 5:59

THE SERPENT & THE DOVE – 7:26

BLACK FOREST – 4:41

ALL ALONG THE WATCHTOWER – 5:50

BG – THE MESSENGER

TOTAL – 26:48

KLAUS SCHULZE & LISA GERRARD

BG – SHADOWLIGHS

SPANISH BALLERINA – 6:38

IN BETWEEN – 17:07

BG – LICHT UND SCHATTEN

TOTAL: 23:45

TOTAL GERAL – 50:33

Ouça o Art Rock com o Lisa Gerrard & Klaus Schulze que foi ao ar no dia 27/04/2013, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Klaus Schulze & Amon Düül II

Posted in Programas with tags , on 24/01/2011 by Artrock

“Boa noite, no programa de hoje nós vamos trazer uma raridade da família do Tangerine Dream… com um dos seus mais famosos integrantes, o genial Klaus Schulze.

Apesar de ter pertencido a uma das formações iniciais do Tangerine Dream, junto de Edgar Froese e Conrad Schnitzler, Klaus Schulze foi baterista apenas no álbum de estreia do grupo, “Eletronic Meditation” de 69… depois ele deixaria o Tangerine para fundar o Ash Ra Tempel e começar também uma prolífica carreira solo, que continua até hoje… e com lançamentos frequentes, tanto ao vivo como de estúdio.

Além de sua parceria com Lisa Gerard do Dead Can Dance, ele também lançou um álbum triplo ao vivo “Big in Japan”, que contém dois CDs e um DVD e saiu em 2010…juntamente com mais quatro edições da sua série “La Vie Electronique”… mas, para hoje, nós selecionamos um trabalho diferente… a sua trilha sonora para o clássico pornô “Body Love”, do diretor Lasse Braun.

Lançada em 77, essa trilha é de uma época em que o cinema erótico e pornográfico ainda não havia voltado a ser perseguido, como seria a partir dos anos 80, quando acabou sendo restrito à indústria dos vídeos… hoje DVDs… perdendo assim o reconhecimento que chegou a ter na década de 70… quando um compositor de cinema como Alden Shuman podia criar a bela trilha para “The Devil in Miss Jones” e Klaus Schulze não via nenhum problema em compor os temas eletrônicos de “Body Love”…

Vocês ouviram com Klaus Schulze com “Stardancer” e “Blanche”, faixas extraídas da trilha do filme “Body Love”, em que ele contou com a ajuda de Harald Grosskopf do Wallenstein & Ash Ra Tempel…

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E nesta segunda parte do programa teremos um grande sobrevivente do rock alemão… que manteve sua identidade através das décadas e não se deixou abalar pelo desinteresse das grandes gravadoras.

Estamos nos referindo ao Amon Düül 2, que foi formado no final dos anos 60 por John Wienzierl, Chris Karrer e Renate Schnaup, quando resolveram deixar o grupo underground Amon Düül, famoso por seus álbuns impenetráveis onde a música era um veículo para expressar a mais pura busca liberdade em jam-sessions viajantes… mas, apesar da dissidência, eles resolveram continuar usando o nome em seu novo grupo, que mergulharia fundo no nascente universo da música progressiva…

O Amon Düül 2 alcançaria repercussão logo nos seus primeiros álbuns e em pouco tempo seria considerado um dos mais representativos grupos do progressivo alemão do início dos anos 70, com uma sonoridade complexa, recheada de texturas melódicas e com temáticas que iam do existencial à ficção científica… sem fazer concessões e, claro, sem nunca conseguir algum retorno comercial por seus esforços.

Nos anos 80, John Weinzierl chegou a trabalhar na Inglaterra, junto de Dave Anderson e Bob Calvert, ex-membros do grande Hawkwind… mas ele reformaria o Amon Düül 2 na década de 90, primeiro para uma série de concertos, mas acabando por voltar a gravar trabalhos de estúdio… o último dos quais, “Be as Such”, saiu em 2009… mas ele fica para outro programa… hoje vocês vão ouvir faixas do álbum “Live in London”, do distante ano de 1973…

Vocês ouviram o Amon Düül 2 com “Archangels thunderbird”, “Eye shaking king”, “Soap shop rock” e “Race from here to your ears”…

O Art Rock fica por aqui… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com… que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você vai poder fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado…

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

KLAUS SCHULZE

BG – P.TO.

1. STARDANCER – 13:43

2. BLANCHE – 11:27

BG – P.TO.

TOTAL: 25:31

AMON DÜÜL II

BG – RESTLESS SKYLIGHT

1. ARCHANGELS THUNDERBIRD – 3:19

2. EYE SHAKING KING – 6:17

3. SOAP SHOP ROCK – 7:36

4. RACE FROM HERE TO YOUR EARS – 7:18

BG – IMPROVISATION ON GULP A SONATA

TOTAL – 24:29

GRAND TOTAL – 50:00

Ouça o Art Rock com o Klaus Schulze & Amon Düül II que foi ao ar no dia 12/12/2010, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *