Arquivo para The Doors

The Doors & Jim Morrison

Posted in Programas with tags , on 23/08/2011 by Artrock

” Boa noite, no programa de hoje nós vamos atender a pedidos dos nossos ouvintes online e trazer um pouco de um dos  um dos mais importantes grupos dos anos 60… The Doors…


Em 1985, Valdir Montanari lançou seu livro “O Rock Progressivo”, uma referência obrigatória para quem gostava de prog. rock em uma época em que não havia internet…  e nesse trabalho ele surpreendeu muita gente por incluir o grupo The Doors… mas, na verdade, a dimensão da poética única desse grupo e o seu impacto como fenômeno cultural, transcendem em muito os limites das definições rígidas de estilos musicais.

Os Doors nasceram em 65, em Los Angeles, com a reunião de quatro estudantes de cinema da Universidade de Berkeley… o tecladista Ray Manzarek, o guitarrista Robby Krieger, o baterista John Densmore e o vocalista Jim Morrison… dono de uma grande voz e também de uma sensibilidade poética que ia de Rimbaud e Baudelaire… até Walt Whitman e Robert Frost… sem deixar de lado, é claro, a inquietude beatnick…

Desde o primeiro álbum sua música já aparecia cheia de imagens líricas, mas perturbadoras, principalmente para a conservadora cultura americana… algo que ficava ainda mais claro nos polêmicos shows do grupo… e a sonoridade dos Doors era única na era psicodélica, devido à ausência de um baixista, que levava os teclados de Ray Manzarek a uma posição dominante, junto do vocal de Jim Morrison… para essa primeira parte do programa nós selecionamos faixas dos álbuns “Strange Days”, “Morrison hotel” e “L.A. Woman”…

Vocês ouviram The Doors com as faixas “Strange days”, “When the music is over”, “Waiting for the Sun” e “L. A. Woman”.

A gente volta já…

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E E nós vamos continuar trazendo um pouco do genial grupo americano The Doors, que continua um fenômeno forte hoje, quase 40 anos depois que Jim Morrison deixou nosso plano da realidade.


O nome do grupo havia sido tirado do livro “As portas da percepção” de Aldous Huxley… mas era também uma citação da célebre frase do grande William Blake, um dos maiores poetas da língua inglesa… que nos lembrava que “quando as portas da percepção forem abertas, todas as coisas parecerão aos homens tal como verdadeiramente são… infinitas.”

Muitos já tentaram decifrar o impacto do grupo, como o cineasta Oliver Stone em seu filme “The Doors”… mas a maioria das narrativas se perde em meio ao moralismo ou a superficialidade… na verdade eles eram uma amálgama de uma época em que o rock, realmente, progredia em todas as direções… infelizmente, a viagem do seu genial vocalista terminaria em 3 de julho de 1971, pouco tempo depois de deixar os Doors…

Eles lançariam mais dois álbuns antes de se separar em definitivo no ano seguinte… e só voltariam em 2002 com Ian Astbury do grupo The Cult nos vocais e, depois de 2007, com outros vocalistas… mas, além disso, sairia em 2010 o premiado documentário “When you’re Strange”… e, em 2011, Ray Manzarek surpreenderia com o grande álbum “Translucent Blues”, junto do guitarrista Roy Rogers… só que isso fica para outro Art Rock, para fechar o programa de hoje nós selecionamos “An American Prayer”, o álbum com poemas de Jim Morrison musicados pelos Doors…

Vocês ouviram Jim Morrison com “Ghost Song”, “Newborn awakening”, “Black polished chrome”, “Latino chrome”, “Stoned immaculate”, “Curses and invocations”, “An American prayer”, “An hour of magic”, “Freedom exists”, “A feast of friends” e “The ghost song”.

O Art Rock fica por aqui… o programa teve a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na É Paraná, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com… que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

THE DOORS

BG – FIVE TO ONE

1.    STRANGE DAYS – 3:07

2.    WHEN THE MUSIC IS OVER – 10:55

3.    WAITING FOR THE SUN – 3:59

4.    L.A. WOMAN – 7:49

BG – RIDERS ON THE STORM

TOTAL – 25:50

JJIM MORRISON

BG – ROADHOUSE BLUES

1.    GHOST SONG – 2:51

2.    NEWBORN AWAKENING – 2:26

3.    BLACK POLISHED CHROME – 1:08

4.    LATINO CHROME – 2:15

5.    STONED IMMACULATE – 1:33

6.    CURSES AND INVOCATIONS – 1:58

7.    AN AMERICAN PRAYER – 3:04

8.    AN HOUR OF MAGIC – 1:18

9.    FREEDOM EXISTS – 0:20

10.    A FEAST OF FRIENDS – 2:11

11.    THE GHOST SONG – 5:16

BG – ROADHOUSE BLUES

TOTAL – 24:17

TOTAL GERAL: 50:07

Ouça o Art Rock com o The Doors & Jim Morrison que foi ao ar no dia 23/07/2011, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Anúncios

The Doors & Uriah Heep

Posted in Programas with tags , on 22/04/2009 by Artrock

“Boa noite, hoje vamos começar o programa com um dos mais importantes e bem sucedidos grupos do rock californiano dos anos 60… que acabou de passar aqui por Curitiba, em sua mais recente encarnação… The Doors.

fullcircle

Formado em 65, os Doors nasceram do encontro de quatro estudantes da Universidade de Berkley… o tecladista Ray Manzarek, o guitarrista Robby Krieger, o baterista John Densmore e o vocalista Jim Morrison, que acabaria se tornando a figura central do grupo, graças não apenas à sua voz, mas também a uma rara sensibilidade poética, onde as influências beatnik ganhavam pitadas de figuras geniais da poesia francesa como Baudelaire e Rimbaud.

A inspiração para o nome do grupo veio do livro “As portas da percepção” de Aldous Huxley, que se inspirara na célebre frase do grande William Blake, que nos dizia que tudo pareceria infinito quando as portas da percepção forem abertas… e essa busca por ir além dos limites dominaria a vida de Jim Morrison e faria dos Doors um fenômeno singular, onde a música se construía em estruturas às vezes hipnóticas, servindo como suporte para letras e para as alugações poéticas durante os shows do grupo.

othervoices

E os Doors não acabaram quando seu líder deixou a nossa realidade em 3 de julho de 1971… ele já tinha deixado o grupo à essa altura, e eles haviam seguido em frente… por isso não devia surpreender vê-los agora com uma nova formação, incluindo Brett Scallions (ex-The Fuel) nos vocais… mas nós selecionamos faixas dos álbuns “Other Voices” de 71 e “Full Circle” de 72… sem Jim Morrison.

Vocês ouviram “Ships w/ sails”, “Hang on to your life”, “The Piano Bird” e “The Peking King and the The New York Queen”… com os Doors … para lembrar que, com ou sem Jim Morrison, um show com Ray Manzarek e Robby Krieger valeria a pena ver mesmo que o grupo fosse chamado The Windows…

A gente volta já!

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

 E agora vamos outro grupo que muita gente parou de curtir depois que ele perdeu o seu lendário primeiro vocalista… o Uriah Heep.

Com 40 anos praticamente ininterruptos de carreira, o Uriah Heep dispensa maiores apresentações, pois é um dos nomes constantes do rock inglês… desde os tempos em que os estilos se confundiam em meio à amálgama psicodélica da década de 60… e eles continuam em atividade, atualmente apenas com um membro de sua formação original, o guitarrista Mick Box… mas que recuperou muito da sua sonoridade e atitude desde a entrada do tecladista Phil Lanzon e do vocalista Bernie Shaw…

firefly

Phil e Bernie passaram a integrar o Heep a partir do ábum “Live in Moscow”, há mais de 20 anos… mas, para muitos fãs, nenhum dos vocalistas que participaram do grupo foi realmente capaz de substituir o alcance e a sensibilidade da voz de David Byron, que havia saído para a carreira solo em 76 e que abandonou o nosso plano espaço-temporal em 1985…

innocentvictm

Mas a verdade é que o Uriah Heep teve alguns bons momentos com seus outros vocalistas… e para hoje nós selecionamos faixas dos álbuns “Firefly” de 76, “Innocent Victm”, lançado ainda naquele ano  e “Fallen Angel” de 78… todos trabalhos com a voz de John Lawton, o cantor inglês do lendário grupo de rock pesado alemão Lucifer’s Friend… que foi muito criticado na época, mas que hoje é recebido com carinho pelos fãs quando volta a se apresentar com o Heep, como convidado em ocasiões especiais.

fallenangel

Com o Uriah Heep vocês ouviram “Been away too long”, “Simpathy”, “Free n’easy”, “Illusion/mascarade” e “I’m Alive”… todas da fase do vocalist John Lawton.

Art Rock fica por aqui… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na Paraná Educativa… 97,1.

Visite o Blog do Art Rock em https://artrock.wordpress.com, que é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você vai poder fazer downloads do conteúdo do programa e deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

 THE DOORS

BG – IN THE EYE OF THE SUN

1. SHIPS W/ SAILS – 7:30

2. HANG ON TO YOUR LIFE – 5:45

3. THE PIANO BIRD – 5:41

4. THE PEKING KING AND THE NEW YORK QUEEN – 6:26

BG – I’M HORNY, I’M STONED

TOTAL – 25:22

URIAH HEEP

BG – THE HANGING TREE

5.BEEN WAY TOO LONG – 5:04

6.SIMPATHY – 4:44

7.FREE N’EASY – 3:06

8.ILLUSION/MASQUERADE – 8:19

9.I’M ALIVE – 4:17

BG – FALLEN ANGEL

TOTAL – 25:30

GRAND TOTAL – 50:52

Ouça o Art Rock com The Doors & Uriah Heep, que foi ao ar no dia 19/04/2009, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *