Arquivo de Marillion

Asia & Marillion

Posted in Programas with tags , on 14/08/2015 by Artrock

“Boa noite, hoje vamos trazer duas sugestões do nosso ouvinte Almir Octávio, um amigo de longa data que nos indicou um lançamento de 2015 de dois grupos veteranos…

axis-xxx-live-san-francisco

E vamos começar com o Asia, o supergrupo nascido no começo dos anos 80 pela união dos talentos de John Wetton, Steve Howe, Carl Palmer e Geoff Downes… cujas carreiras já permitiam, na época, traçar um verdadeiro mapa do prog. rock inglês… e que continuam em plena atividade até hoje, mantendo a maior parte da sua formação original desde a reunião em 2006.

Durante os anos 90, Geoff Downes ficou como o único membro sobrevivente do grupo, que continuou em atividade com o baixista e vocalista John Payne como frontman… mas essa fase terminaria em 2006 quando a formação original se reuniu novamente… e a dedicação ao retorno foi tanta que eles chegaram a fazer tours conjuntas com o Yes, para que Howe e depois também Downes pudessem continuar em ambos os grupos.

Só em 2012 é que eles iriam diminuir o ritmo, depois do álbum “XXX” e da tour de trinta anos do grupo … Steve Howe saiu e foi substituído por Sam Coulson, que tocaria no álbum “Gravitas” de 2013… mas ele fica para outro Art Rock, para o programa de hoje nós selecionamos faixas do disco ao vivo “Axis XXX Live in San Francisco”, que saiu em 2015, mas registra um show de 2012 ainda com a formação clássica do Asia.

Com o Asia, vocês ouviram “Wildest Dreams”, “Time again”, “Pyramidology”, “Golden mean” e “Cutting if fine”.

A gente volta já.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vocês ficam com outro lançamento de 2015, nada menos do que um álbum triplo do decano do neo-prog dos anos 80… o Marillion…

GLASS HALF FULL

O álbum “Glass Half full” seria algo usualmente recebido com entusiasmo no cenário progressivo… mas esse é um projeto bem diferente do Marillion… na verdade, trata-se de uma reunião de gravações de pré-produção, material utilizado pelo grupo como ferramenta de estudo para composição e arranjo… linhas melódicas, passagens e trechos… e não um álbum propriamente dito.

As faixas reunidas não são composições finalizadas, mas apenas rascunhos… elas terminam abruptamente, ou ficam só evoluindo temas, enquanto Steve Hogarth balbucia fragmentos de letras que seriam trabalhadas depois… trata-se do blueprint, o croqui do álbum “Marbles” de 2004… que aparece aqui apenas delineado.

Normalmente algo assim seria lançado como bônus em uma edição especial do álbum… mas “Marbles” foi um trabalho inteiramente financiado pela comunidade através de encomendas prévias e talvez o Marillion tenha resolvido premiar seus fãs fieis com essa verdadeira janela para o seu processo criativo… o resultado parece uma colagem incompleta: só um esboço de metalinguagem progressiva… mas que merece registro…

Vocês ouviram o Marillion com “Jazz IM”, “The Atmospheric Man”, “Stumble Man”, “I am the Invisible Man”, “American marbles”, “H playing marbles”, “The recurring dream”, “Hypnotic genie”, “Early Place” e “The Original”…

O Art Rock fica por aqui… o programa tem a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… nós agrademos o amigo Almir Octávio pela sugestão e o material que tocamos no programa de hoje… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin Volpão… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… até a semana que vem.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

ASIA

BG – ONLY TIME WILL TELL

1. WILDEST DREAMS – 5:50

2. TIME AGAIN – 5:22

3. PYRAMIDOLOGY – 3:21

4. GOLDEN MEAN – 4:04

5. CUTTING IT FINE – 7:03

BG – RIDE EASY

TOTAL – 25:40

MARILLION

BG – JOHN BARRY IM

6. JAZZ IM – 2:06

7. THE ATMOSPHERIC MAN – 2:15

8. I AM THE INVISIBLE MAN – 2:06

9. AMERICAN MARBLES – 1:28

10. H PLAYING MARBLES – 4:44

11. THE RECURRING DREAM – 2:01

12. HYPNOTIC GENIE – 1:33

13. EARLY PLACE – 4:29

14. THE ORIGINAL – 3:57

BG – UNUSED OCEAN

TOTAL: 24:40

TOTAL GERAL – 50:20

Ouça o Art Rock com Asia & Marillion que foi ao ar no dia 08/08/2015, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Marillion

Posted in Programas with tags on 09/03/2015 by Artrock

“Boa noite… no programa de hoje vamos trazer um pouco da fase mais recente do decano do neo-prog… o Marillion, um dos mais representativos grupos da sua geração, responsável por resgatar o progressivo do esquecimento…

less-is-more-marillion

Faz algum tempo que não trazemos o Marillion aqui no programa, por isso vale lembrar que ele surgiu em Buckinghamshire, na Inglaterra, em 79 e foi criado pelo guitarrista Steve Rothery e pelo baterista Mick Pointer… e eles usavam o nome Silmarillion… em homenagem à obra do glorioso J.R.R. Tolkien, décadas antes das trilogias de Peter Jackson para o cinema…

Mas eles acabariam encurtando o nome em 81 para evitar problemas de direitos autorais… na mesma época em que entrava para o grupo o vocalista Fish, seguido pouco tempo depois pelo tecladista Mark Kelly e pelo baixista Pete Trewavas… e a essa altura eles já estavam desenvolvendo seu estilo, marcado pela forte influência do Genesis de Peter Gabriel… e já perceptível no álbum “Script for a jester’s tear” de 83.

No começo o Marillion chegou a ser acusado de imitar o Genesis, devido também em grande parte ao vocal de Fish… mas o grupo seguiria em frente, entre mudanças de formação, e se manteve como uma das forças do prog. rock inglês mesmo depois que Fish foi substituído por Steve Hogarth em 89… e, para essa primeira parte do programa, nós selecionamos faixas do álbum acústico “Less is More” de 2009…

Vocês ouviram o Marillion com “Out of this world”, “The Space”, “Hard as love”, “If my heart was a ball” e “This is the 21st Century”.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E nós vamos continuar com o Marillion, que continua em plena atividade e permanece como um dos mais bem sucedidos grupos do chamado movimento neo-progressivo dos anos 80…

sounds-that-cant-be-made-marillion

Na época em que Steve Hogarth entrou para o Marillion muitos acreditaram que era um prenúncio do fim… no entanto, o álbum “Seasons End” de 89 foi muito bem recebido, apesar de marcar uma mudança estética até na capa, que não contou com uma pintura de Mark Wilkingson, autor de todas as capas anteriores do grupo.

Mas com o tempo, a chamada Era Hogarth acabou se firmando… com ótimos trabalhos como “Brave” de 94, “Afraid of Sunlight” de 95 ou, mais recentemente, “Somewhere else” de 2007… e investindo bastante nas novas mídias e estratégias de lançamento, utilizando múltiplos formatos e também sendo pioneiros no chamado crowdfunding, já na época do álbum “Marillion.com” de 1999.

E, nessa segunda parte do programa, vocês conferem um pouco de “Sounds that can’t be made”, de 2012… um trabalho que retomou o uso de longas suítes no lugar de faixas curtas, mostrando que o velho Marillion continua dominando bem o paradigma progressivo, depois de mais de 35 anos de carreira.

Vocês ouviram “Gaza” e “Lucky Man”… faixas do álbum “Sounds that can’t be made”, do Marillion.

O Art Rock fica por aqui… o programa tem a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin Volpão… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

MARILLION

BG – INTERIOR LULU

1. OUT OF THIS WORLD – 5:08

2. THE SPACE – 4:52

3. HARD AS LOVE – 4:58

4. IF MY HEART WAS A BALL – 5:12

5. THIS IS THE 21ST CENTURY – 5:40

BG – QUARTZ

TOTAL – 25:50

MARILLION

BG – POUR MY LOVE

6. GAZA – 17:31

7. LUCKY MAN – 6:58

BG – POWER

TOTAL: 24:29

TOTAL GERAL – 50:19

Ouça o Art Rock com a Marillion que foi ao ar no dia 28/02/2015, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Marillion & Eloy

Posted in Programas with tags , on 22/09/2009 by Artrock

“Boa noite, vamos começar o programa de hoje com o decano do neo-prog. e um dos mais bem sucedidos grupos progressivos da sua geração… o Marillion.

script

Nascido em 78, o grupo se chamava originalmente Silmarillion, uma citação do célebre livro do J.R.R. Tolkien… mas eles acabaram simplificando o nome para evitar problemas de direitos autorais… e foi simplesmente como Marillion que eles se tornariam um sucesso mundial ainda na época em que seu vocalista era o grandalhão Fish, com suas vocalizações inspiradas no genial Peter Gabriel.

fugazi

Mas a saída de Fish em 88 não encerrou a carreira do grupo, que recrutou Steve Hogarth e permanece em plena atividade até hoje… tendo um novo álbum acústico, “Less is more”, anunciado para esse ano, juntamente com uma tour, ao mesmo tempo em que deve sair o novo álbum do supergrupo Transatlantic… o projeto paralelo que o baixista Pete Trewavas mantém com Mike Portnoy do Dream Theatre, Roine Stolt do Flower Kings e Neal Morse do Spock’s Beard.

misplaced

Mas essas novidades vão ficar para outro programa, para hoje nós selecionamos material dos álbuns, “Script for a jester’s tear”, “Fugazzi” e “Misplaced Childhood”… todos da fase clássica do grupo, quando a voz e a presença de palco de Fish pareciam resgatar a estética genesiana em plena década de 80.

Vocês ouviram o Marillion com “The Web”, “Incubus” e “Bitter Suite”… todas da primeira fase do grupo, com o vocal de Fish.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos ouvir um pouco de uma das lendas do rock alemão… o grande Eloy, de Frank Bornemann.

Com o nome inspirado no livro A Máquina do Tempo de H. G. Wells, o Eloy surgiu no final dos anos 60 e sempre foi centrado em torno da figura de Frank Bornemann… o vocalista e guitarrista que foi o único membro constante do grupo… e eles sempre conservaram uma sonoridade dominada pelos climas de teclado e guitarras, com temáticas influenciadas por ficção científica e alugações mitológicas… uma amálgama típica das melhores bandas do chamado krautrock.

dawn

O Eloy foi perdendo sua identidade na busca de satisfazer os ditames do mercado musical, chegando a ter momentos mais comerciais antes de se separar no início da década de 80… mas eles voltariam à atividade na década passada, lançando em 94 o álbum “The Tides Return Forever”, seguido em 98 por “Ocean 2: The Answer”… uma continuação para um de seus álbuns mais celebrados, “The Ocean”, de 77.

O grupo andou meio silencioso nos últimos tempos, mas Frank Bornemann saiu do isolamento esse ano, para anunciar “Visionary”, um novo álbum de estúdio lançado para comemorar os 40 anos do Eloy… seguido de uma caixa intitulada “The Legacy Box”, reunindo material dessa longa carreira… e enquanto a gente espera, vamos conferir um pouco da sua melhor fase… com faixas do seu álbum conceitual “Dawn”, de 76.

Vocês ouviram “Lost? (the decision)”, “The Midgnight-flight / The Victory of Mental Force”, “Gliding into Light and Knowledge” e “Le Reveil du Soleil / The Dawn”.

Art Rock fica por aqui, obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1.
Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com, que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você vai poder fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado… até a semana que vem.

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

MARILLION

BG – KAYLEIGH

1.    THE WEB – 8:52

2.    INCUBUS – 8:13

3.    BITTER SUITE – 7:57

BG – PUNCH & JUDY

TOTAL: 25:02

ELOY

BG – BETWEEN THE TIMES

4.    LOST? (THE DECISION) – 5:02

5.    THE MIDGNIGHT-FLIGHT / THE VICTORY OF MENTAL FORCE – 8:10

6.    GLIDING INTO LIGHT AND KNOWLEDGE – 4:13

7.    LE REVEIL DU SOLEIL / THE DAWN – 6:49

BG – THE SUN SONG

TOTAL – 24:14

Total geral: 49:16

Ouça o Art Rock com Marillion & Eloy, que foi ao ar no dia 13/09/2009, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *