Arquivo para Peter Gabriel

Peter Gabriel

Posted in Programas with tags on 13/09/2016 by Artrock

“Boa noite, no programa de hoje teremos outra presença frequente no Art Rock, uma das figuras mais emblemáticas do progressivo… o genial vocalista Peter Gabriel.

2

Naturalmente que podemos deixar de lado as apresentações, pois, além de fundador do Genesis, Peter Brian Gabriel também é dono de uma rica carreira, com trabalhos antológicos nas mais variadas linhagens musicais, indo do progressivo ao pop e ao chamado worldbeat.

E, como já fazia algum tempo que não trazíamos o velho Gabriel ao nosso programa, vamos começar com um pouco do início da sua carreira solo, no final dos anos 70 e começo dos 80, quando ele ainda estava firmemente ligado ao paradigma do prog rock e contava com colaborações de amigos como Robert Fripp e Phill Collins.

4

Nessa época, em meio ao furação punk, Gabriel era um dos raros exemplos de sucesso entre as estrelas da fase áurea do progressivo, que logo passariam a ser chamadas de “dinossauros do rock”… e ele conseguiu se afirmar como artista solo sem fazer concessões, com trabalhos consistentes que tinham como título apenas a sua ordem numérica… fiquem com um pouco dos álbuns “II” e “IV”… também conhecidos como: “Scratch” e “Security”.

Com Peter Gabriel vocês ouviram “On the air”, “San Jacinto”, “I have the touch” e “Shock the monkey”.

A gente volta já.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer dois momentos da carreira de Peter Gabriel nos anos 80, quando estava entre os mais bem sucedidos prog rockers sobreviventes… e sem perder a sua criatividade…

so

Para os roqueiros mais velhos, a década de 80 foi uma fase em que os grandes nomes das décadas anteriores pareciam perdidos em trabalhos pouco inspirados… mas havia exceções, e Peter Gabriel estava entre elas… seu álbum “So” de 1986 foi um dos discos da década, atingindo o topo das paradas em todo o mundo, mas com um pop rock elaborado, cheio de camadas sobrepostas, que mostrava que era possível fazer sucesso comercial sem recorrer a completas banalidades.

Com arranjos e linhas melódicas complexas, o álbum “So” tinha ainda temas típicos da sensibilidade de Gabriel e já apontava para a direção que ele tomaria em seus trabalhos seguintes… como “Passion”, a genial trilha para o polêmico filme “A última tentação de Cristo” de Martin Scorsese… outro trabalho premiado e de grande sucesso.

us

As muitas faces de Peter Gabriel continuam a tentar dar cor e sentido à nossa melancólica realidade… e ele continua em plena atividade… vamos fechar com faixas dos álbuns “So” de 86 e “Us” de 92…

Vocês ouviram “Red Rain”, “Sledgehammer”, “Don’t give up”, que foi um dueto com Kate Bush e, para fechar, “Come talk to me”, com Peter Gabriel.

O Art Rock fica por aqui… o programa tem a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… ele foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado… tenham uma boa noite e até a semana que vem.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

PETER GABRIEL

BG – PERSPECTIVE

1. ON THE AIR – 5:28

2. SAN JACINTO – 6:23

3. I HAVE THE TOUCH – 4:32

4. SHOCK THE MONKEY – 5:25

BG – MOTHER OF VIOLENCE

TOTAL – 21:48

PETER GABRIEL

BG – IN YOUR EYES

5. RED RAIN – 5:39

6. SLEDGEHAMMER – 5:16

7. DON’T GIVE UP – 6:33

8. COME TALK TO ME – 7:03

BG – BIG TIME

TOTAL: 24:31

TOTAL GERAL – 46:19

Ouça o Art Rock com Peter Gabriel que foi ao ar no dia 20/08/2016, clicando aqui.

Anúncios

Peter Gabriel

Posted in Programas with tags on 17/12/2013 by Artrock

” Boa noite, no programa de hoje vamos trazer uma figura que é uma das constantes do rock britânico e que vem mantendo sua pertinência há mais de quatro décadas… o incomparável Peter Gabriel.

Peter Gabriel - Ovo

Naturalmente o velho Gabriel dispensa maiores apresentações, pois ele já era presença obrigatória na discoteca de qualquer bom proghead nos tempos em que era o vocalista e figura central do Genesis… e ele se manteve em atividade desde então, procurando sempre fazer síntese única entre a pop music e o progressivo, em meio a explorações étnicas ou eletrônicas… e sempre com trabalhos de destaque.

Mas ele passou por um breve recesso no final dos anos 90… foram cinco anos de silêncio, enquanto se envolvia com seus outros projetos, como o Festival WOMAD (World of Music, Arts and Dance)… só no ano 2000 ele voltaria a gravar, lançando “OVO”, a trilha sonora para o evento multimídia “Millenium Dome Show”… uma apresentação no estilo do Cirque du Soleil, contando uma história de amor entre um rapaz do Povo do Céu e uma jovem da Terra.

O Show foi apresentado no Millenium Dome de Londres, durante todo o ano 2000… e a trilha de Peter Gabriel foi lançada ainda naquele ano, contando com a participação de vários convidados, incluindo Neneh Cherry, Elizabeth Fraser e Richie Havens… e é um pouco deste álbum que nós selecionamos para a primeira parte do programa de hoje.

Vocês ouviram “The time of the turning”, “The tower that ate people”, “Downside-up” e “Make Tomorrow”, com Peter Gabriel.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E nós vamos trazer mais um pouco da carreira de Peter Gabriel no novo milênio, agora com o seu álbum de 2002… “UP”.

Up - Peter Gabriel

Depois de seu envolvimento com o “Millenium Dome Show” Gabriel resolveu se dedicar a um novo álbum… seu primeiro registro de estúdio desde “Us”, de 92… e ele resgatou um projeto que tinha iniciado em 95, mas que nunca havia sido lançado… uma reflexão sobre o nascimento e a morte, mas centrada na experiência do crescimento: growing up em inglês.

Além da presença de velhos colaboradores, como Tony Levin e Bob Ezrin, o álbum contou com as participações especiais do grande Peter Green, o guitarrista original do Fleetwood Mac, e de Danny Thompson, baixista lendário que tocou com Tim Buckley e Nick Drake e que, mais recentemente, estava trabalhando com David Sylvian…

Durante a produção foram sendo disponibilizados vídeos com depoimentos pela internet… e o próprio nome “Up” foi votado pelos fãs… esse seria o último trabalho solo de Gabriel até “Scratch my back” de 2010, embora ele tenha colaborado com outras trilhas, como no premiado tema para a animação “WALL-E” de 2008… mas isso fica para outro programa, vamos fechar com faixas do álbum “Up” de 2002…

Vocês ouviram Peter Gabriel com “Growing Up”, “Sky Blue”, “More than this” e “The Drop”…

O Art Rock fica por aqui… o programa teve a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência e continuem na É Paraná, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com… que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin Volpão… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… até a semana que vem.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

PETER GABRIEL

BG – THE MAN WHO LOVED THE EARTH

1. THE TIME OF THE TURNING – 5:05

2. THE TOWER THAT ATE PEOPLE – 4:49

3. DOWNSIDE-UP – 6:05

4. MAKE TOMORROW – 10:05

BG – FATHER, SON

TOTAL – 26:05

PETER GABRIEL

BG – NO WAY OUT

5. GROWING UP – 7:33

6. SKY BLUE – 6:37

7. MORE THAN THIS – 6:02

8. THE DROP – 3:03

BG – SIGNAL TO NOISE

TOTAL: 26:51

TOTAL GERAL – 50:21

Ouça o Art Rock com a Peter Gabriel que foi ao ar no dia 14/12/2013, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

 

Peter Gabriel

Posted in Programas with tags on 02/07/2010 by Artrock

“Boa noite, hoje teremos no programa a força criativa por trás da melhor fase do grande Genesis… o genial Peter Gabriel…

Nascido em Chobham, na Inglaterra, em 1950, Gabriel emergiu no cenário do progressivo quando este ainda estava em sua formação, fundando o seminal grupo Genesis em 1967… e ele levaria o grupo aos limites em termos de poética e teatralidade, influenciando muito do que se fazia no prog. rock da época com a força de suas apresentações que beiravam o expressionismo.

As fantasias, os jogos de luz e cor, a projeção de vídeos e a interpretação de cada personagem individual de suas músicas… tudo compunha uma experiência única no mundo do rock do começo dos anos 70, transformando o Genesis em um fenômeno… e ele estava em seu auge quando Gabriel resolveu buscar outros caminhos e deixou o grupo em 76.

No ano seguinte saiu seu primeiro trabalho solo, que já reunia a mistura de elementos e ritmos que seria a sua marca registrada… e que o acompanham até hoje… mas, antes de ouvir o seu mais novo trabalho, vamos começar com um pouco do seu começo de carreira, com faixas extraídas do álbum “Peter Gabriel” de 77 e também de “Peter Gabriel 3” de 80, que contou com a presença de Peter Hammil e Robert Fripp…

Vocês ouviram Peter Gabriel com “Down the Dolce Vita”, “Solsbury Hill”, “Here Comes the Flood”, “No self control” e “Games without frontiers”.

O Art Rock volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer um pouco do mais novo trabalho do grande Peter Gabriel, um álbum de covers que é a primeira parte de um projeto que tem a sua cara… “Scratch my back”…

A idéia surgiu em 2008 e começou com a intenção de ser um lançamento duplo… dois discos lançados simultaneamente, o primeiro com versões feitas por Gabriel para faixas de outros músicos… e o segundo uma coletânea feita por esses mesmos músicos só com faixas do próprio Gabriel… mas reunir artistas como Randy Newman, Lou Reed, David Bowie, Neil Young e até Radiohead para um projeto conjunto é uma tarefa que leva tempo, por isso o segundo disco acabou atrasando.

Esta é uma idéia típica de Peter Gabriel, pois transforma algo banal, como uma coletânea de covers, em um projeto que reúne estilos e vozes diferentes para afirmar a força do rock, em suas diversas formas, como uma linguagem musical capaz de comunicar a solidão compartilhada desse nosso mundo globalizado, onde a realidade está em vias de sofrer sua derradeira metamorfose, transformando-se em meros bits de informação.

Distante da riqueza rítmica de seus outros trabalhos, esse novo álbum mostra um Gabriel introspectivo, com uma sonoridade dominada por climas que remetem ao paradigma progressivo, executados com a London Scratch Orchestra, arranjos de John Metcalfe e produção intimista do veterano Bob Ezrin… o resultado saiu no começo de 2010… o impecável “Scratch my back”.

Vocês ouviram Peter Gabriel com “Heroes” de David Bowie, “The Boy in the Bubble” de Paul Simon, “The Power of the heart” de Lou Reed, “The Book of Love” dos Magnetic Fields, “Philadelphia” de Neil Young e “Waterloo Sunset” dos Kinks.

Art Rock fica por aqui, obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa, 97,1… Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com… que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado…

Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

PETER GABRIEL

BG – MODERN LOVE

1. DOWN THE DOLCE VITA – 5:06

2. SOLSBURY HILL – 4:21

3. HERE COMES THE FLOOD – 5:36

4. NO SELF CONTROL – 3:56

5. GAMES WITHOUT FRONTIERS – 4:06

BG – INTRUDER 4:54

TOTAL – 23:05

PETER GABRIEL

BG – APRES MOI

1. HEROES – 4:09

2. THE BOY IN THE BUBBLE – 4:28

3. THE POWER OF THE HEART – 5:52

4. THE BOOK OF LOVE – 3:52

5. PHILADELPHIA – 3:46

6. WATERLOO SUNSET – 3:50

BG – LISTENING WIND

TOTAL – 25:57

GRAND TOTAL – 49:02

Ouça o Art Rock com o Peter Gabriel que foi ao ar no dia 06/06/2010, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *