Arquivo de junho, 2011

Hot Tuna

Posted in Programas with tags , on 28/06/2011 by Artrock

” Boa noite, no programa de hoje teremos uma das lendas vivas do rock americano, o genial Hot Tuna, que acabou de lançar um novo álbum… “Steady as she goes”… e continua em plena forma depois de mais de quatro décadas de carreira!


O Hot Tuna surgiu em 69, quando o guitarrista Jorma Kaukonen e o baixista Jack Casady resolveram que precisavam de mais liberdade para explorar outros estilos musicais, principalmente o blue-grass e o blues-rock… mas eles não chegaram na época a deixar o grande Jefferson Airplane… a princípio, os dois grupos conviveram sem problemas, chegando até a fazer shows e excursões juntos…

O nome original do grupo era para ser Hot Sh*t, mas eles mudaram para Hot Tuna por insistência da gravadora RCA e lançariam em 1970 o seu primeiro álbum, um registro ao vivo gravado na New Orleans House, em Berkeley na California…  o disco não teve grande repercussão, mas eles seguiram em frente e logo seus trabalhos estavam sendo mais bem recebidos do que os do próprio Jefferson Airplane, que acabariam deixando de vez em 1974.

 


Além dos trabalhos acústicos, o Hot Tuna teria uma série de discos clássicos, no começo contando com o violino de Papa John Creach… e sempre cruzando influências, ora mais voltado para os blues… ora para o som mais pesado… e eles só se separariam no final da década, depois do estupendo duplo ao vivo “Double Dose” de 78… mas, para essa primeira parte do programa, nós selecionamos material dos álbuns “Burgers”, “Phosphorecent Rat” e “America’s Choice”…

Vocês ouviram “I see the light”, “Easy now”, “Corners without exits”, “Ode to Billy Dean”, “Sunny day strut” e “Sleep Song”, com o Hot Tuna.

A gente volta já!

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos trazer uma das surpresas de 2011, o novo álbum do Hot Tuna… “Steady as she goes”, o primeiro disco de estúdio do grupo desde os anos 90…

Depois da separação, Jorma & Jack seguiram para outros projetos, mas voltariam a se reunir nos anos 80, depois de uma série de iniciativas mal sucedidas como os grupos SVT e Vital Parts, além do projeto KCB, que envolvia outros membros da família do Jefferson Airplane… no fim, eles acabaram sendo o foco para uma volta do próprio Airplane, que começou com a participação dos velhos companheiros nos shows do renascido Hot Tuna a partir de 1987…


E depois de excursionar com o Airplane, Jorma & Jack seguiram em frente com o Hot Tuna, lançando o álbum “Pair a disse found” em 1990… mas esse seria o último registro de estúdio do grupo pelas duas décadas seguintes, apesar de continuarem a se apresentar com frequência… enquanto Kaukonen lançava uma série de discos acústicos geniais e Casady colaborava com as novas investidas do velho Jefferson…

Nos últimos anos, Jorma vinha mantendo o mesmo ritmo de lançamentos solo, além dos seus lendários encontros para guitarristas… o guitar camp no Fur Peace Ranch, sua fazenda em Ohio… o que ninguém esperava era um novo álbum de estúdio do Hot Tuna… “Steady as she goes”, que conta com a colaboração do excelente Larry Campbell na produção e guitarra rítmica… um belo trabalho que vocês vão poder conferir aqui no Art Rock…



Vocês ouviram o Hot Tuna com “Angel of Darkness”, “Second chances”, “A little faster”, “Mourning interrupted” e “Smokerise journey”… faixas do álbum “Steady as she goes” de 2011…

O Art Rock fica por aqui… o programa teve a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… obrigado pela audiência, tenham uma boa noite e continuem na É Paraná, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com… que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

HOT TUNA (THEN)

BG – SEA CHILD

1. I SEE THE LIGHT – 4:16

2. EASY NOW – 5:11

3. CORNERS WITHOUT EXITS – 3:39

4. ODE TO BILLY DEAN – 4:52

5. SUNNY DAY STRUT – 3:16

6. SLEEP SONG – 4:25

BG – THE GREAT DIVIDE REVISITED

TOTAL – 25:39

HOT TUNA (NOW)

BG – EASY NOW REVISITED

1. ANGEL OF DARKNESS – 4:44

2. SECOND CHANCES – 4:21

3. A LITTLE FASTER – 4:57

4. MOURNING INTERRUPTED – 5:06

5. SMOKERISE JOURNEY – 4:28

BG – CHILDREN OF ZION

TOTAL – 23:36

TOTAL GERAL: 49:15

Ouça o Art Rock com o Hot Tuna que foi ao ar no dia 14/05/2011, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Diagonal & Blood Ceremony

Posted in Programas with tags on 22/06/2011 by Artrock

” Boa noite, hoje teremos um programa dedicado às novas gerações progressivas, começando com um grupo inglês que ainda está no início de carreira… o Diagonal.


Parecendo ter saído do final dos anos 60, o Diagonal resgata de forma primorosa a força estética do momento de transição entre a psicodelia e rock progressivo… e eles pegaram o cenário do prog. britânico de surpresa em 2008, quando lançaram seu genial álbum de estreia, em que exploram toda uma gama de possibilidades sonoras que há muito pareciam relegadas às coleções de grandes bandas da história do rock e raridades quase esquecidas…

O Diagonal é formado pelo tecladista e vocalista Alex Crispin, os guitarristas David Wileman e Nicholas Richards, o saxofonista Nicholas Whittaker, o baixista Daniel Pomlett, o tecladista Ross Hossak e o baterista Luke Foster… mas as posições dos integrantes dentro do grupo são flexíveis… pois todos trabalham com muitos instrumentos, inclusive percussões e sintetizadores, ajudando a compor uma tapeçaria sonora onde as referências se associam livremente…

O grupo parece estar sobrevivendo bem às dificuldades dos primeiros anos, com apresentações bem recebidas com outras bandas da nova geração, como o Astra e o Litmus… ou ainda seu memorável show com a renascida lenda do acid-folk, o Comus, agora em abril de 2011… vamos ouvir um pouco do álbum “Diagonal”, de 2008… que, até o momento, foi o único registro de estúdio desse grupo promissor…

Vocês ouviram “Semipermeable men-brain” e “Pact”, com o Diagonal…

A gente volta já!

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E agora vamos pegar mais pesado, trazendo um grupo que mistura a força e a temática do Black Sabbath com os climas folk e a flauta do Jethro Tull…


Estamos nos referindo ao Blood Ceremony, um quarteto canadense que lançou seu primeiro trabalho em 2008, um álbum homônimo em que desenvolveram uma sonoridade influenciada pelo rock pesado dos anos 70, mas com uma clara referência ao folk rock devido à figura da vocalista, flautista e organista Alia O’Brien e também do guitarrista Sean Kennedy…

O grupo ainda contava na sua formação original com o baterista Andrew Haust e o baixista Chris Landon… mas este último seria substituído por Lucas Gadke para o segundo álbum, “Living with the ancients”, que saiu no começo de 2011 e manteve a mesma proposta musical, onde os riffs de guitarra, os temas místicos e as referências ao paganismo se cruzam com os climas criados pela flauta e pelo órgão hammond de Alia O’Brien…

Na época em que surgiu, o Blood Ceremony chegou a ser descrito como o encontro entre o peso do Pentagram e a leveza do Pentangle… e talvez a lembrança dessas duas bandas lendárias seja propícia… pois o seu som faz parte de um amplo resgate do legado das bandas fundadoras das linhagens do rock pesado e do progressivo… vamos ouvir um pouco dos dois álbuns desse jovem grupo canadense.

Vocês ouviram o Blood Ceremony com “A wine of wizardry”, “The rare Lord”, “Hymn to Pan”, “The Hermit”, “Night of Augury” e “The witch’s dance”.

O Art Rock fica por aqui… o programa teve a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… tenham uma boa noite e continuem na É Paraná, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com… que foi idealizado e é administrado pela nossa querida amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… Até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

DIAGONAL

BG – CANNON MISFIRE

1. SEMIPERMEABLE MEN-BRAIN – 10:54

2. PACT – 14:00

BG – DEATHWATCH

TOTAL – 24:54

BLOOD CEREMONY

BG – DAUGHTER OF THE SUN

1. A WINE OF WIZARDRY – 1:41

2. THE RARE LORD – 6:22

3. HYMN TO PAN – 7:54

4. THE HERMIT – 2:35

5. NIGHT OF AUGURY – 6:05

6. THE WITCH’S DANCE – 0:40

BG – MORNING OF THE MAGICIANS

TOTAL – 24:17

TOTAL GERAL: 49:12

Ouça o Art Rock com o Diagonal & Blood Ceremony que foi ao ar no dia 07/05/2011, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

 

Soft Machine & Soft Machine Legacy

Posted in Programas with tags , on 14/06/2011 by Artrock

“Boa noite, hoje teremos no programa um grupo que continua influenciando muita gente até os dias de hoje e foi a matriz do chamado Canterbury Sound… o genial Soft Machine.

Esse grande nome do prog. inglês surgiu a partir do lendário Wilde Flowers, que reunia em sua formação Kevin Ayers, Robert Wyatt, Pye Hastings, Hugh e Brian Hopper e Richard e Dave Sinclair… um verdadeiro quem é quem dos músicos que iriam formar o som de Canterbury… depois que eles se separaram para formar grupos essenciais como o Caravan e, é claro, o Soft Machine…

Com o nome tirado do livro do grande William Burroughs, o grupo nasceu das alugações de Robert Wyatt e Kevin Ayers… mas ele nunca permaneceria muito tempo com a mesma formação ou conservaria um estilo definitivo… continuaria crescendo com o entra e sai de músicos, inclusive os seus fundadores… eles partiriam para a carreira solo enquanto o Soft Machine seguia em frente, acabando por voltar-se mais e mais para o jazz-fusion, em meados dos anos 70.

E nós vamos começar trazendo um pouco dessa fase jazzística do Soft Machine, com faixas registrando um de seus mais celebrados guitarristas… o genial Allan Holdsworth… completando o time junto com Roy Babbington no baixo, Karl Jenkins no sax, John Marshall na bateria e Mike Ratledge nos teclados… e as faixas são do álbum “Bundles” de 75, que marcou a volta de um guitarrista, algo que não acontecia desde 67, quando a posição ainda era do grande Daevid

Allen, futuro Gong…

Vocês ouviram “Hazard Profile (parts one to five)”, “Bundles” e “Land of the bag snake”… com o Soft Machine.

A gente volta já!

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E nós voltamos com mais um pouco do grande Soft Machine, agora com a sua encarnação mais recente, que surpreendeu muita gente ao se apresentar no Brasil em 2011, durante a Virada Cultural de São Paulo.

O grupo havia encerrado atividades em 1984… mas, desde os anos 90, o renovado interesse na música progressiva levou a uma série de álbuns ao vivo com material inédito, além do relançamento de todos os álbuns clássicos do grupo… no fim, eles acabariam retornando em 2002, usando o nome Soft Ware e depois Soft Works… mas era é claro o próprio Soft Machine, com uma formação que contava com Allan Holdsworth, Hugh Hopper, Elton Dean e John Marshall…

Eles gravariam o álbum “Abracadabra” em 2003… mas mudariam de nome de novo no ano seguinte… com a saída de Alan Holdsworth e a volta de John Etheridge… a partir de então o grupo seria conhecido como Soft Machine Legacy… e eles lançariam ainda em 2004 um álbum homônimo que mostrava que não tinham perdido nada da sua velha forma.

E essa nova versão do Soft Machine continuaria firme, mesmo depois da perda de Elton Dean em 2006 e de Hugh Hopper em 2009… atualmente, o grupo conta com o sax de Theo Travis, ex-Gong e tem a volta de Roy Babington para o baixo… e foi essa formação que se apresentou no palco Libero Badaró, na Virada Cultural de São Paulo, de 2011… mas nós selecionamos material do álbum “Soft Machine Legacy”, de 2004…

Vocês ouviram o Soft Machine Legacy com “Kite Runner”, “Fresh Brew”, “New Day” e Grape Hound”.

O Art Rock fica por aqui… o programa teve a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… tenham uma boa noite e continuem na É Paraná, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com… que foi idealizado e é administrado pela nossa amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… até a semana que vem.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

SOFT MACHINE

BG – PEFF

1. HAZARD PROFILE (PARTS 1 TO 5) – 19:02

2. BUNDLES – 3:14

3. LAND OF THE BAG SNAKE – 3:36

BG – THE FLOATING WORLD

TOTAL – 25:52

SOFT MACHINE LEGACY

BG – TWELVE TWELVE

1. KITE RUNNER – 6:57

2. FRESH BREW – 6:24

3. NEW DAY – 3:48

4. GRAPE HOUND – 6:56

BG – F & I

TOTAL – 24:06

TOTAL GERAL: 49:58

Ouça o Art Rock com o Soft Machine & Soft Machine Legacy que foi ao ar no dia 01/05/2011, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Jimmi Hendrix & Robin Trower

Posted in Programas with tags , on 08/06/2011 by Artrock

“Boa noite, no programa de hoje vamos trazer dois grandes guitarristas… um mestre e um discípulo, que procurou levar adiante o seu legado depois que ele deixou o nosso plano da realidade…


O mestre em questão é ninguém menos do que o insuperável Jimmi Hendrix… que dispensa quaisquer apresentações, pois é, talvez, o mais famoso guitarrista de todos os tempos… apesar de ter permanecido muito pouco tempo em nosso insípido planeta e de acabar deixando ao mundo da música apenas a memória da sua genialidade…

Foram apenas três álbuns com o Experience e mais um com o Band of Gypsys… todo o resto de uma vasta discografia é formado de compilações ao vivo e gravações arquivadas que vão sendo lançadas aos poucos em discos póstumos… alguns dos quais se tornariam famosos como: “The Cry of Love”, “Rainbow Bridge”, “War Heroes”, “Nine to the Universe” e “The First Ray of the Rising Sun”… ou o mais recente “Valleys of Neptune”…

Lançado em 2010, esse álbum contém faixas gravadas em 69, incluindo material que era para o 4º. álbum do Jimi Hendrix Experience, o genial power trio em que Jimi contava com a força do baixista Noel Redding e do baterista Mitch Mitchell… as faixas tiveram a produção original da época retrabalhada com a ajuda do lendário Eddie Kramer,  que foi engenheiro de som de alguns dos trabalhos mais memoráveis da história do rock, incluindo o próprio “Eletric Ladyland” de Hendrix… e nós selecionamos um pouco desse disco póstumo para a primeira parte do programa de hoje.

Vocês ouviram Mr Jimi Hendrix com “Valleys of Neptune”, depois foi “Sunshine of your love”, uma cover do grande Cream… e na sequência “Lover man”, “Ships passing through the night” e “Crying blue rain”.

A gente volta já!

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

E nós vamos trazer o grande guitarrista Robin Trower, que começou no Procol Harum mas deixaria o grupo para explorar uma sonoridade hendrixiana…

Trower foi um dos fundadores do grupo The Paramounts em 62… e foi ali que ele conheceu o pianista e vocalista Gary Brooker… e em 67 eles acabariam por se reencontrar no genial Procol Harum, um dos grupos mais bem sucedidos da sua geração e também um dos fundadores da linguagem do rock progressivo, ainda em plena era psicodélica.

Ele permaneceria no Procol Harum até 72, saindo para formar o grupo Jude com o baterista Clive Bunker do Jethro Tull… mas eles nunca chegaram a gravar e Robin Trower resolveu montar um power trio no melhor estilo de Jimi Hendrix, lançando uma série de álbuns clássicos em que mergulhou nas experiências com os blues amplificados, misturando a sua técnica invejável com riffs e efeitos de pedaleira…

 

Robin Trower montaria projetos com Jack Bruce do Cream, gravaria com Brian Ferry do Roxy Music e manteria uma carreira solo ativa que continua em plena atividade… ele participou do retorno do Procol Harum nos anos 90, mas não continuou no grupo por muito tempo… mas a sua inquietude nunca prejudicou a consistência dos seus trabalhos, como o recente “The Playful Heart” de 2010… só que esse excelente disco fica para outro Art Rock, por hoje vamos ficar com um pouco de “Twice Removed from Yesterday” de 73 e “Bridge of Sighs” de 74…

Vocês ouviram Robin Trower com “I can’t wait much longer”, “Sinner’s song”, “Day of the eagle”, “Bridge of sighs” e “In this place”…

O Art Rock fica por aqui… o programa teve a produção de Vidal Costa e de Beto Bittencourt, a apresentação de Vidal Costa e a edição de Abílio Henrique… tenham uma boa noite e continuem na É Paraná, 97.1… visite o nosso Blog em https://artrock.wordpress.com… que foi idealizado e é administrado pela nossa amiga Ana Barbara Vicentin… lá você pode fazer downloads do conteúdo do programa e também deixar o seu recado… até a semana que vem.”

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

JIMI HENDRIX

BG – STONE FREE

1.    VALLEYS OF NEPTUNE – 4:04

2.    SUNSHINE OF YOUR LOVE – 6:47

3.    LOVER MAN – 4:18

4.    SHIPS PASSING THROUGH THE NIGHT – 5:52

5.    CRYING BLUE RAIN – 4:57

BG – LULLABY FOR THE SUMMER

TOTAL – 25:58

ROBIN TROWER

BG – TOO ROLLING STONED

1.    I CAN’T WAIT MUCH LONGER – 5:17

2.    SINNER’S SONG – 5:15

3.    DAY OF THE EAGLE – 5:04

4.    BRIDGE OF SIGHS – 5:05

5.    IN THIS PLACE – 4:28

BG – LADY LOVE

TOTAL – 25:09

TOTAL GERAL: 50:31

Ouça o Art Rock com o Jimmi Hendrix & Robin Trower que foi ao ar no dia 23/04/2011, clicando aqui.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *